revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #78 - Novembro 2019

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Custo dos conflitos no ambiente organizacional e o “Conflict Coaching” como abordagem de resolução!

“AS EMPRESAS QUEREM SOMAR...E NÃO PERCEBEM A SOMA DA DISCÓRDIA...”

As pressões no ambiente de trabalho aumentam cada vez mais apesar de todas as inovações. Fato identificado em conversas com alunos em escolas de negócios e clientes em desenvolvimento pessoal. O discurso comum revela um desejo de paz e alívio, e na prática, o que se vê é sofrimento, falta de confiança, medo e harmonia superficial. Conflitos ocorrem nas empresas, e geralmente, são ocultados. Os funcionários, justamente por causa da confiança fragilizada, temem sofrer retaliações e, com isso, perder o emprego. E quando aparecem, é comum perceber o despreparo desses para lidar com situações conflituosas, porque o foco fica no problema e não nas possíveis soluções. Outra dificuldade é a falta de habilidade em diálogo estratégico e humano em todas as direções.

Conflito refere-se a situações interpessoais que nos causam transtornos e inflamações dentro de nossas cabeças e corações. A outra pessoa pode ou não estar ciente do que está acontecendo conosco, e tampouco as razões, já que o conflito é vivenciado principalmente internamente. Todos sabem que conflitos são normais acontecerem e até necessários. O desafio é o como lidamos com eles. O que se vê é falta de habilidades, desde a base até a ponta da pirâmide, para restabelecer a confiança, avaliar o problema de uma forma imparcial e estar aberto a subjetividades, porque quando se fala em conflitos estamos falando de impactos negativos às nossas necessidades sociais e emocionais. A palavra conflito é evitada ou, muitas vezes, negada. É como se fosse doença incurável que todos evitam falar o nome enquanto se agrava até a morte.

Com a mudança comportamental nas gerações mais jovens, é necessário que os gestores negociem com as suas equipes e ajudem as pessoas a negociarem entre si. Mas, para isso é preciso confiança. E, geralmente, o gestor é o primeiro, e muitas vezes inconscientemente, a quebrar a confiança.

Quando se fala em diálogo, não se trata de uma simples conversa. Trata-se de uma conversa com técnica e apreciação. As pessoas em disputa focam a autoproteção. Não conseguem se abrir para a escuta do outro. Sentem a ameaça.....

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

O Trabalho do Terapeuta Organizacional com base na AIT

Você acha que é possível se permitir sentir quando está trabalhando? Esta pergunta pode parecer ter uma resposta óbvia, e esta resposta vinda de sua mente poderá ser: “sim”. O que fico aqui me perguntando é que se isso parece tão óbvio, para muitos de nós, por que majoritariamente o ambiente organizacional tem se mostrado um contexto frio, insensível, composto de pessoas usando... leia mais

12 minutos

Os caminhos para uma cultura de felicidade nas organizações

A pressão pelo sucesso profissional e a forma como gerimos as prioridades em nossas vidas parece não estar funcionando muito bem, acelera a necessidade de “ter” e “fazer” e com isso, a maioria das pessoas não expõe suas vulnerabilidades, não se expressam com autenticidade, convivem com lideranças tóxicas e acabam se decepcionando com sua escolha de carreira. Afinal, não há... leia mais

11 minutos

O Coaching Evolutivo no momento atual da Humanidade

Vou começar esse artigo com 3 frases que me ajudaram a entender de forma mais profunda o universo das ideias sobre valores, níveis de desenvolvimento e consciência estruturados por Richard Barrett, que é na minha visão, uma das maiores autoridades sobre cultura e valores.  Nos últimos anos ele escreveu uma série de livros falando sobre o tema desse artigo e sobre novas formas de... leia mais

15 minutos

As etapas do trabalho biográfico e as artes plásticas como linguagem do processo

1-Visão panorâmica da própria biografia  Ao passar por um processo biográfico a pessoa revê passo a passo, a trajetória de sua vida, os impulsos, sentimentos e anseios que permearam as suas experiências, desde a lembrança mais remota até o momento atual. Ela tem, ao final desta retrospectiva, uma visão panorâmica de sua própria vida. Esta vivência é diferente da mera... leia mais

13 minutos

A Teoria Integral e o uso de Quadrantes em Coaching

Eu tinha uma experiência profissional mais voltada ao desenvolvimento de times e organizações, quando fui fazer uma formação com um biólogo chileno chamando Humberto Maturana. Quando concluí essa formação, tomei uma decisão de colocar o meu propósito também à serviço dos indivíduos. No entanto, sentia falta de estrutura, tanto para dar suporte a minha decisão por fazer coaching,... leia mais

8 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium