revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #78 - Novembro 2019

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Quem sou eu?

Conhecer a alma humana é uma busca que existe desde tempos antigos. Na Grécia Antiga, Hipócrates definiu 4 humores básicos: sanguíneo, colérico, melancólico e fleugmático. Jung definiu quatro tipos psicológicos, base de muitas abordagens que visam conhecer características pessoais e profissionais: intuição, sensação, pensamento e sentimento. Existem diversas outras abordagens e classificações dos tipos humanos. Madá Boog e eu integramos este conhecimento com nossa experiência, e adotamos a terminologia rei – guerreiro – mago – amante, descritos em detalhes em nosso livro “Con-viver em equipe: construindo relacionamentos sustentáveis”, nas versões impressa e eletrônica.

As características de cada tipo, em especial na fase idosa são:

Rei

  • O idoso tipo “rei” tem como missão de vida a inovação. Gosta de empreender, está sempre atento às novidades, é muito curioso.
  • Tende a buscar situações e soluções novas, e é um tanto quanto inquieto, sendo carismático e persuasivo, é apaixonado pela sua mais recente ideia.
  • Mesmo com idade mais avançada quer começar novos projetos.
  • Gosta de estar com amigos, com a família e de um ambiente alegre. Os tipos rei são “alto astral”.
  • O idoso tipo “rei” tende a ser impulsivo e autoritário, sendo às vezes de difícil convivência, pois em discussões quer ter sempre razão. Este idoso fala muito, não dando a palavra aos demais, e um defeito seu é não concluir o que começou.
  • Ele precisa de elogios e reconhecimentos constantes, pois no fundo tem medo de perder o afeto. Por exemplo, ele prepara uma comida especial e fica triste se as pessoas não o elogiarem muitas vezes.
  • No coaching o idoso rei precisa aprender a concluir o que começou, por exemplo, um livro que começou a escrever.  

Guerreiro

  • O idoso tipo “guerreiro” tem como missão de vida a realização. É o “faço, logo existo”.
  • Quer realizar e concretizar coisas. Tem muita iniciativa, não hesita em “arregaçar as mangas” e fazer uma tarefa, seja um relatório, uma carta, enxugar a louça ou jardinagem.
  • Ele faz tudo rápido e quer acabar logo. É uma pessoa determinada, sempre à procura de algo a fazer. Fica inquieto se não tem nada a fazer. As palavras “casa de repouso” trazem aflição a ele.
  • É muito objetivo e dedicado às suas metas. Tende a ser impaciente, intolerante e ansioso, mesmo em idade mais avançada.
  • Pode tornar-se um “velho ranzinza”, pois sendo tão focado em sua lista de afazeres, sempre com pressa, esquece as pessoas ao seu redor, que o veem como insensível.
  • Com a idade virão limites físicos, o que deixa o guerreiro angustiado.
  • Ele precisa aprender no coaching a abrir mão do controle, a viver de forma mais tranquila sua vida, e curtir e confiar mais nas pessoas à sua volta.

Mago

  • O idoso tipo “mago” tem como missão de vida a estruturação. A ordem é para ele muito importante.
  • Este idoso é fundamentalmente uma pessoa organizada e estruturada. Gosta de um lugar para cada coisa e cada coisa em seu lugar.
  • Fica irritado se mexem em suas coisas e tiram da ordem. Seu armário, livros e documentos estão sempre arrumados e classificados. É uma pessoa cuidadosa, disciplinada, meticulosa e precisa.
  • Tudo deve ser exato, o “mais ou menos” o desagrada. É um fiel cumpridor de horários, e fica nervoso com o atraso dos outros, pois sempre procura chegar na hora ou até um pouco mais cedo. Não gosta de imprevistos, e para ele tudo precisa ser planejado com antecedência.
  • Numa viagem, curta ou longa, tem tudo previamente organizado, onde dormir, onde comer, que lugares visitar, e fica em pânico se algo sai do planejado. O idoso mago detesta estar errado, para ele menos que nota 10 é impensável.
  • Tende a ser teimoso em seus pontos de vista. Critica os outros e a si mesmo, e tende a não ser muito sociável.
  • No coaching precisa aprender como lidar com imprevistos, com mudanças e com sentimentos, seus e dos outros.

Amante

  • O idoso tipo “amante” tem como missão de vida a integração. Gosta de pessoas e de um ambiente tranquilo e acolhedor.
  • Seu foco é na harmonia dos relacionamentos, tende a ser calmo e prestativo.
  • Sempre está à disposição dos outros para ajudá-los, quer seja hospedar um amigo em sua casa ou levar alguém da família a um exame médico.
  • É uma pessoa muito tolerante, às vezes em excesso, o que faz dele uma vítima de outros que abusam de sua generosidade.
  • É paciente, busca sempre a resolver divergências nos relacionamentos.
  • Seu lado negativo é ser exageradamente submisso aos outros, não toma iniciativas e falta-lhe assertividade.
  • No coaching precisa aprender a estabelecer limites saudáveis, a dizer “não” quando necessário, mesmo que desagrade aos outros. Detesta confusões, confrontos e instabilidade, fatores que precisa a aprender.

Alguns complementos sobre os tipos dos idosos:

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Envelhecimento: uma época de perdas?

Envelhecer causa mal-estar em muita gente.  A sociedade, as mídias valorizam muito a juventude, deixando pouco (ou nenhum) espaço para os idosos. Nesta fase da vida os limites físicos são crescentes e às vezes muito assustadores; o tempo parece escorrer pelos dedos, com a consciência de que já se viveu a maior parte das vidas; a identidade vai se modificando; muitos parentes e amigos... leia mais

9 minutos

Algo mais que faltava: espiritualidade

Como idosos, muitas vezes fica em nós a sensação de que falta algo. Não sabemos bem o que é, mas é um sentimento de ausência, de não estarmos completos, uma saudade de não sei o que. Ao darmos atenção à dimensão espiritual, poderemos encontrar novas formas de perceber a vida, nos sentirmos mais completos, curtir os bons momentos e lidar com sabedoria com as adversidades. Isto também... leia mais

9 minutos

Apego e desapego no envelhecimento

Há muitos anos o médico americano Dr. Donald Pachuta, disse “todos os meus problemas vêm de meus apegos”. É uma frase forte, com a qual concordo. A palavra apego é muito usada, mas o que realmente significa? Vejam alguns: ·       Sentimento de afeição, de simpatia, que une uma pessoa às pessoas ou coisas de que... leia mais

8 minutos

Você quer cair?

 Ninguém quer cair! Pode ser um tombo, onde vamos de encontro ao chão, ou uma queda psicológica, ficarmos para baixo, caídos, deprimidos. Ninguém quer isto! O Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas (FM/USP) oferece gratuita e periodicamente o curso de Prevenção de Quedas, com exercícios para fortalecimento da musculatura, para reforço do equilíbrio e... leia mais

9 minutos

Bem-estar dos idosos

O rápido e intenso aumento da expectativa de vida no Brasil tem trazido grandes desafios para a sociedade, para as organizações e para os próprios idosos. Em poucos anos a parcela de idosos terá uma dimensão que não permite mais que eles sejam tratados como obsoletos e um peso para a sociedade. As pessoas querem envelhecer bem. Querem bem-estar. O que é o bem-estar do idoso? Bem-estar... leia mais

9 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium