revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #40 - Setembro 2016

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Superar-se...

Quem vence os outros é forte, quem vence a si mesmo é invencível.
Lao Tse

Estamos concluindo um ciclo de 7 arti­gos...
Este ciclo foi dedicado ao desenvolvi­mento pessoal; refletimos sobre muitas coisas: felicidade, depressão, ressignifi­cação, procrastinação, automotivação; enfim, refletimos sobre estados de âni­mo que interferem diretamente nos re­sultados que almejamos e o modo como conduzimos nossas vidas.

O caminho trilhado com esta série nos leva a refletir sobre a importância da “superação de si” (numa livre apropria­ção do termo nietzschiano); da liber­tação de todas as amarras que nos im­pedem de crescer, prosperar, vencer e alcançar nossos sonhos e objetivos, de realizar nosso “dharma” (nossa missão no mundo), nossos dons, nosso propósi­to de vida.

E o que é a superação de si? É vencer o jogo interior...
Recorro à Timothy Gallwey, nosso velho conhecido.

Ele percebeu que os atletas enfrentavam mais que adversários externos; tinham que superar também os oponentes in­ternos. Isto o fez pensar sobre os diálo­gos internos que aconteciam na mente do jogador antes e durante o jogo. Desta reflexão surgiu a ideia de que uma parti­da de tênis é jogada, simultaneamente, em dois níveis: na quadra e na mente. Na mente ocorre o jogo interior, disputado contra adversários invisíveis, mas po­derosos, como a falta de concentração, ansiedade, insegurança, medo, nervosis­mo – enfim, toda interferência capaz de inibir a boa performance.

O Inner Game de Gallwey, nos ensina que para superar um obstáculo é preciso vencê-lo primeiro interiormente, traba­lhando conflitos internos que podem im­pedir ou limitar a capacidade de alcançar os objetivos desejados.

Faz sentido? Vejamos...

Quantas vezes desistimos no meio do caminho porque somos derrotados pe­las dúvidas, angústias e dificuldades? Ou porque nos sentimos inferiores, inade­quados, porque não acreditamos na nos­sa capacidade? Somos vencidos pelo medo, inseguran­ça, preguiça, comodismo... Existe uma imensa lista de fatores que podem interferir na nossa capacidade de realização. Portanto, uma boa dose de autoconhecimento e inteligência emocional será necessária para ven­cermos esse jogo interior.

Se você conhece os outros, você é sábio. Mas se conhece a si próprio então é um ilumina­do”.
Provérbio Zen

Para ser um vencedor em qualquer área da vida é preciso estar consciente de que a maior das vitórias é vencer a si mesmo. Temos potencial para superar tanto as fraquezas internas, como as situações problemáticas com que nos depa­ramos; porém, temos que escolher entre ceder às dificuldades e sentirmo-nos infelizes, derrota­dos e vítimas das circunstâncias; ou enfrentar as situações, reunindo forças, buscando soluções, superando-nos.

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Eu, cada vez melhor - Ed. 84

Dia 08 outubro de 2019 fui trabalhar num lugar diferente. Fui para o Instituto Moreira Salles. Fiquei no café que tem por lá e ainda pude experimentar um pão de queijo de cabra delicioso! Me sentei na mesa compartilhada, e como estava cedo para a call que teria, comecei a fazer o esboço da palestra estou montando sobre protagonismo, inteligência emocional, autoconhecimento e outros... leia mais

3 minutos

Equilíbrio nos diálogos

Ao pensar sobre o que iria escrever nesse momento em que o mundo está num momento de transição de civilização recordei um material que fiz sobre conversas difíceis, feedback, e como transformar esses momentos em diálogos. Esse tema aparece em diversos ambientes e agora mais do que nunca estamos com um desafio de manter o equilíbrio nos diálogos. Gosto bastante do que Marshall Rosenberg... leia mais

6 minutos

O fantástico mundo de coisas que só acontecem na minha cabeça

Há tempos eu vinha lidando com uma questão incômoda e resolvi buscar ajuda terapêutica. Resolvi apostar na constelação familiar, por mapear sistemicamente elementos menos conscientes do problema. Para iniciar o processo, a consteladora me pediu para relatar o que eu buscava. Em tom de vítima desolada, despejei um monte de palavras: “Os clientes estão indo embora...... leia mais

6 minutos

Você também é incongruente com o que faz e fala?

Muita gente relata ter escolhido trabalhar como coach, facilitador ou consultor por poder ter a oportunidade de se autodesenvolver enquanto apoia no desenvolvimento de outras pessoas. Parece que, quanto mais conhecemos nosso universo interno, padrões e nossos lados de luz e sombra, mais conseguimos apoiar nossos clientes a fazerem o mesmo. Mas daí, um fenômeno inesperado parece acontecer... leia mais

6 minutos

O que fazer perante uma parceria que não funciona?

Observo uma tendência de coaches em início de carreira buscarem parcerias profissionais baseando-se em vários pressupostos: juntos somos mais fortes, é melhor operar em redes, colaborar etc. Ou, talvez, optam por andar em parcerias como um antídoto contra a insegurança inicial que todo profissional precisa vencer. Mas, contradizendo os pressupostos de quando embarcaram na parceria,... leia mais

6 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium