revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #37 - Junho 2016

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Editorial - Ed. 37

Caro leitor,

Trazemos nossa edição de número 37 com uma provocação/desabafo: Coaching Picareta.

Quem se dedica ao Coaching com seriedade, afinco e coração, sente, no dia a dia, crescer o receio de pessoas e empresas em relação tanto à metodologia como a quem a aplica. Já discutimos várias vezes na Revista a questão das formações de Coaching, (veja edição 32), onde muitas se transformaram em verdadeiras fábricas de coaches (veja edição 8), despejando no mercado centenas de novos coaches por mês.

Agora queremos abordar o resultado disto. Um tipo que está literalmente destruindo a imagem do Coaching, além de colocar em risco pessoas que a ele confiem suas dúvidas, incertezas, planos e metas.

Nota-se nitidamente dois tipos de coaches picaretas no mercado. Um intencional e outro não-intencional. Embora ambos sejam perigosos, o primeiro parece que irrita mais, pois possui alta visibilidade em redes sociais, utiliza o marketing digital de forma agressiva e faz promessas de salvação incríveis.

Este tipo, muitas vezes, tem poucas horas de formação, de qualidade questionável, mas brada aos quatro ventos um curriculum sensacional, inclusive com número de horas de atendimento de fazer inveja aos mais experientes. Alega cobrar valores muito altos e seu grande foco é o de ensinar você a fazer o mesmo. Novamente, voltamos, não à prática do coaching como fonte de renda, mas à formação de outras pessoas. O mesmo ocorre na área de palestrantes. Quem mais ganha dinheiro são aqueles que lotam salões com formações para novos palestrantes, vendendo a fórmula do sucesso.

O não-intencional é aquele que, após uma formação, acredita ser o novo salvador do planeta e vai se dedicar de corpo e alma a “ajudar pessoas”. Como acredita ter em mãos todas as ferramentas de que precisa, não investe em novas formações, ou estudos sobre a natureza humana, psicologia, filosofia, etc. Assim, a cada dia, vai aceitando desafios maiores para os quais não está preparado, colocando o cliente em sérios riscos.

Para discutir estes e outros pontos, montamos um dossiê incrível com cinco artigos produzidos por autores muito experientes e competentes.

Tenha uma excelente leitura,

Luciano Lannes
Editor

Artigo publicado em 07/08/2017
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Editorial - Ed. 100

Caros leitores, tenho tanto a compartilhar, falar, comentar, e ao mesmo tempo, um cansaço me invade a alma. Vivemos em uma sociedade que cultua a felicidade fácil, eterna, incondicional, que até originou o termo felicidade tóxica. Vivemos os tempos do empreendedorismo rumo ao sucesso, onde em vídeos e textos, experiências fantásticas são compartilhadas, do zero aos múltiplos... leia mais

4 minutos

Editorial - Ed. 99

Caros leitores, falar sobre Burnout é muito importante, ainda mais em tempos de confinamento, isolamento social e uma sobrecarga de trabalho cada vez mais relatada e comentada. Quando defino um tema para o dossiê, o primeiro passo é eleger quem fará a coordenação, função mais que fundamental, pois esta figura, além de notório saber sobre o assunto, necessariamente precisa possuir... leia mais

4 minutos

Editorial - Ed. 98

Caros leitores, foi no dia 26 de fevereiro de 2021 que Christine Bona De Napoli, em uma conversa que tivemos no WhatsApp, me propõe um dossiê sobre Codesenvolvimento. Começamos a papear,  e ela, apaixonadamente, começa a falar sobre a metodologia, origem, fundadores e as possibilidades que esta abordagem pode trazer para o mundo do Coaching e de quem trabalha com Desenvolvimento Humano... leia mais

4 minutos

Editorial - Ed. 97

Caros leitores, esta é uma edição especial e comemorativa. Ela marca os oito anos desta caminhada, iniciada em uma viagem que fiz a Canela, no Rio Grande do Sul, para participar de uma formação em Storytelling, que também já foi tema de um dossiê. Naquela ocasião, já com minha consultoria há 5 anos, pensava em minha vida e carreira, e sentia que havia um espaço a ser... leia mais

4 minutos

Editorial - Ed. 96

Caros leitores, em seu artigo, Carolina Messias e Michelle Prazeres citam o sociólogo francês Philippe Zarifian, que conceitua o termo “comunicação autêntica” como: “um processo pelo qual se instaura uma compreensão recíproca e se forma um sentido compartilhado, resultando em um entendimento sobre as ações que os sujeitos envolvidos são levados a assumir juntos ou de maneira... leia mais

3 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium