revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #90 - Novembro 2020

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Desafio da imunidade à mudança em uma equipe

Como coaches, somos convidados em diversas situações para “resolver o problema da equipe por definitivo” ou para “motivar colaboradores”. Esses convites sempre criaram em mim alguns desconfortos, até que adotei – tanto por hábito e baseada na minha ética profissional –  a prática de esclarecer e reforçar junto a esses clientes que naquelas situações era preciso lidar com algo chamado imunidade à mudança. Em outras palavras, procurava explicar que a mudança das equipes só pode ser iniciada por meio da reflexão e autoconhecimento de cada ser humano, para então trabalhar o processo coletivo.

Mas “nem tudo é terra arrasada”, como nos ensina a história, para não desistirmos frente aos primeiros obstáculos e ameaças. Afinal de contas, identificar quais são os potenciais de cada equipe e empoderar cada integrante também precisa permear a nossa prática como coaches.

Os relatos são diversos, ouvimos com igual normalidade histórias baseadas em fatos reais, outras nem tanto. É provável que você já tenha vivenciado situações semelhantes como coach. No meu caso, elas me estimularam a aprofundar estudos sobre a mudança dos seres humanos e de suas equipes, identificando a imunidade à mudança.

De forma persistente, Robert Kegan e Lisa Lahey, dois professores da Harvard University, estudam esse tema há mais de 40 anos. Eles nos instigam a repensar à nossa maneira de compreender a nossa imunidade à mudança, tanto no âmbito individual como no coletivo.

A intenção deste artigo é  descrever  a experiência de abordagem da imunidade à mudança por meio do uso do mapa coletivo em uma equipe de uma instituição educacional privada no decorrer do ano de 2016.

Quem sou eu e quem somos nós?

A autorreflexão e autoconhecimento são processos iniciais de qualquer trabalho organizacional, e não por um acaso são aspectos críticos em todos os tipos de relacionamentos. O papel oculto da emoção na superação do desafio de mudar, e a necessidade do ser humano de encontrar uma maneira de levar aquilo que pensa como uma experiência pessoal para esfera coletiva levaram Kegan e Lahey (2010) a recomendar a construção inicial do mapa individual nas equipes previamente à elaboração do mapa coletivo.

Existem diversas maneiras possíveis para uso do mapa de imunidade à mudança coletivo, e é importante considerar variáveis como tamanh o do grupo; relações hierárquicas; natureza da coletividade; e disponibilidade ou interesse dos integrantes da equipe em participarem. Nessa experiência específica da escola, encontros prévios foram realizados com objetivo de fortalecer a relação de confiança, possibilitando maior abertura,  clareza e entendimento das várias partes que compunham o todo. É essencial reforçar que encontros com tal finalidade contribuíram, sob nosso olhar, para que resultados pudessem ser alcançados posteriormente assim como para superar momentos de adversidade dentro do grupo durante a construção do mapa coletivo.

Apresentamos a seguir o quadro 1, que demonstra o modelo do mapa adotado para a experimentação com a equipe da referida escola. Na construção da coluna 4, os medos e receios são normalmente individuais, e trazer o consenso da equipe participante é um desafio tanto para o facilitador quanto para o grupo. Dessa forma, adaptamos o mapa, e não utilizamos ao padrão tradicional do formato da Coluna 3 – Compromissos ocultos, iniciado pela “Caixa de receios / medos”. Trabalhamos diretamente com os compromissos ocultos, sem prejuízo de resultados finais.

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Liberte-se do que te faz mal

Alguma vez você teve dificuldade de se desvencilhar de uma roupa que você não usa mais só por que ela foi custou caro? Ou continuou a assistir um filme que você estava odiando só porque o ingresso já estava pago? Vários autores já identificaram a tendência de insistirmos em continuar investindo em coisas que nos fazem infelizes ou que tem um impacto negativo em nossas vidas com a... leia mais

9 minutos

Segurança Psicológica de Times e trabalho híbrido, uma conexão promissora

Praticamente dois anos após o isolamento social da maioria da população, com o avanço da vacinação e, assim, do controle da pandemia, grande parte das corporações já definiu como será seu “novo normal”. Aproximadamente 75% das empresas, de acordo com pesquisa da Great Place to Work, optaram por adotar o modelo híbrido de trabalho, que significa trabalhar presencialmente em parte do... leia mais

11 minutos

Conselhos de um sábio para um ano bom

Quero ver os fogos lá de fora! Foi o que eu disse em tom sorridente, já pronta para compartilhar as boas-vindas de Ano Novo. Com algumas colheradas de lentilha a caminho do estômago, retirei cuidadosamente duas sementes de romã que me escaparam dos dedos rumo à minha roupa branca imaculada. Eram para ser guardadas na carteira. Eu conhecia essa tradição desde pequena, sem nunca ter... leia mais

13 minutos

Ano novo, coração novo: uma viagem de volta ao presente

Quem é que não tem uma ferida no coração?  Todos os corações da Terra, em maior ou em menor grau, possuem, cada qual, suas dilacerações. Todos sangram, pois é natural da vida ferir-se, e ainda assim, seguir caminhando. No entanto, existe um acontecimento mágico, que ocorre uma vez por ano, em uma data especial - um rito de passagem que perpassa o coração de cada ser humano, e o... leia mais

14 minutos

O caminho para a presença no Coaching

(Science - The Way of the Mindful Coach) Este é o registro que ofereço da excelente apresentação feita pela Dr. Colleen Lightbody, MCC, PhD. Os seguintes objetivos foram propostos para a apresentação: • Entender mindfulness, cuja tradução literal pode ser “atenção plena”, como um conceito holístico, envolvendo corpo, razão, emoção e espírito, que permite ao coach... leia mais

14 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium