revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #2 - Julho 2013

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Ouvindo... escutando... respeitando!

“Não é bastante ter ouvidos para se ouvir o que é dito. É preciso também que haja si­lêncio dentro da alma.”
Alberto Caieiros


Responda rápido: quando alguém fala, você ouve com atenção ou simplesmente fica parado vendo o outro mover os lábios apenas esperando sua vez de falar?

Apesar de sabermos como é importante prestar atenção ao que as pessoas falam, geralmen­te somos maus ouvintes: muitas vezes não temos paciência para escutar com atenção, interrom­pemos a fala do outro, comple­tamos suas frases e o atropela­mos com julgamentos prema­turos. Quantas vezes, durante uma conversa, nos pegamos en­gendrando os argumentos que apresentaremos a seguir, sem entender uma única palavra do que o outro tenta nos dizer? O ser humano anseia por falar mas pouco se dispõe a ouvir. É como se tivéssemos que reter a pala­vra a qualquer custo.

A comunicação oral é uma carac­terística marcante do homem: somos capazes de transmitir e adquirir conhecimento pelo di­álogo. Para que isso aconteça é preciso desenvolver a habilida­de de ouvir, ou de “escutatória”, segundo Rubem Alves, e isso exige sempre um grande esfor­ço, porque estamos acostuma­dos a falar muito e ouvir apenas aquilo que nos interessa.

Para ler este artigo completo...
é necessário, pelo menos, criar seu conta gratuita.
Faça seu login Crie sua conta gratuita ou Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

O fantástico mundo de coisas que só acontecem na minha cabeça

Há tempos eu vinha lidando com uma questão incômoda e resolvi buscar ajuda terapêutica. Resolvi apostar na constelação familiar, por mapear sistemicamente elementos menos conscientes do problema. Para iniciar o processo, a consteladora me pediu para relatar o que eu buscava. Em tom de vítima desolada, despejei um monte de palavras: “Os clientes estão indo embora...... leia mais

6 minutos

Você também é incongruente com o que faz e fala?

Muita gente relata ter escolhido trabalhar como coach, facilitador ou consultor por poder ter a oportunidade de se autodesenvolver enquanto apoia no desenvolvimento de outras pessoas. Parece que, quanto mais conhecemos nosso universo interno, padrões e nossos lados de luz e sombra, mais conseguimos apoiar nossos clientes a fazerem o mesmo. Mas daí, um fenômeno inesperado parece acontecer... leia mais

6 minutos

O que fazer perante uma parceria que não funciona?

Observo uma tendência de coaches em início de carreira buscarem parcerias profissionais baseando-se em vários pressupostos: juntos somos mais fortes, é melhor operar em redes, colaborar etc. Ou, talvez, optam por andar em parcerias como um antídoto contra a insegurança inicial que todo profissional precisa vencer. Mas, contradizendo os pressupostos de quando embarcaram na parceria,... leia mais

6 minutos

Qual o segredo para manter a felicidade e a motivação depois dos 80?

Mêncio, mestre da antiga China, chama de "saber inato o que não é necessário aprender, porque já se sabe." Você já parou para pensar se está crescendo em sabedoria conforme avança em idade? Um encontro espontâneo de apenas 15 minutos me chamou atenção para essa pergunta. Estava de férias na Alemanha, passeando com meu esposo, cunhado e sogro. Nosso destino era um Biergarten na... leia mais

5 minutos

Experiência sem sentir, faz sentido?

“Eu tinha sonhos e objetivos, bati metas, tive ascensão de carreira. Recebi aplausos. Me realizei, mas estava sempre em débito com alguma coisa. A carreira foi sem sentir. Até que um dia, nada mais fazia sentido”. Essa frase é da Emma, uma colega coach, mas poderia ser minha. E acredito que alguns leitores coaches e profissionais de desenvolvimento se identificam com ela também. ... leia mais

5 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium