revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #47 - Abril 2017

Localize rapidamente o conteúdo desejado

As várias personas na inovação

Inovação é verbo de ação. Apenas quando se age é que realmente se inova. E se estamos num mundo conectado, estamos falando de uma rede de inovação, pessoas criando valor, transformando e construindo um mundo melhor.

Que personas precisamos quando estamos co-criando? O livro “As 10 faces da Inovação” de Tom Kelley, apresenta um rico arsenal de papéis, máscaras, personas. São elas:

1.    O ANTROPÓLOGO traz observações e insights importantes, pois deixa de lado suas verdades, certezas e “o que sabe”, para olhar além das tradições. Ele aposta nos seus instintos, sua intuição e investe em hipóteses. Tem o senso de ver algo pela primeira vez, mesmo que já tenha observado antes. Em suma, é o curioso que busca pistas onde não é “normal” encontrar.

2.    O EXPERIMENTADOR testa novas ideias, aprendendo na tentativa e erro. Assume riscos, tem paixão pelo trabalho, curiosidade mental e abertura para testar. Transforma as ideias em algo tangível. Recusa-se a ficar somente no plano das ideias, gosta de transformar conceitos em palavras, protótipos e modelos.

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Informação boa em mãos erradas, dá ruim....

Estamos bem acostumados com as tentativas dos países mais desenvolvidos, ou simplesmente poderosos economicamente, em tentar impedir que outros, menos desenvolvidos ou simplesmente mais pobres, ou ainda com regimes “autoritários”, tenham acesso a tecnologia que lhes permita a construção de bombas atômicas. O mesmo acontece com a ideia de restringir o porte de arma, pois uma arma nas... leia mais

3 minutos

Abrir mão exige coragem e responsabilidade

Desde pequenos ouvimos a frase: “não se pode ter tudo na vida”. Diferentes contextos podem trazer interpretações bem diferentes para a mesma frase. Aqui, quero me ater ao teor mais simples e direto: quando escolhemos algo estamos renunciando a todas as outras possibilidades. Desfrutar da praia implica em não estar na montanha. No esquema clássico, trabalhar na empresa “A” implica em... leia mais

4 minutos

Os planos inúteis

Recentemente, na tentativa de planear as minhas atividades, lembrei-me das famosas palavras de (diz-se), Dwight D. Eisenhower: “Antes da batalha, o planeamento é tudo. Assim que começa o tiroteio, os planos são inúteis”. Ou, consoante outras fontes, “Planear é essencial, mas os planos são inúteis”. Seja qual for a forma correta da frase, a ideia, aparentemente um paradoxo, é... leia mais

4 minutos

Sim ou não?

Recebi, na semana passada um “não”, uma resposta inesperada à uma proposta de parceria que eu achava que era irrecusável. Nos primeiros momentos fiquei desapontado, um pouco triste. Fechava-se uma porta e o meu desapontamento era diretamente proporcional com a minha imensa paixão pelo assunto. Mas, depois, não sei de onde, surgiram as perguntas. Será que esta pessoa é, na verdade,... leia mais

4 minutos

Sonhando com a neve

À Eurídice. “Meu sonho é um dia ver neve. Tocar, cheirar e brincar nela.” Recebi esta mensagem de uma amiga que vive na África e tive uma sensação interessante, um pouco estranha, que me fez pensar. Nós, aqui, neste canto da Europa, descobrimos a neve desde crianças. A neve pesada, húmida ou a neve leve, que mesmo um sopro a... leia mais

5 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium