revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #93 - Fevereiro 2021

Localize rapidamente o conteúdo desejado

De “Fazedora” a Líder – Uma Jornada Generativa

Esta jornada que convido vocês a navegarem comigo começa no seminário “Foundations of Generative Leadership” (Fundamentos da Liderança Generativa), que assisti com Bob Dunham. Neste seminário, ele fez uma pergunta tão simples e poderosa como essa: “What do you care about?” (Com o que você se importa? O que lhe importa cuidar?).

Abro aqui espaço para um contexto. Eu sempre fui uma “fazedora”. Tenho diversas habilidades e capacidades, além de práticas aprendidas no meu contexto familiar que fizeram com que este viés de “fazedora” se confundisse inclusive com a minha própria identidade. Tenho altos estândares (padrões) de qualidade de entrega (gosto que tudo seja muito bem feito). Sendo assim, sempre julgaram a minha entrega excelente, o que reforçou ainda mais o valor desta identidade “fazedora” no mundo. No entanto, ao longo dos últimos anos e com muitas horas de conexão e reflexão comigo mesma, já não me sentia mais satisfeita. E confesso, andava esgotada! Me sentia, isso sim, numa rodinha de hamster, a mil por hora, fazendo, fazendo, fazendo, com meus “clientes” satisfeitos e eu mesma, insatisfeita e não encontrando muito sentido neste fazer todo.

Corto e volto ao seminário e à pergunta simples e poderosa de Bob: “What do you care about?” (Com o que você se importa? O que lhe importa cuidar?). Branco total radiante. Não sabia responder claramente a esta simples pergunta. No seguinte intervalo do seminário, fui conversar com Bob e contar a ele o que me passava. Ele, com um ar compassivo e desafiante ao mesmo tempo, disse: “Isso não é você, Marta. Não saber o que nos importa parece ser o “quiebre” que vivemos atualmente como seres humanos. Não tenha pressa, o importante agora é entrar na exploração do que importa a você”. Ufa... Pelo menos assim não me sentia sozinha.

Entrei nesta exploração acompanhada de coaches generativos, e tem sido uma grande jornada (diria até uma grande aventura!), não só de reflexão, mas também de incorporação de novas práticas, abertura de novas conversas e geração de novos resultados.

Para ler este artigo completo...
é necessário, pelo menos, criar seu conta gratuita.
Faça seu login Crie sua conta gratuita ou Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Transformação Digital, complexidade, pessoas e futuro

Falar de transformação digital é falar de gente, nunca de tecnologias, é falar sobre como as tecnologias exponenciais combinadas entre si podem mudar a feição da própria sociedade e sobre os benefícios que elas trazem às pessoas. Tecnologias nunca foram uma finalidade em si, elas se esgotam, são meios pelos quais buscamos a melhoria da qualidade da vida humana, porém ao longo do... leia mais

18 minutos

Visão a partir de um exemplo no Design

Talvez a tarefa mais complexa de um designer seja deixar clara a visão de um projeto de design. Este desafio compreende saber aonde se quer chegar com o projeto. Por exemplo, em um projeto de identidade visual se concentra toda a essência de um produto, empresa ou instituição, e é de se esperar que a visão desses segmentos esteja clara, cabendo ao designer a missão de desenvolvê-la por... leia mais

12 minutos

Visão Organizacional –  Algo compartilhado?

E, em um dia solene, a ser celebrado por muitos e muitos anos, o fundador, de caneta em punho, assina a documentação de estabelecimento de seu negócio. Com a voz embargada, ergue a caneta e diz: “Seremos a maior empresa de “X” do Brasil!”. “Opsss... Para o filme! É isso mesmo, produção?” Brincadeiras à parte, como garantir que, o que foi profetizado naquele momento em... leia mais

11 minutos

Imunidade ao Sucesso

Ao me sentar para escrever este artigo, quase não consegui.  Uma tensão e senso de urgência vem permeando minhas últimas semanas de maneira intensa, e mesmo me dando conta da origem racional e emocional, ainda sou pega de surpresa pela dor nas costas e cabeça no final do dia. Adaptar-se a este “novo normal” vem sendo desafiador em muitas camadas, de formas conscientes e não... leia mais

15 minutos

Qualidades Espirituais

Quando uma pessoa diz que é um atleta, está apenas identificando sua prática esportiva ou sua profissão, mas não necessariamente podemos concluir que se trate de um excelente atleta. Para tanto, ela deve possuir e praticar certas qualificações físicas, emocionais, culturais e, sobretudo, de performance: que resultados tem obtido como atleta? ... leia mais

14 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium