revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #93 - Fevereiro 2021

Localize rapidamente o conteúdo desejado

O Poder de Todos: É a voz de um líder autêntico

Após os 35 anos de idade, já tendo tido anos de experiência em sua vida profissional com grande sucesso em diversos cargos gerenciais e diretivos, seguindo os padrões e modelos de liderança e a visão que aprendeu de outros, você começa a perceber que as regras que você tem seguido até hoje são formatos que não preenchem 100% da voz que você quer representar.

Você reconhece em você mesmo um padrão mais sensível, empático, colaborativo e está convencido, talvez em silêncio, de que a alegria e a autenticidade alcançam mais e melhores resultados. Inclusive, você já comprovou isso em si mesmo e com o seu time, mas mesmo assim, você não se atreve a fazê-lo de forma pública. Isso fez você questionar se as formas corporativas tradicionais ainda fazem sentido para você, e se a forma de poder e política com a qual você vem trabalhando sempre não é mais sua, e possivelmente onde você está agora já não é mais a “sua casa”, mesmo que, até agora, você a tenha cuidado como se fosse sua.

Quando conheci Bob Dunham em 2008, esta era a minha história. A mesma história de muitos dos CEOs, VPs, diretores e profissionais que chegam às minhas mãos hoje como coach e consultora executiva, e CEO do Instituto de Liderança Generativa para a América Latina.

Minhas inquietações quando o conheci estavam focadas em três pontos:

1. Os líderes devem ser responsáveis, além dos resultados, pelo crescimento de todas as pessoas que estão em suas organizações, são responsáveis pela vida dessas pessoas;

2. As organizações nas quais trabalhei, em 80% das vezes, buscavam consultores fora do país para nos orientar em decisões importantes de liderança, mesmo que não conheciam nossos países, cultura e formas de sentir e expressar emoções;

3. Eu seguia me perguntando se era eu que estava equivocada ou se o mundo empresarial não era mais para mim.

Neste momento, minha visão não estava 100% clara, e como eu disse antes, eu seguia me perguntando se precisava continuar no modelo de negócios tradicional, então talvez precisasse me preparar ou estudar mais. Sentia que algo me faltava, ao custo de sentir que havia um chamado maior que eu não estava seguindo, e que a cada dia me fazia sentir mais impostora no lugar em que eu estava. Sentia que estava ficando cada dia mais apagada, e ficava somente na inércia de seguir sendo uma executiva de sucesso, fazendo o que havia aprendido de olhos fechados, para não perder o que eu já tinha feito, e que me proporcionava reconhecimento, ainda que não me desse vida.

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

O Grupo: Poder ou Fraqueza?

2021. Verão. Jogos Olímpicos de Tóquio, um espetáculo do nosso mundo, com histórias de trabalho e de talento, de alegria e de desapontamento, com histórias sobre as ultrapassagens dos limites do ser humano. Na manhã do dia 25 de julho, na prova feminina olímpica do ciclismo de estrada, não se anunciavam surpresas. As favoritas faziam planos e sonhavam com a medalha olímpica de ouro,... leia mais

13 minutos

É possível mudar o ritmo do estresse?

Temos uma tendência (nada saudável) de normalizar as situações que ocorrem com frequência. Há algum tempo o “será que vai chover?” foi substituído pelo “estou na correria”. A pressa foi normalizada e passou a ser assunto de elevador, daqueles que não surpreendem mais ninguém. Hoje em dia, a correria já é comumente substituída pelo “estou exausta(o)”. O cansaço também... leia mais

14 minutos

O Codesenvolvimento no contexto pandêmico e virtual

A pandemia, que está afetando todos os continentes ao mesmo tempo, nos obrigou a desenvolver capacidades notáveis de adaptação. Isto é verdade tanto para as empresas, que foram capazes de implementar rapidamente ferramentas de trabalho a distância, quanto para os funcionários envolvidos, que aprenderam a utilizá-las e as integraram em seu trabalho diário. Como coach, antes desta crise,... leia mais

9 minutos

O coaching uma oitava acima

“Quando uma ou mais pessoas estiverem presentes, em meu nome, EU estarei presente”. Esta frase é Crística e, portanto, arquetípica podendo resumir o poder e a magia que surgem nas sessões de coaching, nos momentos em que a conexão acontece e passamos a caminhar junto com o cliente, envoltos por uma clarividência trabalhada em conjunto, numa oitava acima. Esse nível de aprofundamento,... leia mais

13 minutos

Autenticidade não é Sincericídio

Em uma das maiores pesquisas feitas sobre satisfação e engajamento no ambiente de trabalho, o Instituto Gallup entrevistou, entre 2014 e 2016, 2,7 milhões de profissionais de 276 organizações em 155 países. Eles descobriram que somente 15% dos entrevistados se sentiam altamente engajados com o trabalho que faziam, ou seja, psicologicamente envolvidos em suas atividades e motivados a serem... leia mais

11 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium