revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #11 - Abril 2014

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Sua fraqueza é sua MAIOR FORÇA

Quando tomei conhecimento do que era Coaching, fiquei encantada com duas premissas básicas do Processo de Coaching: o fato de haver uma ação, uma tarefa a ser feita como resultado da sessão e – principalmente – o fato desta ação ser dada pelo cliente. Partindo disso, compreendi que todo cliente tem as respostas dentro de si, que o que é rico no processo de Coaching é exatamente isso: as respostas estão dentro de nós.

Nascemos, crescemos, fazemos planos, alimentamos sonhos, e no decorrer desta caminhada, convivemos com pessoas e experiências que nos vão moldando. Aprendemos valores, desenvolvemos outros, espelhamos alguns comportamentos, rejeitamos outros, e assim vamos seguindo, fazendo nosso caminho.

Colhemos alegrias, tristezas, frustrações e experiências que nos fazem mais fortes, mais conhecedores deste universo encantador que somos nós. Como é rico percebermos nossas crenças limitantes! Verdades que nos foram ditas e que acreditamos por anos, de repente se desvanecem simplesmente porque descobrimos o nosso potencial, perdemos os medos, as travas, até a vergonha de arriscar – e eventualmente errar – por um motivo muito simples: experimentar, testar, inovar, procurar conhecer e desenvolver novas alternativas, trilhando novos caminhos, descobrindo assim a força que temos em nós.

Uma boa sessão de Coaching é feita de perguntas poderosas. Perguntas que são algumas vezes perturbadoras, pois nos mostram como nos limitamos e nos impedimos de sonhar.

Outras perguntas podem ser inquietantes, simplesmente porque tocam na ferida, naquilo que não queremos ver em nós, em características não muito positivas que temos, em alguns comportamentos que reprovamos nos outros mas que ainda nos pegamos agindo da mesma forma.

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Competência em lidar com conflitos - Gerenciamento de conflitos – uma competência essencial para líderes

INTRODUÇÃO Conflitos são inevitáveis. Decorrem de as pessoas perceberem fatos e situações de forma distinta, por força das diferenças entre seus objetivos, interesses, perspectivas, valores e sentimentos. Mas, ao mesmo tempo que essas diferenças são fontes de conflito, são também fontes de criação, uma vez que os desacordos causados pela diversidade de visão podem abrir espaço... leia mais

13 minutos

Luzes, câmera, ação! – parte 6

1971=>2021 – O que mudou? Parte 4 - Perspectiva dos consumidores/da sociedade Nos dois primeiros artigos, nós saímos do “De manhã ela faz tudo sempre igual” do Chico Buarque para o “Tudo que se vê não é igual ao que a gente viu há um segundo, tudo muda o tempo todo no mundo” do Lulu Santos. No terceiro, quarto e quinto artigos analisamos o que mudou nestes 50 anos na... leia mais

16 minutos

Luzes, câmera, ação! – parte 5

1971=>2021 – O que mudou? Parte 3 - Perspectiva dos liderados. Nos dois primeiros artigos, nós saímos do “De manhã ela faz tudo sempre igual” do Chico Buarque para o “Tudo que se vê não é igual ao que a gente viu há um segundo, tudo muda o tempo todo no mundo” do Lulu Santos. No terceiro e quarto artigos analisamos o que mudou nestes 50 anos na perspectiva das empresas... leia mais

16 minutos

Luzes, câmera, ação! – parte 4

1971=>2021 – O que mudou? Parte 2- Perspectiva das lideranças. Nos dois primeiros artigos, nós saímos do “De manhã ela faz tudo sempre igual” do Chico Buarque para o “Tudo que se vê não é igual ao que a gente viu há um segundo, tudo muda o tempo todo no mundo” do Lulu Santos. No terceiro artigo começamos analisando o que mudou nestes 50 anos na perspectiva das... leia mais

16 minutos

Luzes, câmera, ação! – parte 3

1971=>2021 – O que mudou? Parte 1- Perspectiva das empresas. Nos dois primeiros artigos, nós saímos do “De manhã ela faz tudo sempre igual” do Chico Buarque para o “Tudo que se vê não é igual ao que a gente viu há um segundo, tudo muda o tempo todo no mundo” do Lulu Santos. E como dissemos ao final do segundo capítulo, vamos agora analisar o que mudou nestes 50 anos. ... leia mais

14 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium