revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #88 - Setembro 2020

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Novos olhos, Novas paisagens: Três Casos de Coaching de Carreira Baseados em Pontos Fortes

“A verdadeira viagem de descobrimento não consiste em procurar novas paisagens, e sim em ter novos olhos.”

Marcel Proust


Outro dia escutei uma colega coach dizendo: “adoro trabalhar com coaching voltado ao profissional, só me recuso a fazer coaching de carreira”, justificando com o quão cansativo e pouco impactante era.  Essa percepção dela me deixou pensando no quanto minha experiência era diferente, apesar de não me definir como “coach de carreira”.   Entendo que há uma confusão em relação ao papel do consultor de carreira e do coach na sua forma mais pura, podendo gerar ambiguidade nas expectativas do cliente ao buscar um processo de desenvolvimento de carreira. 

Quando o cliente vem buscando um mapa de soluções prontas, onde há um guia externo para mostrar o caminho, pode gerar um processo exaustivo para o coach, com pouca abertura para explorar o SER e muita busca por ferramentas, processos, e métodos do FAZER. Por outro lado, quando o cliente se apresenta com genuína curiosidade sobre si e suas possibilidades, abre uma janela para as mais belas paisagens que temos a boa fortuna de apreciar.  Para isto, muitas vezes o coach desacomoda os atuais “olhos de realidade” que o cliente traz, desconstrói o caminho pronto e ajuda a desbravar novas trilhas.  O resultado do processo pode estar muito longe de uma recolocação no mercado, e isto está ok.

Cabe a nós profissionais informar, clarear e contratar os tipos de lente que temos a oferecer, de acordo com nosso próprio olhar e bagagem, para apoiar o cliente na sua escolha.

Trago aqui alguns dos meus aprendizados com o uso do CliftonStrengths nos processos de carreira, não no intuito de ensinar, mas sim de compartilhar minha inspiração com algumas belas viagens que fiz, acompanhando as descobertas dos coachees.

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Qualidades Espirituais

Quando uma pessoa diz que é um atleta, está apenas identificando sua prática esportiva ou sua profissão, mas não necessariamente podemos concluir que se trate de um excelente atleta. Para tanto, ela deve possuir e praticar certas qualificações físicas, emocionais, culturais e, sobretudo, de performance: que resultados tem obtido como atleta? ... leia mais

14 minutos

A História da Formação da Língua Portuguesa: Uma Língua, Várias Nações

“A nossa língua comum foi construída por laços antigos, tão antigos que por vezes lhes perdemos o rastro.”Mia Couto Todas as línguas acompanham a história dos povos com a qual entram em contacto. Não poderia ser diferente com a língua portuguesa que começou em terras lusitanas e expandiu-se para outras regiões do mundo, sem antes ter passado ela mesma, e, anteriormente, uma... leia mais

13 minutos

ICF Portugal Uma Associação Profissional Inclusiva, Relevante e Ativa

A ICF Portugal é o capítulo português da ICF – International Coaching Federation, a maior organização de coaches profissionais do mundo. A afirmação de que a ICF é a maior organização de coaches profissionais do mundo assenta em dois vetores: a quantidade de pessoas envolvidas e a afirmação do Coaching como profissão. Mais de 40 mil membros, organizados em mais de 140... leia mais

15 minutos

Segurança Psicológica para Coaches

Como criamos segurança psicológica em equipes que trabalham virtualmente?  Essa pergunta brota no meu trabalho e tem sido a pergunta de muitos dos meus clientes de coaching - equipes, líderes e organizações.  Como ajudar as pessoas em equipes distribuídas a estarem presentes e se envolverem no meio do COVID-19, com todos os problemas presentes: trabalhar em casa, instabilidade... leia mais

13 minutos

A aspiração à Transcendência no Yoga e a Psicologia Transpessoal

Segundo George Feuerstein (1998) o desejo, a aspiração por transcender a si mesmo e ir além da consciência comum, de encontrar um lugar interior que supere a própria dimensão da individualidade é algo tão antigo quanto a própria humanidade. Ao longo da nossa história em diversas civilizações, foram encontrados registros dessa aspiração humana nas pinturas rupestres, túmulos... leia mais

14 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium