revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #96 - Maio 2021

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Editorial - Ed. 96

Caros leitores,

em seu artigo, Carolina Messias e Michelle Prazeres citam o sociólogo francês Philippe Zarifian, que conceitua o termo “comunicação autêntica” como: “um processo pelo qual se instaura uma compreensão recíproca e se forma um sentido compartilhado, resultando em um entendimento sobre as ações que os sujeitos envolvidos são levados a assumir juntos ou de maneira convergente”.

Quando pensamos no sentido original da palavra comunicação, “communicare”, tornar comum, ele nos traz um forte laço com a escuta, a empatia, a troca e o diálogo. Com o passar do tempo, não necessariamente com o desenvolvimento ético e de valores do ser humano, a comunicação se transformou em ferramenta de disputa, baseada na articulação e muitas vezes manipulação de narrativas.

Este movimento, que transforma a comunicação em ferramenta, instrumento, de disputa e poder, abre espaço para o surgimento de outras abordagens como a comunicação humanizada, o que a princípio parece um pleonasmo.

Este dossiê, coordenado por Káritas Ribas, traz nove artigos muito ricos, que irão possibilitar uma reflexão ampla sobre o significado, amplitude e importância da Comunicação Autêntica.

Ela necessariamente ocorre em um contexto bem diferente da comunicação com a qual estamos acostumados, estilo ping pong. Para começar, ela necessita de um ambiente de confiança, física, emocional e psicológica. Um ambiente que vai muito além da simples não agressão, ele pressupõe e até exige uma postura diferente da que estamos acostumados no paradigma da disputa e do enfrentamento.

Fico feliz que nestes tempos conturbados, pudemos trazer este tema para iluminar os pensamentos, fortalecer os conceitos e incentivar uma nova ação, efetivamente conectada com o que temos de mais humano, o amor, a solidariedade, a empatia e a compaixão, nas palavras de Carolina Messias, Michelle Prazeres, Carolina Nalon, Dumit Abbud, Fabiana Bustamante, Giovana Belfiore, Káritas Ribas, Kau Mascarenhas, Paulo Corniani e Priscila Fonseca.

Que este dossiê possa ser um marco na forma de muitas e muitas pessoas verem e praticarem o diálogo de almas, de forma segura, autêntica, legítima e para benefício mútuo.

Tenha uma excelente leitura.

Luciano Lannes

Editor

Artigo publicado em 03/05/2021
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Editorial - Ed. 100

Caros leitores, tenho tanto a compartilhar, falar, comentar, e ao mesmo tempo, um cansaço me invade a alma. Vivemos em uma sociedade que cultua a felicidade fácil, eterna, incondicional, que até originou o termo felicidade tóxica. Vivemos os tempos do empreendedorismo rumo ao sucesso, onde em vídeos e textos, experiências fantásticas são compartilhadas, do zero aos múltiplos... leia mais

4 minutos

Editorial - Ed. 99

Caros leitores, falar sobre Burnout é muito importante, ainda mais em tempos de confinamento, isolamento social e uma sobrecarga de trabalho cada vez mais relatada e comentada. Quando defino um tema para o dossiê, o primeiro passo é eleger quem fará a coordenação, função mais que fundamental, pois esta figura, além de notório saber sobre o assunto, necessariamente precisa possuir... leia mais

4 minutos

Editorial - Ed. 98

Caros leitores, foi no dia 26 de fevereiro de 2021 que Christine Bona De Napoli, em uma conversa que tivemos no WhatsApp, me propõe um dossiê sobre Codesenvolvimento. Começamos a papear,  e ela, apaixonadamente, começa a falar sobre a metodologia, origem, fundadores e as possibilidades que esta abordagem pode trazer para o mundo do Coaching e de quem trabalha com Desenvolvimento Humano... leia mais

4 minutos

Editorial - Ed. 97

Caros leitores, esta é uma edição especial e comemorativa. Ela marca os oito anos desta caminhada, iniciada em uma viagem que fiz a Canela, no Rio Grande do Sul, para participar de uma formação em Storytelling, que também já foi tema de um dossiê. Naquela ocasião, já com minha consultoria há 5 anos, pensava em minha vida e carreira, e sentia que havia um espaço a ser... leia mais

4 minutos

Editorial - Ed. 95

“As pessoas são contratadas pelas suas competências técnicas e são demitidas pelas suas incompetências comportamentais”. Esta frase é muito conhecida pela maioria daqueles que trabalham com pessoas, principalmente no meio organizacional. Os manuais sobre o sucesso não se cansam de frisar que muito mais importante do que o seu QI, sua capacidade cognitiva, especialmente no que... leia mais

4 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium