revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #79 - Dezembro 2019

Localize rapidamente o conteúdo desejado

A jornada sistêmica do coaching: constelações familiares, organizacionais e estruturais.

O mundo do coaching experimentou uma expansão notável com a incorporação da perspectiva sistêmica nele. As constelações, que tem interesse nos nós e emaranhados sistêmicos, abriram as portas a dinâmicas diferentes no trabalho do coach. Da mesma maneira que no coaching distingue-se Life Coaching e Coaching Executivo, o mundo das constelações estabeleceu diferenças entre as familiares e as organizacionais. Vale a pena conhecer a história e o desenvolvimento destas modalidades.

As constelações familiares se tornaram conhecidas pelas mãos de Bert Hellinger. Ele se apoiou no trabalho de Thea Schönfelder com bonecos, e Ruth McClendon e Les Kadis, que a partir dos conceitos de terapia familiar de Virginia Satir (reconstrução familiar, esculturas familiares, “parts parties”) constelaram famílias com a ajuda de pessoas. Mas, ainda mais fundamental, foi para Hellinger o contato com a terapia contextual de Ivan Boszormmenyi- Nagy, refletida na sua obra Invisible Loyalties (lealdades invisíveis) (1974). Com estas e algumas outras tradições fundantes (Gestalt, terapia primal, psicanálise, tradição judaico cristã), Hellinger constrói seu marco teórico para as constelações. Algumas dessas linhas gerais são:

a) o conceito de solidariedade transgeracional de Boszormmenyi-Nagy: há uma lealdade em todo sistema que é transmitida de geração em geração e que preza para que todos os elementos importantes do sistema sejam reconhecidos e tenham seu lugar.

b) O conceito de implicação sistêmica: ele explica os distintos transtornos ou patologias que podem aparecer em uma família ou sistema.

c) Princípios sistêmicos: transtornos, patologias ou dificuldades podem ocorrer quando um destes três princípios sistêmicos não é respeitado: (i)o princípio de ordem, (ii)o de direito ao pertencimento, ou (iii)o equilíbrio entre dar e tomar.

As constelações organizacionais.

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Líder mediador – Um modelo precioso para resultados mais sustentáveis

Em tempos de transição, faz-se urgente rever os modelos de relação com o mundo, com as pessoas e consigo mesmo. Por isso, é preciso reconsiderar um formato linear de pensamento e privilegiar abordagens mais sistêmicas e abrangentes para lidar com situações rotineiras, o que também se aplica à gestão de conflitos nas organizações. Além de constituírem parte inerente à experiência... leia mais

14 minutos

Points of You®: Corrente do Bem!

Esse é o breve relato contando a história da Points of You®, uma experiência incrível e transformadora que atinge hoje milhares de pessoas no mundo. Efrat Shani, diretora de teatro e terapeuta, por volta de 2004 decidiu se matricular numa das primeiras turmas de formação de Coach que aparecia em Tel Aviv. Na mesma turma estava Yaron Golan um profissional de vendas que assim com a Efrat... leia mais

13 minutos

Comunicação no ambiente organizacional: desafios contemporâneos e a contribuição das Dinâmicas Humanas.

A capacidade de se comunicar, em especial pela linguagem, é condição essencial para o homem e, a exemplo de tantas outras ações humanas, a comunicação passou por processo evolutivo, percorrendo a história do homem dos tempos primitivos até os nossos dias marcados pelo “mundo digital”. A evolução das tecnologias de informação, quando nos propiciou utilizar as mais diversas e... leia mais

13 minutos

Reconhecendo as dinâmicas de clientes através de seus talentos e dificuldades

Queixas como essas, muito repetidas por vários clientes em terapia, têm me mostrado como as Dinâmicas de Personalidade, são uma espécie de coluna vertebral dos comportamentos e formas de ver e ser visto no mundo. Essa “coluna vertebral” organiza os indivíduos pela forma como interagem com os vários “inputs” que a existência em um grupo social nos impõe. Cada grupo evidencia... leia mais

12 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium