revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #99 - Agosto 2021

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Burnout e stress são sinônimos?

Burnout descreve sintomas decorrentes basicamente de stress ocupacional, ligado a situações de trabalho. Como agora é reconhecido como uma doença ocupacional, as empresas estão mais atentas a sua incidência e fatores precipitadores do burnout.  Seus sintomas característicos se enquadram em três categorias que são: 

• Sensação de exaustão emocional,

• Redução de produtividade e

• Despersonalização.

Este quadro se traduz em falta de entusiasmo e motivação, frustação em relação às expectativas pessoais para o trabalho e uma visão cínica quanto aos outros e ao futuro. Enquanto não temos estatísticas brasileiras, atuais pesquisas estimam que a perda financeira das empresas americanas devido ao burnout seja entre 150 e 350 bilhões de dólares anuais. Sua etiologia ainda não está clara e como todo fenômeno complexo, ele é provavelmente heterogêneo e de causa multifatorial. Em geral se atribui o burnout a fatores relacionados ao trabalho, porém, tal condição não é causada apenas por trabalho estressante ou muitas responsabilidades. Outros fatores contribuem para seu desenvolvimento, incluindo o estilo de vida e traços de personalidade. Não há dúvida sobre que o  burnout pode ser desencadeado por uma situação de trabalho, mas nem sempre é o caso.   Às vezes o burnout pode ocorrer antes do stress se manifestar, levando a pessoa a perceber sua função como mais estressante do que o usual, por exemplo, passando a achar que a quantidade de trabalho é excessiva, que as metas são muito altas, que o chefe é muito exigente. No burnout, a capacidade de lidar com o stress geralmente diminui. Como resultado, tarefas ainda menores podem ser percebidas como significativamente mais extenuantes.

Há a hipótese de que o idealismo excessivo acrescido a expectativas muito elevadas leva a pessoa a utilizar toda a sua energia de modo muito intenso e, como consequência, ela acaba se desgastando excessivamente. Assim, o idealismo, o excesso de dedicação, a transcendência constante dos limites pessoais em prol da ocupação poderia levar ao Burnout.

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Cultura organizacional: mudar ou transformar?

Definir o que é cultura organizacional não é algo trivial e simples e muito mais complexo e trabalhoso é o processo de intervenção visando sua transformação. Para começar a conceituar, parto da premissa de que cultura é o conjunto de crenças, valores, comportamentos e práticas de uma organização, construídas e sedimentadas ao longo do tempo, de maneira deliberada ou não. ... leia mais

11 minutos

E você, tem medo do que?

Me sinto honrado e grato pelo convite feito pelo querido Ricardo Farah para escrever nesta importante Revista capitaneada por meu amigo Luciano Lannes.  É minha terceira incursão neste tema que muito me cativa e toca meu coração. Espiritualidade. Hoje falarei sobre o medo sob a ótica da Doutrina Espírita. Contextualizando: A Doutrina Espírita foi codificada por Hippolyte Leon... leia mais

12 minutos

O potencial transformador do Coaching aplicado à educação executiva

Cada vez mais observamos executivos bastante pressionados, buscando resultado para suas operações que competem com novos modelos de negócio, com novas demandas de ESG e inovação, precisando desenvolver competências relacionadas à indústria 4.0, tomar decisões num mundo VUCA/BANI e liderar pessoas de diversas gerações no mesmo ambiente de trabalho. Portanto, profissionais expostos a... leia mais

12 minutos

O tempo é agora: dê o passo em direção à sua felicidade

O ano era 2015 e eu estava a pleno vapor me dividindo entre 3 atividades profissionais, uma nova graduação, além da jornada de mãe de 3 filhas e dona de casa solo. Me sentia energizada, num ritmo frenético que fazia sentir-me viva e super bem. A enxaqueca me pegava sempre, mas isso era herança genética, nada que uma alta dose de analgésicos não resolvesse. Havia também uma certa... leia mais

9 minutos

Diversidade cultural: o que nos torna verdadeiramente ricos

Neste mundo globalizado, ser diferente é o que nos torna únicos, mas também semelhantes. E quando falamos de diferenças estamos praticamente falando de diferenças culturais. Mas o que exatamente é cultura? E a que nos referimos com o termo "diversidade cultural"? Nós italianos, também, pelas mesmas razões, vivemos em um país extremamente heterogêneo: no Norte, no Centro e no Sul... leia mais

10 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium