revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #34 - Março 2016

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Saiba lidar com a remuneração

Ao saber do tema para este texto - remuneração para o começo da jornada de coach - me deparei com um desafio enorme! No anseio de encontrar insights e definições, mergulhei numa pesquisa em busca de dados, informações e experiências. O vasto material encontrado gerou um grande número de ramificações. Escolhi algumas delas para tratar neste texto.

Além de todos os dados que coletei, vieram à cabeça muitas cenas e conversas que tive quando estava na fase de passar do atendimento de coaching gratuito (pro bono) para o remunerado, logo após concluir a formação. Foi um momento repleto de dúvidas e angústias:

  • Está na hora de cobrar?
  • Quanto vou cobrar?
  • Como vou calcular o preço?
  • Como vou comunicar o preço ao cliente?
  • Qual é o preço que me sinto con­fortável de cobrar?
  • Qual é o preço que me sinto au­toconfiante em relação à quali­dade do serviço que entrego?
  • Eu pagaria este preço para fazer o processo de coaching comigo?
  • Consigo me sustentar só com o coaching?

 A minha experiência de 20 anos em Marketing ajudou a compreender e ter uma nova perspectiva sobre o tema. Destaco algumas distinções úteis para prosseguirmos:

  • Preço: é uma unidade monetária entregue por A em troca de algo recebido de B, ou seja, é o mon­tante necessário para adquirir determinado produto ou servi­ço. Por exemplo, o preço da con­sulta do neurologista é R$ 420;
  • Valor: é a soma dos benefícios percebidos pelo cliente. Isto é, o julgamento que o cliente faz sobre o produto e/ou serviço que ele recebe, levando em con­ta, nessa equação, o preço pago. Por exemplo “o da marca X é ar­tesanal, lindo e dura muito, ele vale o preço de R$ 300”;
  • Remuneração: é a soma dos ganhos financeiros por serviços prestados em um dado período de tempo. Por exemplo: recebo uma comissão de R$ 50 por par de sapato vendido, se eu vender 40 sapatos este mês, minha re­muneração será de R$ 2.000.

E o que estas distinções têm a ver com a fase de transição entre o atendimento de coaching pro bono para o remunerado? Elas ajudam a refletir sobre os diferentes tópicos que compõem e impactam esta fase e incluem uma perspectiva mercadológica para as questões importantes sobre o tema. Ao longo destes próximos tópicos, proponho alguns exercícios para fazermos juntos!

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

O tempo é agora: dê o passo em direção à sua felicidade

O ano era 2015 e eu estava a pleno vapor me dividindo entre 3 atividades profissionais, uma nova graduação, além da jornada de mãe de 3 filhas e dona de casa solo. Me sentia energizada, num ritmo frenético que fazia sentir-me viva e super bem. A enxaqueca me pegava sempre, mas isso era herança genética, nada que uma alta dose de analgésicos não resolvesse. Havia também uma certa... leia mais

9 minutos

Diversidade cultural: o que nos torna verdadeiramente ricos

Neste mundo globalizado, ser diferente é o que nos torna únicos, mas também semelhantes. E quando falamos de diferenças estamos praticamente falando de diferenças culturais. Mas o que exatamente é cultura? E a que nos referimos com o termo "diversidade cultural"? Nós italianos, também, pelas mesmas razões, vivemos em um país extremamente heterogêneo: no Norte, no Centro e no Sul... leia mais

10 minutos

Liderança e Segurança Psicológica – uma jornada com final feliz!

Foi num domingo de manhã que acessei o LinkedIn e surgiu aquele post convidando à formação da primeira turma em Segurança Psicológica de Times. Mais um pouco e me convidou a clicar em “saiba mais”. Pois é, hoje estou aqui irremediavelmente apaixonada pelo tema, escrevendo para vocês. Quando me aproximei de fato do conceito, vi que tudo aquilo que sempre imaginei como liderança tinha... leia mais

12 minutos

Escuta, amor em prática!

“Quando eu falo de amor, não estou falando de uma reação sentimental  e fraca. Estou falando daquela força que todas as grandes religiões veem como supremo princípio unificador da vida. O amor, de alguma forma, é a chave que abre a porta que leva à última realidade. Essa crença hindu-muçulmana-cristã-judaico-budista é lindamente resumida em amemos- uns aos outros” Martin... leia mais

11 minutos

Aproveitar o poder do instinto e do eu espiritual no trabalho

(Work – Harness the power of instinct & human spirit at work) Este artigo está baseado na palestra proferida durante o Converge21 pelas coaches Flame Schoeder, MCC e Donna King, ACC. Uma reflexão Quando fui convidado por Cândida Semensato, presidente da ICF Brasil Chapter, para escrever um artigo para esta importante Revista Coaching Brasil, eu não fazia ideia de qual tema... leia mais

13 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium