revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #4 - Setembro 2013

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Um outro olhar - Ed. 4

Nossa leitora Maria traz uma questão importante para supervisão nesta edição. Maria escreve: - Um de meus clientes, nos quinze minutos finais da primeira seção, desabafou que não suporta a empresa, o chefe que é um ditador estúpido, e que se sente preso com algemas de ouro. Tem dois filhos do primeiro casamento que mantêm na faculdade e um do segundo que vai prestar vestibular de medicina. Pediu minha ajuda para que ele possa sair desta empresa vendo novas possibilidades e que me contou tudo isto por confiar em mim e no sigilo do Coaching.


Oi, Maria, é importante deixar claro se é um contrato PJ ou PF, mas independente disso, pelo código de ética da ICF, você sem­pre deve manter confidenciali­dade do conteúdo discutido. Se for um contrato pessoa física, qualquer mudança do tema a ser tratado, você já pode tratar direto com o seu cliente. Caso o contra­to seja pessoa jurídica, apesar da pessoa em atendimento ser o seu cliente, o “sponsor” do contrato é a empresa e você deverá honrar aos dois. Com o sponsor é neces­sário considerar o que foi contra­tado em termos do compromisso, objetivos e resultados do proces­so de Coaching. Caso tenha que recontratar com a empresa, em hipótese alguma, você deverá ex­por a pessoa que fará o processo.

É importante ainda considerar qual o tipo de Coaching que você está preparado para fazer. Independente de ser um contra­to PJ ou PF, considerando que seu foco seja um Coaching de desenvolvimento, a pergunta é: você é especializado em recolo­cação? Caso não seja, após aco­lher o desabafo do cliente, dei­xar claro que você não poderia auxiliá-lo na procura de um novo emprego, mas poderia ajudá-lo a resignificar a insatisfação e de­finir caminhos a serem tomados.

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Um outro olhar - Ed. 104

Nosso coach João nos traz o seguinte caso: faço um grande esforço para fazer meu trabalho de coaching de maneira séria e dedicada: estudo diferentes temas relacionados a coaching, faço cursos, atendo seminários e participo de um grupo de supervisão de coaching. Entretanto, noto que quando algum de meus clientes elogia minha atuação como coach, fico desconfortável porque acho que na... leia mais

6 minutos

Um outro olhar - Ed. 103

Nossa coach Maria nos traz o seguinte caso: assisti uma palestra no Converge21 que me deixou confusa. A palestra What's Your Type? The Past, Present, and Future of Personality Testing (Qual seu tipo? Passado, presente e futuro dos testes de personalidade) de Merve Emre critica o MBTI, instrumento que tenho usado há anos. Afinal, esse tipo de instrumento deve ser usados em processos de coaching... leia mais

5 minutos

Um outro olhar - Ed. 102

Nosso coach João nos traz o seguinte caso: iniciei um processo de coaching com um executivo de uma empresa do setor financeiro. Estou surpreso com a falta de repertório sobre sentimentos do meu cliente: ele é muito introvertido e consegue basicamente distinguir dois estados: triste ou feliz. Quando pergunto o que ele sente ou sentiu frente a qualquer situação, ele faz descrições racionais... leia mais

6 minutos

Um outro olhar - Ed. 101

Nossa coach Maria nos traz o seguinte caso: estou conduzindo coaching com um jovem CEO que admiro muito. Ele é humano, tem visão e promoveu transformações importantes na organização onde trabalha, levando-a a um patamar muito melhor em três anos na posição. Tenho notado, entretanto que alguns de seus posicionamentos podem ser considerados machistas: ele considera mais as sugestões... leia mais

6 minutos

Um outro olhar - Ed. 100

Nosso coach João nos traz o seguinte caso: estou conduzindo coaching de grupo junto a supervisores de uma empresa de varejo de grande porte. O objetivo do coaching é eles se apropriarem de seu papel como gestores de pessoas. Os encontros são presenciais e estamos na quarta sessão de uma série de 10. Os supervisores se conhecem, mas não trabalham juntos já que cada um está em um... leia mais

6 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium