revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #98 - Julho 2021

Localize rapidamente o conteúdo desejado

O grupo de Codesenvolvimento: um poderoso método de inteligência coletiva

Espaço colaborativo de aprendizagem, abordagem pedagógica, comunidade para o desenvolvimento das práticas profissionais, são alguns dos qualificadores utilizados nos últimos vinte e cinco anos para classificar o grupo de codesenvolvimento profissional (GCP).

Alguns marcos

O grupo de codesenvolvimento profissional constitui uma proposta de abordagem e método bastante precisos definidos em um livro que estabeleceu as diretrizes (Payette e Champagne, 1997) e em uma nova publicação mais recente (Champagne, 2021). Desenvolvido por Adrien Payette na sua prática como professor de management na ENAP (École Nationale d’Administration Publique) e por Claude Champagne na formação de gestores na rede de saúde e serviços sociais, oferece um processo específico e estruturado de reflexividade, troca, partilha e ajuda mútua. Este processo visa a aprendizagem, bem como o desenvolvimento da prática profissional a partir de assuntos apresentados pelos participantes que são levados a adotar uma postura de “praticador-pesquisador” na investigação e na entreajuda.

A prática do grupo de codesenvolvimento profissional cresceu inicialmente no Quebec, um estado francófono do Canadá, depois se espalhou pela França, Bélgica e outros países francófonos e, mais discretamente, internacionalmente. Tanto a produção escrita e audiovisual como as publicações científicas se multiplicam sobre o assunto.

O GCP é usado em organizações dos setores público, “parapúblicos”, empresas privadas, nacionais e internacionais, empresas de consultoria, organizações associativas e comunitárias, conselhos de profissões regulamentadas, instituições educacionais e universidades, setores profissionais e não profissionais junto a  profissionais diversos: gerentes, professores, organizadores comunitários, assistentes sociais, psicólogos, coaches, advogados, enfermeiras.

Para ler este artigo completo...
é necessário, pelo menos, criar seu conta gratuita.
Faça seu login Crie sua conta gratuita ou Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

O poder da autocompaixão: conceitos e ideias errôneas

“Um momento de autocompaixão pode mudar todo o seu dia. Uma série de momentos como esse pode mudar o curso de sua vida.” Christopher Germer Há 5 anos, ouvi pela primeira vez a palavra autocompaixão e pensei: “Eu não sei exatamente o que é isso, mas sinto que preciso de compaixão”. Nesse momento, associei autocompaixão a ser mais bondosa comigo de alguma maneira. Ao longo dos... leia mais

16 minutos

Coaching de Grupos e Equipes

“(...) Olhe, pro futuro confiante, pois a distância posso ver que no século XXI, surge um novo amanhecer (...) “ Viva a Gente - 1969 Segundo o Paradigma Luz, de Borges (1994) – “ A Construção do Ser e do Saber” é de bom tom olhar o antigo para poder entender e lidar com o novo, com a atual necessidade do aqui e agora, mas não apenas olhar, ver, ouvir e escutar para aquilo... leia mais

17 minutos

As seis dimensões da Síndrome de Burnout: compreender e prevenir

A Síndrome de Burnout pode ser prevenida! Quantas pessoas gostariam de ter evitado chegar ao esgotamento, ao sentimento de não se reconhecer mais e perder a confiança em si mesmas, em suas capacidades de concentração, de memória e de regulação emocional... Após ter vivido a síndrome e acompanhado dezenas de pessoas no processo de recuperação, considero essa experiência como um... leia mais

15 minutos

A liberdade genuína em nossa atuação prática

“Nossa vida é composta a partir de atos da liberdade e da falta de liberdade. No entanto, não podemos pensar sobre o conceito completo do ser humano, sem chegar ao espírito livre como a mais pura manifestação da natureza humana. Somente somos verdadeiros seres humanos na medida em que somos livres.” Rudolf Steiner Em nossa jornada na vida, frente aos... leia mais

14 minutos

Humanizar a comunicação: reivindicar e pesquisar práticas comunicativas humanizadas

“[Comunicar] trata-se de fazer o outro chegar perto da emoção e da força do vivido.” Ciro Marcondes Filho (2019, p. 26) Quando observamos a circulação do termo “comunicação” acompanhado de adjetivos que reforçam suas qualidades subjacentes, entendemos que pode haver uma ponta de denúncia e outra de reivindicação. Denúncia de uma comunicação mecânica, automática e... leia mais

14 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium