revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #83 - Abril 2020

Localize rapidamente o conteúdo desejado

O Coaching Evolutivo no momento atual da Humanidade

Vou começar esse artigo com 3 frases que me ajudaram a entender de forma mais profunda o universo das ideias sobre valores, níveis de desenvolvimento e consciência estruturados por Richard Barrett, que é na minha visão, uma das maiores autoridades sobre cultura e valores.  Nos últimos anos ele escreveu uma série de livros falando sobre o tema desse artigo e sobre novas formas de liderar, a importância da consciência no desenvolvimento humano, a nova psicologia do bem-estar humano e mais recentemente sobre a importância das visões de mundo e também sobre o bem estar das nações.

1 - Crescemos em estágios de desenvolvimento psicológico;

2 - Operamos em níveis de consciência;

3 - Vivemos dentro de visões de mundo.

Aqui acho importante esclarecer algo, que também aprendi com Richard Barrett: quando, nesse artigo, eu me referir a “psicologia” ou “psicológico” intenciono dizer sobre o “estudo da alma”, sem nenhuma pretensão de entrar nos domínios da psicologia propriamente dita.

Estamos todos em um processo evolutivo individual, que se inicia na nossa concepção/gestação e continua, nessa experiência, até o momento em que morremos.

O objetivo do Coaching Evolutivo é possibilitar que o cliente, dentro desse processo evolutivo individual,  passe por uma fase de transformação, vencendo os medos gerados pelas necessidades do ego (“individuação”) e atinja, no mínimo, um estágio de coerência interna onde ele possa viver seu propósito de forma harmônica e congruente (“autorrealização”)  e com o pleno uso de seus valores, que servirão como verdadeiros guias e norteadores de suas ações.

Mas como fazer todo esse processo?

Vou começar explicando meu entendimento das três frases citadas no início, descrevendo e detalhando a teoria que gira em torno de cada uma delas.

Crescemos em “Estágios de desenvolvimento psicológico”

Crescer, amadurecer e até mesmo desenvolver são verbos que indicam ações que consideramos naturais em nossa história de vida. O corpo físico, as fases (infância, adolescência, adulta e envelhecimento), o amadurecimento, o desenvolvimento acadêmico e etc.

Quando usamos o verbo “evoluir” fica implícita uma jornada diferente, caracterizada por saltos, avanços e expansão. É necessário um desafio (externo ou interno) que promova essa evolução.

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Imunidade à Mudança e Carreira

A imunidade à mudança e a velocidade na carreira.  Velocidade! É a palavra que eu mais ouço dos coachees quando uso a ferramenta ITC – Immunity to Change, elaborada por Robert Kegan e Lisa Lahey. Velocidade para chegar ao lugar que realmente trava o movimento necessário para que a mudança desejada aconteça. Tive meu primeiro contato com a ferramenta em 2014 num evento organizado... leia mais

13 minutos

Espiritualidade, organizações e pandemia

Espiritualidade A espiritualidade é fundamental na vida das pessoas e das organizações! Mas... esta afirmação é vista muitas vezes com desconfiança e pouco útil para a vida prática. Organizações precisam atender aos seus clientes, devem gerar resultados, e o lugar da espiritualidade é nos templos religiosos! Esta é uma típica reação que encontraremos ao abordar o tema. O... leia mais

13 minutos

Coaching Baseado em Pontos Fortes

A abordagem do coaching de Pontos Fortes vem sendo desenvolvida pela Gallup há décadas, baseada no sonho de Don Clifton de que pudéssemos olhar cada ser humano a partir do que tem de melhor. E tal abordagem vem revolucionando a forma como as pessoas pensam sobre desenvolvimento humano, profissional e empresarial. Talentos e Pontos Fortes O coaching orientado pelos pontos fortes dos... leia mais

13 minutos

Pen It!: Fazendo amizade com nossas vulnerabilidades.......em uma página

{"Escrevo inteiramente para encontrar o que estou pensando, o que estou vendo, o que vejo e o que isso significa, o que quero e o que temo"} Joan Didion [1] Ficar cara a cara com a nossa própria vulnerabilidade faz parte da jornada de cada pessoa ao logo da vida. O que fazemos quando estamos nesses pontos sensíveis tem sido o material para grandes poesias, filmes, músicas e histórias ao... leia mais

13 minutos

O Trabalho do Terapeuta Organizacional com base na AIT

Você acha que é possível se permitir sentir quando está trabalhando? Esta pergunta pode parecer ter uma resposta óbvia, e esta resposta vinda de sua mente poderá ser: “sim”. O que fico aqui me perguntando é que se isso parece tão óbvio, para muitos de nós, por que majoritariamente o ambiente organizacional tem se mostrado um contexto frio, insensível, composto de pessoas usando... leia mais

12 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium