revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #99 - Agosto 2021

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Autocompaixão: o cuidado começando por nós

Quando um amigo querido não está bem, normalmente temos o impulso de ajudá-lo. Buscamos acolher seus sentimentos, usar um tom de voz suave e nossas melhores palavras. Já quando se trata de nós mesmos e de algum sofrimento, sentimento de inadequação ou de falha que vivenciamos, tendemos a nos tratar diferente. Costumamos acionar nossa autocrítica e um tom de voz interno mais áspero. Muitas vezes temos o impulso de nos culpar, julgar ou de nos colocar para baixo.

Fomos educados em uma sociedade competitiva na qual achamos que precisamos sempre estar bem, sermos produtivos, bem-sucedidos e perfeitos, nos comparando com os outros. Crescemos acostumados com esta maneira mais dura de responder a nós mesmos, que se reflete nas mais diversas esferas da nossa vida. E no trabalho não é diferente. É claro que no ambiente profissional podem existir fatores externos como cobrança, excesso de trabalho, competição e má liderança, por exemplo. Mas nós muitas vezes extrapolamos nossos limites e nos colocamos uma grande pressão baseada nessa ilusão da busca pela perfeição. E isso cansa, e muito.

A autocompaixão foi tema do meu mestrado e, desde então continuei meus estudos, buscando colocá-la em prática também por uma demanda interna pessoal. Uma frase que me marcou neste processo foi”: “O perfeccionismo não é a busca pelo melhor, mas a perseguição pelo pior de nós mesmos”, de Julia Cameron. Entendi que, enquanto estivermos pouco atentos e conscientes de nós mesmos e de nossos limites e necessidades ou então nesta busca desenfreada por dar conta de tudo, nos tratando com julgamento e excesso de autocrítica, estaremos sujeitos ao esgotamento.

Vemos a síndrome de burnout cada vez mais frequente nos dias atuais e, enquanto anos atrás ela se associava mais ao meio da saúde, hoje ela já se apresenta nos mais diversos contextos profissionais. E, a busca por ferramentas de gestão de estresse e pelo cultivo de habilidades socioemocionais entre os líderes atentos a esta questão e os profissionais a procura de maior autoconhecimento e bem-estar nunca esteve tão forte.

No meu caso, minha principal experiência se deu com profissionais da saúde, no ambiente hospitalar, aonde atuei por mais de 10 anos. Ao longo desse período, presenciei (e cheguei bem perto de experimentar) o burnout. E identifiquei lá, a necessidade de me aprofundar ainda mais no uso destas técnicas e ferramentas e de levá-las para aqueles que se encontravam no limite ou que viram seus colegas passarem por isto.

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Coaching Interno e a musicalidade do Coaching de Equipas

Prelúdio Investir em Coaching Interno reflete o grau de maturidade das Empresas que apostam numa cultura sustentada de desenvolvimento dos seus recursos mais valiosos, as pessoas. Esta é uma história na primeira pessoa, uma história que desejo partilhar com o leitor. Convido-o a visitar o mundo do Coaching de Equipas dentro de uma Empresa portuguesa de grande dimensão. Esta... leia mais

16 minutos

O Codesenvolvimento é Sistêmico

Já vou me adiantando aqui para dizer que este artigo tem mais perguntas que respostas, pois é ali, no não saber a resposta, que brota nossa curiosidade e vontade de saber mais, de experimentar. Espero aqui trazer uma boa oportunidade para explorar o território do sistêmico e complexo através do Codesenvolvimento. Antes de mergulhar nos aspectos sistêmicos-complexos do Codesenvolvimento,... leia mais

13 minutos

O encontro cármico entre o coach e o cliente

Quando um ser humano olha de forma comprometida a sua própria história de vida, observa que ela não é uma simples sucessão de fatos e datas, mas um caminho de desenvolvimento que passa por diversos aspectos como saúde, aprendizado, profissão, processo de busca de emancipação e autonomia. Todos estes aspectos apenas são possíveis através dos encontros. Se olharmos, não do ponto de... leia mais

14 minutos

Comunicação Autêntica: Tecituras de resgate ao humano dentro e fora das plataformas digitais

Nunca se falou tanto sobre autenticidade. Sua aplicação em nosso cotidiano tem sido estimulada por meio de imperativos que se fazem presentes em frases como “seja você mesmo”, “solte a sua voz” ou até mesmo “viva a sua verdade”. Embora esse movimento seja legítimo e tenha como plano de fundo encorajar a formação de pessoas livres de padrões impostos e a construção de uma... leia mais

14 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium