revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #76 - Setembro 2019

Localize rapidamente o conteúdo desejado

O que você tem feito de diferente?

Tarde de segunda-feira. Reunião de idosos, sentados em círculo, compartilhando suas vivências. A Coordenadora do grupo lança a pergunta O que você tem feito de diferente? Um longo silêncio. Momento de expectativa: “O que falarei?” Os participantes estampam em seus rostos expressões de dúvida: “o que virá? O que falarei?” Cada um pensa no que foi rotina e o que tem sido diferente, revendo sua história, remexendo o baú de lembranças antigas e novas, as coisas que têm feito e o que têm deixado de fazer. E aí vieram muitas respostas, mostrando um peso maior da rotina, e as poucas “diferentes” careciam de ousadia e aventura.

Esta foi uma reflexão importantíssima para cada um conscientizar-se de quanto somos conservadores ou inovadores, rotineiros ou aventureiros. Fazer coisas diferentes abre a nossa cabeça, nos expõe a situações novas, nos coloca em contato com o inesperado, e ajuda a resgatar a alegria de viver, principalmente na maturidade.

Com o avanço da idade, a vida tende a se tornar mais rotineira, repetitiva e talvez até... chata. O colorido pode dar lugar a sentimentos amargos e sombrios. A luz brilhante torna-se cinza.

O livro “Normose – a patologia da normalidade”, de Pierre Weil, Jean-Yves Leloup e Roberto Crema, define o termo normose como o conjunto de hábitos considerados normais e que, na realidade, são patogênicos e nos levam à infelicidade e à doença. Uma pergunta essencial na maturidade, mencionada no livro “Mais velhos, mais sábios” é “por que eu não fui o que poderia ter sido?”

Para ler este artigo completo...
é necessário, pelo menos, criar seu conta gratuita.
Faça seu login Crie sua conta gratuita ou Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Motivação em tempos de Coronavírus

Estamos no meio de uma pandemia. O Coronavírus impactou de forma incrivelmente rápida o mundo inteiro, e a crise está aí, afetando a saúde e a economia. As consequências ainda não podem ser totalmente avaliadas. As crises são uma manifestação violenta e repentina de ruptura de equilíbrio e da “normalidade”. É um estado de dúvidas e incertezas, é uma fase difícil e grave, é um... leia mais

9 minutos

Envelhecimento: uma época de perdas?

Envelhecer causa mal-estar em muita gente.  A sociedade, as mídias valorizam muito a juventude, deixando pouco (ou nenhum) espaço para os idosos. Nesta fase da vida os limites físicos são crescentes e às vezes muito assustadores; o tempo parece escorrer pelos dedos, com a consciência de que já se viveu a maior parte das vidas; a identidade vai se modificando; muitos parentes e amigos... leia mais

9 minutos

Algo mais que faltava: espiritualidade

Como idosos, muitas vezes fica em nós a sensação de que falta algo. Não sabemos bem o que é, mas é um sentimento de ausência, de não estarmos completos, uma saudade de não sei o que. Ao darmos atenção à dimensão espiritual, poderemos encontrar novas formas de perceber a vida, nos sentirmos mais completos, curtir os bons momentos e lidar com sabedoria com as adversidades. Isto também... leia mais

9 minutos

Apego e desapego no envelhecimento

Há muitos anos o médico americano Dr. Donald Pachuta, disse “todos os meus problemas vêm de meus apegos”. É uma frase forte, com a qual concordo. A palavra apego é muito usada, mas o que realmente significa? Vejam alguns: ·       Sentimento de afeição, de simpatia, que une uma pessoa às pessoas ou coisas de que... leia mais

8 minutos

Você quer cair?

 Ninguém quer cair! Pode ser um tombo, onde vamos de encontro ao chão, ou uma queda psicológica, ficarmos para baixo, caídos, deprimidos. Ninguém quer isto! O Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas (FM/USP) oferece gratuita e periodicamente o curso de Prevenção de Quedas, com exercícios para fortalecimento da musculatura, para reforço do equilíbrio e... leia mais

9 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium