revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #25 - Junho 2015

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Coaching Executivo e a nova geração de executivos

“Ser Coach de um jovem e talentoso promovedor de mudanças poderá ser muito gratificante.”
Joris Merks-Benjaminsen (2015) 

Muito tem sido escrito a respeito da chamada geração Y ou dos Millennials, que designa o grupo de pessoas nascidas entre 1980 e o fim do século XX. Este grupo, na maioria dos casos, é caracterizado através das diferenças com as demais gerações e não como um processo cíclico que se repete à medida que uma nova geração, ao atingir a idade adulta, passa a assumir papéis e responsabilidades na arena social. Trata-se, pois, de um movimento sucessório ininterrupto que, além de garantir a continuidade das sociedades, constitui também a força motriz do processo de transformação social.

Cada geração, por ter nascido e crescido num ambiente sui generis, diferente daquele de seus ascendentes, desenvolverá algumas características e valores comuns aos quais se agregam, por um lado, às particularidades inerentes a cada ser humano e, por outro, às influências sócio econômicas e tecnológicas de um certo período histórico.

Hoje, vivemos uma situação inédita no cenário corporativo: a convivência de três e até quatro gerações no ambiente de trabalho, sendo que a posição de chefia é, por vezes, ocupada pelos mais jovens, o que tende a gerar choque de valores, de visão de mundo, de relacionamentos e de objetivos.

O ingresso progressivo da geração Y ou Millennials na força de trabalho tem atraído a atenção dos estudiosos produzindo alguns levantamentos que buscam colher dados sobre padrões de comportamento atípicos observados nesta geração.

Dentre os estudos mais recentes, destacamos os seguintes:

1. Miths Exaggerations and Uncomfortable Truths (2015), realizado pela IBM com 1.784 funcionários (pertencentes às 3 gerações, Millennials ou Geração Y entre 18 e 34 anos, Geração X entre 35 e 49 anos e Baby Boomers, entre 50 e 60 anos) funcionários de empresas em 12 países.

2. Millennials: Understanding a Misunderstood Generation (2015), realizada pelo INSEAD, em colaboração com a UNIVERSUM e a HEAD FOUNDATION, que abrangeu 16.637 pessoas entre 18 e 30 anos em 43 países da Ásia, África, Europa, América Latina, Oriente Médio e América do Norte entre Maio e Agosto de 2014.

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Tempos Pós-Normais: A Mudança está Mudando

“Existem dois tipos de mudança: a que nos acontece e a que fazemos acontecer.” Rosa Alegria Estamos entrando numa nova era da história. Saindo de um modelo que não estava dando certo – entrando num outro que ainda está por mostrar a que veio, nos defrontamos com o mais alto grau de incerteza já vivido, inaugurado pela pandemia covid19. O contato da experiência... leia mais

15 minutos

Falemos sobre imunidade à mudanças

Foi no dia 15 de novembro de 2014 que o professor Robert Kegan conquistou a atenção de mais de 400 coaches reunidos na conferência global da ICF, no Rio de Janeiro. Entrou com seu notebook em mãos e, com voz tranquila e segura, conduziu uma palestra intercalada com atividades em dupla. Ao final, boa parte dos participantes havia identificado crenças, até então inconscientes, que... leia mais

14 minutos

A história do CliftonStrengths se originou com uma pergunta e pode continuar com outra

Os melhores coaches inspiram as pessoas com suas perguntas. E assim fez Dr. Donald O. Clifton que com um questionamento simples - mas poderoso - deu início ao movimento global de Pontos Fortes que hoje impacta tantas vidas. "O que poderia acontecer se estudássemos o que está certo com as pessoas?" Ele a formulou depois que percebeu que toda a literatura de psicologia disponível na... leia mais

12 minutos

ICF Portugal: um Caso de Boas Práticas

Escrevemos este artigo com o objetivo que partilharmos a nossa experiência de criar um modelo de gestão e comunicação de uma associação de coaching, a ICF Portugal, criado para concretizar uma visão estratégica clara, baseada em princípios da inteligência coletiva e da nossa convicção de que era possível inspirar e envolver a comunidade de membros, convidando-os a ter uma... leia mais

10 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium