revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #81 - Fevereiro 2020

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Teoria Integral: Uma Metateoria para a Vida

Há um roteiro clássico que a maioria de nós, profissionais do desenvolvimento de pessoas, estamos bem familiarizados: uma crise importante se instala na vida de uma pessoa (pode ser uma demissão, uma crise de stress, uma desilusão afetiva, uma inquietação interna, uma doença) em que a antiga visão de mundo é estilhaçada, engatilhando uma jornada iniciática. Essa pessoa torna-se um "buscador" atrás de respostas internas e externas que a ajudem a entender essa nova realidade até então desconhecida. É uma época dominada pela curiosidade em que muitos livros são lidos, cursos, retiros e sabáticos são realizados, terapias e coachings são feitos. É um período muito rico, mas difícil: algumas coisas vão perdendo o sentido enquanto outras vão ganhando, é sobretudo um tempo de desapego e incertezas.

Na minha vida aconteceu ao final do período universitário, época em que eu deveria estar focado em minha carreira, mas minha atenção foi em outro sentido, para dentro (filosofia, sabedoria oriental e espiritualidade) e para a o mundo (visão sistêmica, complexidade, ecologia).

Aquilo tudo era empolgante, mas havia muita confusão, era difícil encontrar uma coerência que unificasse a minha visão de mundo. Ela havia se tornado uma colcha de retalhos, e por isso, um tanto disfuncional.

E então conheci a Teoria Integral.

O nome de Ken Wilber já estava no meu radar há tempos, mas somente quando lançou "Uma Teoria de Tudo" (Cultrix Pensamento, 2003) que eu comecei a estudar suas ideias.

A Teoria Integral veio para organizar a mobília nos cômodos da minha mente. Ela colocou aquela bagunça num todo integrado e coerente (mas nem por isso menos complexo ou diverso). Cada conceito foi para o espaço certo, onde poderia funcionar no melhor da sua capacidade e papel. Com ela comecei a ressignificar sentidos, dissipar contradições, rever antigos preconceitos com algumas ideias que eram vistos por ângulos equivocados.

Sendo ela uma metateoria (uma teoria sobre teorias...), permitiu que eu desenvolvesse recursos para lidar com os mais diversos aspectos da minha vida: mundo interior, relacionamentos, criatividade, cidadania, trabalho, paternidade, etc.

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

A Biografia como força sanadora de transformação

Todos nós, seres humanos aqui no planeta Terra, temos uma Biografia pessoal e única. O desenvolvimento humano segue suas próprias leis e conhecê-las pode acrescentar uma compreensão e significado de muita valia para o fluxo e ocorrências da nossa vida. O conhecimento dos setênios como arquétipo do desenvolvimento humano remonta aos gregos, mas Dr. Bernard Lievegoed e Dra Gudrun Burckart... leia mais

8 minutos

07 Segredos para construir um Programa de Coaching inesquecível

Apresentado no Converge pela Dra. Sherry Yellin – Acc Participar do Converge 2019 foi muito impactante para mim. Foram muitas conexões e aprendizados que me motivaram a permanecer estudando e compartilhando conhecimento. Há alguns anos, quando eu ainda era uma adolescente, meu pai me dizia uma frase que levo como lema de vida: “conhecimento é a única coisa que ninguém tira de... leia mais

9 minutos

A jornada sistêmica do coaching: constelações familiares, organizacionais e estruturais.

O mundo do coaching experimentou uma expansão notável com a incorporação da perspectiva sistêmica nele. As constelações, que tem interesse nos nós e emaranhados sistêmicos, abriram as portas a dinâmicas diferentes no trabalho do coach. Da mesma maneira que no coaching distingue-se Life Coaching e Coaching Executivo, o mundo das constelações estabeleceu diferenças entre as familiares... leia mais

13 minutos

Líder mediador – Um modelo precioso para resultados mais sustentáveis

Em tempos de transição, faz-se urgente rever os modelos de relação com o mundo, com as pessoas e consigo mesmo. Por isso, é preciso reconsiderar um formato linear de pensamento e privilegiar abordagens mais sistêmicas e abrangentes para lidar com situações rotineiras, o que também se aplica à gestão de conflitos nas organizações. Além de constituírem parte inerente à experiência... leia mais

14 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium