revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #88 - Setembro 2020

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Coaching Baseado em Pontos Fortes

A abordagem do coaching de Pontos Fortes vem sendo desenvolvida pela Gallup há décadas, baseada no sonho de Don Clifton de que pudéssemos olhar cada ser humano a partir do que tem de melhor. E tal abordagem vem revolucionando a forma como as pessoas pensam sobre desenvolvimento humano, profissional e empresarial.


Talentos e Pontos Fortes

O coaching orientado pelos pontos fortes dos coachees está lastreado por dois conceitos centrais: talentos e pontos fortes.

Dentro do paradigma proposto, “um talento é um padrão natural de sentimento, pensamento ou comportamento que pode ser usado de maneira produtiva”. Na medida em que os talentos de uma pessoa são desenvolvidos, eles podem se transformar num ponto forte, que é “a capacidade de produzir consistentemente um resultado positivo por meio do desempenho quase perfeito em uma tarefa específica”. Dizemos que para terminar com pontos fortes, começamos com talentos. Eu gosto de pensar que o talento é a semente, enquanto o ponto forte é a planta. O talento é o “ser” e o ponto forte é o “fazer”.

Premissas A abordagem do Desenvolvimento Baseado em Talentos e Pontos Fortes assume algumas premissas importantes. São elas: 

Conhecimentos e técnicas podem ser aprendidos, mas as inclinações naturais, não. Pense na hipótese de ensinar alguém que não é competitivo a assumir essa postura, ou treinar alguém mais tímido para ser carismático. A crença subjacente é que é possível mudar a forma como as pessoas realizam as coisas, mas não é possível mudar a essência de um ser humano de forma substantiva. Pelo menos não para que ela atinja a excelência naquela característica. Uma pessoa com o tema de talento Carisma pode até aprender como agir de forma mais reservada em alguns momentos (a forma como faz), mas será muito difícil, emocionalmente caro e pouco efetivo tentar alterar os elementos centrais de sua personalidade (aquilo que é). Acrescento a essa premissa, a constatação de que isso não é necessário, e que cada pessoa pode descobrir o seu jeito de realizar o que quer realizar, sem ferir a sua essência, articulando aquilo que ela tem de naturalmente bom, ao invés de lutar contra o que não tem;

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Imunidade à Mudança e Carreira

A imunidade à mudança e a velocidade na carreira.  Velocidade! É a palavra que eu mais ouço dos coachees quando uso a ferramenta ITC – Immunity to Change, elaborada por Robert Kegan e Lisa Lahey. Velocidade para chegar ao lugar que realmente trava o movimento necessário para que a mudança desejada aconteça. Tive meu primeiro contato com a ferramenta em 2014 num evento organizado... leia mais

13 minutos

Espiritualidade, organizações e pandemia

Espiritualidade A espiritualidade é fundamental na vida das pessoas e das organizações! Mas... esta afirmação é vista muitas vezes com desconfiança e pouco útil para a vida prática. Organizações precisam atender aos seus clientes, devem gerar resultados, e o lugar da espiritualidade é nos templos religiosos! Esta é uma típica reação que encontraremos ao abordar o tema. O... leia mais

13 minutos

Pen It!: Fazendo amizade com nossas vulnerabilidades.......em uma página

{"Escrevo inteiramente para encontrar o que estou pensando, o que estou vendo, o que vejo e o que isso significa, o que quero e o que temo"} Joan Didion [1] Ficar cara a cara com a nossa própria vulnerabilidade faz parte da jornada de cada pessoa ao logo da vida. O que fazemos quando estamos nesses pontos sensíveis tem sido o material para grandes poesias, filmes, músicas e histórias ao... leia mais

13 minutos

O Trabalho do Terapeuta Organizacional com base na AIT

Você acha que é possível se permitir sentir quando está trabalhando? Esta pergunta pode parecer ter uma resposta óbvia, e esta resposta vinda de sua mente poderá ser: “sim”. O que fico aqui me perguntando é que se isso parece tão óbvio, para muitos de nós, por que majoritariamente o ambiente organizacional tem se mostrado um contexto frio, insensível, composto de pessoas usando... leia mais

12 minutos

Os caminhos para uma cultura de felicidade nas organizações

A pressão pelo sucesso profissional e a forma como gerimos as prioridades em nossas vidas parece não estar funcionando muito bem, acelera a necessidade de “ter” e “fazer” e com isso, a maioria das pessoas não expõe suas vulnerabilidades, não se expressam com autenticidade, convivem com lideranças tóxicas e acabam se decepcionando com sua escolha de carreira. Afinal, não há... leia mais

11 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium