revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #47 - Abril 2017

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Psicodrama - Um olhar filosófico, teórico e prático

Escrever um artigo de abertura, para a edição de uma revista, que se propõe a discutir a associação do psicodrama ao exercício do coaching através do relato de experiência de profissionais de gabarito, que se dispõem a compartilhar seus saberes com colegas que desejam ampliar seus conhecimentos e recursos técnicos, mostrou-se uma tarefa de grande responsabilidade. Como transmitir um conhecimento filosófico, teórico e prático, que tem pautado toda minha vida profissional, apenas através da escrita racional e em poucos parágrafos? Como passar o que tenho vivido de seu poder transformador? Um grande desafio. Começarei por apresentar seu criador e sua trajetória, acreditando ser um caminho para a compreensão de seu pensamento.

Jacob Levy Moreno, nascido na Romênia em 1889, era de família judaica, tendo se mudado aos 5 anos de idade para Viena, onde se formou em Medicina, estudou Filosofia e Teatro e morou até 1925, quando se radicou nos Estados Unidos e viveu até sua morte, em 1974. A história da obra de Moreno tem sido definida por quatro momentos criativos: 1) de origem religiosa e filosófica; 2) de experiências teatrais e terapêuticas; 3) de ordem sociológica – grupal e, finalmente, 4) de organização e consolidação dos métodos e técnicas criados. 

No primeiro momento, inspirado pelo hassidismo (ramo do judaísmo) e existencialismo, vivenciou o que seriam as sementes de seu embasamento teórico filosófico, a ser posteriormente desenvolvido no plano científico. Já estavam presentes as ideias do homem como ser relacional, criativo, responsável por seu destino. No segundo momento, em seu envolvimento com experiências teatrais, ensaiou e colocou à prova a revolução dramática como instrumento de mudança pessoal e social.  No terceiro, viveu intensamente o conflito entre seu posicionamento fenomenológico existencial e as exigências americanas de um cientificismo lógico no estudo das relações humanas, que o levou à sociometria (brilhante e inédito estudo de relações interpessoais que inclui avaliação quantitativa e qualitativa das mesmas, visando a seleção de indivíduos para compor equipes de qualquer natureza, ou o tratamento de relações deterioradas que possam estar influenciando prejudicialmente a produtividade e bem estar dos componentes de um grupo). Nesta fase, partiu de seus pressupostos anteriores do homem como ser relacional, criativo e espontâneo, que vive pelo e para o encontro interpessoal. Colocou à prova hipóteses e formulou conceitos anteriormente intuídos através da filosofia e religião, a exemplo de “espontaneidade” e “tele”, que se tornariam duas de suas ideias fundantes. Finalmente, em seu quarto momento, articulou seus conceitos teóricos e organizou seus recursos técnicos como método: O psicodrama é, na verdade, uma criação posterior, um procedimento que foi efetivamente desenvolvido no teatro de psicodrama de Beacon, em Nova Iorque, já em sua maturidade. O resultado destes quatro momentos de trabalho e estudos levou à criação de um sistema moreniano geral, que é a socionomia. No entanto, este passou a ter a denominação generalizada de psicodrama, designação que deveria referir-se apenas a um dos seus processos, o que, a meu ver, tem  trazido limitações à sua compreensão, na medida em que, por definição, leva a se pensar em um método de ação, aspecto sem dúvida revolucionário, em reação aos procedimentos individualistas e racionalistas predominantes na época, mas que tem levado, e ocasionalmente ainda pode levar, a uma priorização da técnica em detrimento de todo um posicionamento filosófico e teórico que privilegia o estudo do homem em relação, como um ser biológico, social e cósmico.

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Gestão de crise nas organizações: a necessidade da inteligência emocional em todas as etapas

Nunca fomos tão desafiados a gerenciar crises como no cenário atual. A pandemia causada pela COVID-19 trouxe um enorme desafio global, onde vida e morte estavam e ainda estão no centro das decisões mundiais. Dilemas de ordem política, econômica e ideológica tornaram-se evidentes, e crises diplomáticas surgem na corrida pelas respostas e soluções de enfrentamento. No campo mais... leia mais

14 minutos

Responsabilidade Social: o olhar de quem cuida

Só há uma norma pela qual uma época pode ser justamente julgada: em que medida ela permitiu o desenvolvimento da dignidade humana? Romano Guardini Assim como toda empresa é mais que uma atividade econômica, é, antes de tudo uma atividade dirigida por pessoas a serviço da sociedade, entendo que toda profissão – seja ela qual for -, carrega em si uma responsabilidade... leia mais

15 minutos

Os Fundamentos Generativos dos Resultados nas Organizações

Vendo Organizações com Novos Olhos Como seres humanos, sempre vivemos no mundo que podemos ver. Também convivemos com o que os psicólogos chamam de "cegueira cognitiva". Cegueira é a condição em que não sabemos o que não sabemos. Por exemplo, eu não fui treinado como médico, então eu não tenho as distinções, os "olhos" para ver o que um médico pode ver. O médico vê corpos de... leia mais

16 minutos

Tempos Pós-Normais: A Mudança está Mudando

“Existem dois tipos de mudança: a que nos acontece e a que fazemos acontecer.” Rosa Alegria Estamos entrando numa nova era da história. Saindo de um modelo que não estava dando certo – entrando num outro que ainda está por mostrar a que veio, nos defrontamos com o mais alto grau de incerteza já vivido, inaugurado pela pandemia covid19. O contato da experiência... leia mais

15 minutos

Falemos sobre imunidade à mudanças

Foi no dia 15 de novembro de 2014 que o professor Robert Kegan conquistou a atenção de mais de 400 coaches reunidos na conferência global da ICF, no Rio de Janeiro. Entrou com seu notebook em mãos e, com voz tranquila e segura, conduziu uma palestra intercalada com atividades em dupla. Ao final, boa parte dos participantes havia identificado crenças, até então inconscientes, que... leia mais

14 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium