revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #83 - Abril 2020

Localize rapidamente o conteúdo desejado

A mudança de moralidade já aconteceu

Quando escrevi os Movimentos Humanos em 2014, o primeiro deles, A Desestruturação – movimento que aponta a quebra de estruturas que sustentam o status quo consolidado –, foi o mais óbvio a ser notado e explicado. De lá para cá, já andamos fortemente e retrocedemos rapidamente em diversos pontos. Ora ficava feliz ao perceber que estávamos escolhendo um novo status quo que se mostrava mais isonômico e equitativo; ora lamentava a força que os opositores disso tinham, provocando retrocessos.

Com o tempo, entendi que nosso andar como sociedade é como dançar um tango dramaticamente envolvidos com a música: andamos para a frente, nos suspendemos, retrocedemos e rodamos, num constante jogo de força e entrega.

Está claro, para todos que estudam o desenvolvimento humano, que as estruturas que sustentavam o status quo criado e consolidado por uma parte da sociedade – a parte branca, masculina e heterossexual – estavam rachando. O que talvez poucos saibam é que chegamos a tal ponto de inflexão que não tem mais volta. Para alguns pode até ser uma má notícia, porém, para a maioria que busca o desenvolvimento humano embasado em valores como justiça, integridade e equidade e que possui uma noção de propósito, sei que será uma grande alegria.

Acabei de voltar de mais uma onda do Projeto Uno – projeto qualitativo que realizo desde 2010 e que visa observar e acompanhar a transição de valores da nossa sociedade. Trago para este dossiê sobre valores esta nova descoberta. Parece que, mesmo rodando na nossa dança social, decidimos avançar até o ponto em que a moral regente se transformou. Está criada a base para uma nova ordem social.

É importante dizer que tenho consciência da realidade do Brasil. Por causa do meu ofício de pesquisadora com mais de 30 anos de experiência, conheço as distintas realidades deste país desigual. Sei, também, que o Brasil está classificado no 3º nível de Consciência, o State Awareness, dentro do estudo da Consciência Global que Richard Barrett apresenta em seu último livro, Worldview Dynamics and The Well-Being of Nations (ainda sem tradução para o português), lançado mundialmente em janeiro deste ano. Para quem não sabe, Richard Barrett é o criador do The Barrett Model, uma das metodologias mais reconhecidas para mensurar e trabalhar Cultura Organizacional a partir de valores. 

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Responsabilidade Social: Projeto Fortalecer

As tempestades chegam apenas para testar nossas forças Coaching é uma prática que envolve desenvolver e cuidar de pessoas e, a partir desta perpectiva, início este artigo. Participar deste dossiê sobre Responsabilidade Social nesta conceituada revista é uma honra para mim. Fez emergir valores profundos e genuínos, conectados com a minha jornada recente de Liderança... leia mais

12 minutos

Responsabilidade Social: Todos Somos os Outros de Alguém

“Um dia ele chega tão diferente  do seu jeito sempre de chegar olhou-a de um jeito mais quente do que sempre costumava olhar (...)” Valsinha de Chico Buarque Se todos somos os Outros de alguém, vale repensar a máxima do livro: O Menino Maluquinho de Ziraldo que descobriu aos 10 anos que para o Outro você também é o Outro, então quem será o Eu? Para a... leia mais

11 minutos

Liderança Generativa e Propósito de Vida

Após mais de trinta anos de prática como advogado e líder de projetos e equipes em grandes escritórios, resolvi agregar novos desafios à minha vida – sair da famosa “zona de conforto”. Decidi construir uma nova trajetória profissional como mediador (“peace maker”), o que, com o passar dos anos, se tornou para mim uma nova paixão. A mediação, contudo, ainda é uma atividade em... leia mais

14 minutos

Equilíbrio Emocional em Tempos Turbulentos

A pandemia deixou claro como nossos símbolos de valor são frágeis, temos visto tudo desabando rapidamente, mas esse tipo de instabilidade tornou-se parte da nossa rotina. O mundo VUCA foi superado, a discussão é de um mundo BANI, percebido como Frágil (Brittle), Ansioso (Anxious), Não-linear (Nonlinear) e Incompreensível (Incomprehensible). Tentar controlar, interpretar ou evitar a... leia mais

15 minutos

Desafio da imunidade à mudança em uma equipe

Como coaches, somos convidados em diversas situações para “resolver o problema da equipe por definitivo” ou para “motivar colaboradores”. Esses convites sempre criaram em mim alguns desconfortos, até que adotei – tanto por hábito e baseada na minha ética profissional –  a prática de esclarecer e reforçar junto a esses clientes que naquelas situações era preciso lidar com... leia mais

20 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium