revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #76 - Setembro 2019

Localize rapidamente o conteúdo desejado

INTUIÇÃO & SINCRONICIDADE EM COACHING

Dentre as competências essenciais para o exercício do coaching profissional definidas pela International Coach Federation - ICF, destaco a 8ª. competência: Criando Consciência, cujos marcadores sinalizam de maneira objetiva o papel do coach no processo a fim de expandir a consciência do coachee e as 9ª, 10ª, e 11ª competências (Projetando ações, Planejamento e Estabelecimento de Metas, e Gerenciando o Progresso e a Responsabilidade) que indicam de forma prática que a tomada de consciência deve, necessariamente, levar a assunção de responsabilidades em termos de ações, atitudes e comportamentos que expressem a transformação ocorrida na vida do coachee.

Convido os leitores a prestarem atenção nesses marcadores e em algumas questões que deles derivam e nas reflexões que proponho a seguir:

Da 8ª. competência (marcadores 1 e 2) espera-se que coach convide o cliente a explorar seu aprendizado na sessão a respeito de sua situação (o “o que”) e a respeito de si próprio (o “quem”), com questionamentos instigantes que o ajudem a refletir sobre seu aprendizado da sessão, o que mudou em sua vida e como pretende aplicar esse aprendizado a partir daquele momento (marcador 4). O 5º Marcador exige que o coach saiba usar o poder da pergunta e da intuição para gerar novo aprendizado do cliente instigando-o a olhar para as novas possibilidades que surgem diante dele a partir daquele momento de expansão da consciência.

As demais competências acima mencionadas sugerem questões que permitem a exploração do progresso do cliente de modo que suas ações e comportamentos manifestem que a direção tomada o levará aos resultados desejados.

Ao coach, como parceiro do coachee, cabe apoiar e instigá-lo para que ele encontre as melhores formas de se responsabilizar (accountability) por si mesmo, porque sem isso, todo o processo poderá ser ineficaz.

Portanto, como todo o processo de coaching deverá promover uma expansão da consciência para tomadas de decisão responsáveis que revelem o compromisso com a transformação do novo “eu” que emergiu, importa, então, entender os cinco modos de tomada de decisão estudados por Richard Barrett:

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

O que realmente sabemos sobre conflitos organizacionais no Brasil?

Um conflito pode ser gerenciado?  De que forma? Quais as causas dos conflitos organizacionais? Qual o papel da área de Recursos Humanos na resolução dos conflitos? Para responder a essas e outras questões relacionadas ao tema conflitos nas organizações, a ABRH-SP vem promovendo, desde 2016, uma pesquisa junto aos seus associados e com divulgação ampla e aberta a todo o mercado... leia mais

11 minutos

Por uma expansão da consciência

Se eu tivesse que escolher uma única coisa desta edição para você levar para sua vida, seria isso: Na Era da Consciência não podemos mais contribuir com ações feitas sem pensar.    Vivemos num ritmo alucinante e estamos testemunhando a crescente onda de burnouts, FOMO (Fear of Missing Out – medo de ficar fora das redes sociais), vício em telas e... leia mais

6 minutos

Dinâmicas Humanas (DH) em vendas e negociações de alta performance

Todos os profissionais de vendas que buscam alta performance de resultados, analisam e entendem as variáveis do mercado, o movimento dos concorrentes, os potenciais das empresas envolvidas (B2B) e os diferenciais dos produtos/serviços, para então tentarem materializar “O Negócio”. Muitas vezes, e após desenvolverem os planos de negócios bem estruturados e com excelente margem para... leia mais

8 minutos

Como eu gosto de receber e realizar uma tarefa no meu trabalho

Introdução O trabalho abordado neste artigo é uma pequena parte resultante do estudo das Dinâmicas Humanas iniciados há mais de 20 anos (no Brasil) somados às minhas experiências vividas profissionalmente. Quando falamos em dinâmicas humanas, não estamos tentando rotular pessoas com essa ou aquela característica, mas agrupar pessoas por similaridades quanto ao seu modo de processar... leia mais

19 minutos

A distinção do trabalho para grupos e o trabalho com grupos

Trabalhar com a coordenação de processos grupais requer um olhar atento do profissional que assume este papel, em relação as singularidades que constituem o coletivo e por sua vez, dos indivíduos que o compõe. A complexidade e incerteza que residem no ser humano que é “simultaneamente social, físico, biológico, cultural, psíquico e espiritual” (MORIN, 1998, p.138) também se... leia mais

12 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium