revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #25 - Junho 2015

Localize rapidamente o conteúdo desejado

O Burnout nosso de cada dia

Estamos cometendo o erro de considerar um problema como sendo algo cotidiano. E, claro, sofrendo com as consequências.

Quem já ouviu falar em “mal do século” talvez não saiba que, originalmente, a expressão vem da literatura. Tratava-se da imensa força e presença da melancolia e do pessimismo na prosa poética da segunda geração de autores do período conhecido como Romantismo (que tem início no Século XVIII). Também chamado de Sentimentalismo, o mal do século não era uma doença propriamente dita, era mais o retrato de um efeito. O pessimismo capaz de adoecer indivíduo e ambiente, se manifestando na forma de problemas reais: letargia, desvios de comportamento, loucura e depressão.

Qual seria, então, o mal do século XXI?

A depressão levou o título no século passado. Para o médico psiquiatra e escritor Augusto Cury, o problema maior de nosso tempo é a ansiedade. Acredito em algo que vem antes. A ansiedade é a primeira evidência perceptível do estresse. É o sintoma de uma mente que, de tão preocupada com o futuro, não está mais presente na própria vida.

Para mim, o estresse é o mal do Século XXI. A exemplo do pessimismo romântico, ele também é mais sintoma que doença. E é igualmente capaz de levar a diversos desdobramentos. Depressão, distúrbios de comportamento e sono, irritabilidade, apatia. E, como falado anteriormente, essas coisas todas juntas levam ao Burnout.

Mal da mente e do corpo

No artigo anterior, ao falar do quão comuns se tornaram alguns distúrbios decorrentes do excesso de trabalho, resumi a situação afirmando o óbvio: comum não é o mesmo que normal. O ritmo de trabalho, o alto nível de exigência pessoal, profissional, a pressão por desempenho vinda de pares, chefes e familiares, tudo isso reforça uma impressão, cada vez mais enraizada, de que o certo é se matar de trabalhar. Não poderia estar mais equivocado.

Vamos com outra obviedade: para trabalhar, é preciso estar são. Para desempenhar todas as suas atividades e papéis, é necessário que os profissionais tenham condições físicas de performar, além de terem condições mentais de suportar pressão e cobranças. A ironia é que estas são as habilidades minadas pelo estresse. Em médio e curto prazo, a interpretação de que é preciso conviver com ele e aceitá-lo para trabalhar bem é a primeira responsável por afetar negativamente a produtividade do trabalhador.

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Ultrapassando as barreiras dos relacionamentos!

Muitas pessoas têm sucesso, poder, status, mas sentem-se, por vezes, vazias, pois não estão alinhadas. É sobre isso que quero falar, sobre o alinhamento na área mais importante da sua vida, os bons relacionamentos, sem os quais, certamente, você sentirá dor! Como diz um conto Zen, a dor é como um punhado de sal. Se colocado num copo com água, ficará intragável, mas, num lago, será... leia mais

13 minutos

Zona de Conforto ou de Segurança?

E se eu te disser que tem mais uma? Lembro que uma de minhas preocupações, quando jovem, era de ter atitudes corretas. Hoje penso que mesmo não conhecendo o significado do que seria, eu já me preocupava; o que me induz a pensar que queria viver apenas na minha “zona de segurança”. É evidente que nos adaptamos ao meio em que vivemos ao mesmo tempo em que testamos nossos limites... leia mais

8 minutos

O que te dói?

Por uma dessas coincidências da vida, estava refletindo sobre um conflito pessoal outro dia, quando recebi uma mensagem de um velho amigo. A mensagem dele era sobre “mudanças”. Nossa, parece até que ele adivinhou que eu precisava perceber que não estava conseguindo mudar uma situação indesejada! Uma situação que estava me incomodando demais, uma situação de dor, e tudo por causa de... leia mais

12 minutos

Mulher Executiva - Entre mamadeiras e reuniões

Mulheres executivas crescem nas empresas do Brasil e preci­sam conciliar a vida profissional com a pessoal. Estudo apontou que empresas com mulheres em seus con­selhos de administração têm Ebtida 47,6% superior. Ebitda é a sigla em inglês para earnings before interest, taxes, depreciation and amortization, que traduzido lite­ralmente para o português significa: “Lucros... leia mais

6 minutos

Em casa de ferreiro, o espeto é de pau?

Fiquei muito feliz quando recebi o convite do Luciano, ainda mais para uma seção com o nome “Para refletir”! É uma grande satisfação compar­tilhar algumas de minhas impres­sões que, espero, provoquem ou­tras mais em vocês também. Coaching é um processo tão rico, tão efetivo, não é mesmo? Seja qual for o estado desejado que se queira, ele é aplicável. Não há... leia mais

10 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium