revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #60 - Maio 2018

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Dois problemas que você resolve facilmente com uma visão holística

Na atuação como mentor e coach, me deparo com muitas equações que os clientes querem resolver. Todas elas são trabalhadas sob a perspectiva sistêmica e holística, apoiadas nos referenciais do sistema Isor®.  Incentivamos o cliente na busca do equilíbrio entre os aspectos pessoais, profissionais e universais. Isto exige ampliação de mentalidade, entendendo que o todo está na parte e a parte está no todo. Essas mesmas equações aparecem quando proporcionamos formação de novos coaches e mentores.

Dentre os inúmeros problemas, destaco dois relevantes:

  • Como superar a dificuldade ou incapacidade em lidar com Jogos de poder, conflitos e relações nos grupos (equipes, famílias ou organizações de um modo geral);
  • Como fazer acontecer e entregar mais e melhores resultados.

1 – Dinâmica dos Grupos e Jogos de Poder

- No primeiro caso, vejamos o exemplo de um executivo que tem uma equipe imediata com uma dezena de gerentes que, por sua vez, têm uma grande quantidade de técnicos subordinados.  A competitividade extrema normalmente leva as pessoas à prática de jogos de poder, conflitos, dispersão e outros distúrbios que atrapalham os resultados. Esse executivo vai melhorar sensivelmente sua atuação se compreender como o comportamento humano se apresenta nos grupos.

Trata-se da dinâmica da convivência humana, regida pelas forças universais, organizadas em três polos energéticos. Um polo é ordenador, outro transformador e o terceiro oscila entre os dois primeiros. Dessa compreensão, podemos interpretar melhor o que acontece no interior dos grupos. Começamos pelo entendimento de que em qualquer agrupamento de pessoas em relacionamento, existem três subgrupos bem característicos. Esses três subgrupos, quando em condições de equilíbrio e sinergia, são colaborativos, complementares e com uma energia muito boa, pois estão em movimento. Quando estão em conflito, geram um desequilíbrio no sistema e são destrutivos, pois proporcionam os jogos de poder. Os líderes convivem constantemente com essas duas realidades. A questão é: Como agir para ficar a maior parte do tempo em movimento e não em jogos? Cada um dos subgrupos já citados se constitui num polo, que quando está em movimento gera resultados positivos. O subgrupo oficial produz o movimento oficial com a missão de ser organizador, condutor e ordenador. Esse polo faz o grupo funcionar dentro dos seus objetivos. Já o movimento natural, proporcionado pelo polo renovador é questionador, crítico e propositivo, preparando o grupo para sua auto renovação. Esse subgrupo é muito importante pois obriga os oficiais a serem melhores. Os ditadores eliminam seus críticos porque querem o direito de serem medíocres, daí a importância dos líderes conviverem bem com os críticos. O terceiro movimento, denominado de oscilante, atua como moderador das tensões entre os dois polos anteriores. Tem a possibilidade de pender ora para o movimento oficial ora para o natural, permitindo ou exigindo articulação entre ambos. Esta tripolaridade é a reprodução da energia universal (elétrons, prótons e nêutrons).

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Quebrando o status quo: Felicidade ou conformismo

De acordo com a famosa pirâmide de Maslow e versões atualizadas de pirâmides de necessidades, o ápice de felicidade de uma pessoa está na autorrealização. Para alcançar esse topo, muitas coisas são propostas, como aproveitar os momentos, amor-próprio, resiliência, autoconhecimento e a lista se estende. Não se engane, cada um desses pontos é importante, porém são... leia mais

12 minutos

Perder-se na multidão para encontrar-se

“Você pode se afastar?” Aquelas palavras me tomam com surpresa e certa incredulidade, e peço para ela repetir. Mais uma vez, escuto a frase adicionada de “você está invadindo o meu espaço”. Sem pensar, dou dois pequenos passos para o lado, dentro do já confinado espaço do metrô londrino. Aperto a minha gigantesca bolsa contra o meu corpo a fim de diminuí-la de tamanho (em vão);... leia mais

11 minutos

Segurança Psicológica: Potencializando a voz que não mais silencia

Por que silenciamos mesmo quando desejamos expressar genuinamente a nossa opinião ou ideia sobre algo? Silenciamos a partir do medo de não nos expor? Podemos assumir que isso acontece quando não há segurança psicológica no ambiente? O termo “espiral do silêncio” foi criado pela alemã Elisabeth Noelle Neumann e está relacionado ao medo que os indivíduos têm de serem isolados pela... leia mais

11 minutos

Viver é melhor que sonhar!

“... qualquer canto é menor do que a vida de qualquer pessoa” 1 Quando o Luciano Lannes me convidou a escrever um artigo para a edição chamada “Feliz Ano Novo!” respondi, sem pensar, “sim!”. Sem pensar, mas também sem ideia nenhuma sobre o que ia escrever. Só sabia que o artigo deveria trazer uma reflexão positiva, no primeiro mês de um ano 2022 desafiador.... leia mais

11 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium