revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #77 - Outubro 2019

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Marketing Consciente: Precisamos mudar nossa maneira de fazer marketing

De acordo com Philip Kotler, considerado o pai do Marketing:

“Marketing é a ciência e a arte de explorar, criar e entregar valor para satisfazer as necessidades de um mercado-alvo com lucro. Identifica necessidades e desejos não realizados. Define, mede e quantifica o tamanho do mercado identificado e o potencial de lucro.”

Com o avanço do capitalismo e da busca frenética por lucratividade, fizemos importantes distorções sobre o que este contexto propôs como uma estratégia de crescimento empresarial.

Ao olharmos para as estratégias de marketing atuais, podemos inferir que a definição de Marketing caminhou para:

 

“Exploramos necessidades e desejos em nome do Lucro.”

Baseado em estudos sobre neurociência e psicologia aplicados ao consumo, o marketing convencional é movido por estratégias que reforçam o negativo, o medo e a falta como técnicas de persuasão e vendas.

Qual o impacto dessa busca desenfreada por lucros e a consequente maneira agressiva de fazer marketing?

Segundo estudos do Presencing Institute estamos utilizando 1,5 planetas Terra por ano. Isso significa que estamos utilizando mais recursos naturais do que a Terra é capaz de produzir ou restaurar nesse tempo. Estamos sobrecarregando o planeta!

Apesar de tantos recursos naturais existentes e da abundância de terra e alimentos, ainda temos 2,5 milhões de pessoas que  vivem na miséria. Nos EUA, por exemplo, 1% dos habitantes têm a posse de 90% dos recursos econômicos, o que evidencia uma enorme desigualdade.

Atualmente, o índice de pessoas que se suicidam é 3 vezes maior do que o número de pessoas que morrem em guerras ou violência, de acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde).

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Aproveitar o poder do instinto e do eu espiritual no trabalho

(Work – Harness the power of instinct & human spirit at work) Este artigo está baseado na palestra proferida durante o Converge21 pelas coaches Flame Schoeder, MCC e Donna King, ACC. Uma reflexão Quando fui convidado por Cândida Semensato, presidente da ICF Brasil Chapter, para escrever um artigo para esta importante Revista Coaching Brasil, eu não fazia ideia de qual tema... leia mais

13 minutos

O futuro através dos futuristas profissionais

Os futuristas consideram alternativas de futuro, positivas e negativas, e ajudam pessoas e a sociedade a se prepararem para todos os cenários. Nosso futuro poderá ser luminoso ou sombrio, e depende muito das decisões que tomamos hoje como humanidade. Os pilares sociais do futuro precisam de atenção e de investimento. Certamente, será através deles que sairemos do buraco em que estamos.... leia mais

12 minutos

Autocompaixão e autocuidado para quem cuida

Você já parou para pensar quanto do seu tempo é dedicado ao cuidar? Se pensarmos bem, o cuidado permeia toda a nossa vida e os nossos relacionamentos, seja no contexto pessoal, familiar, social ou profissional. Ora estamos cuidando de alguém ou de nós mesmos, ora precisamos ser cuidados, noutras vezes, todas estas se intersectam. No entanto, é muito importante compreendermos  que cada... leia mais

14 minutos

Visão Ampliada sobre Indivíduos, Grupos e Times

Crescemos como indivíduos à medida que refletimos sobre nossas experiências e vivências e seus impactos sobre as outras pessoas. E ao interagirmos com outros indivíduos lidamos com situações de confronto ou mesmo de cooperação, defrontarmo-nos com nossos limites, capacidades e necessidades. Nessas interações emergem múltiplas de possibilidades e, a mais impactante é a compreensão de... leia mais

14 minutos

Burnout e stress são sinônimos?

Burnout descreve sintomas decorrentes basicamente de stress ocupacional, ligado a situações de trabalho. Como agora é reconhecido como uma doença ocupacional, as empresas estão mais atentas a sua incidência e fatores precipitadores do burnout.  Seus sintomas característicos se enquadram em três categorias que são:  • Sensação de exaustão emocional, • Redução de... leia mais

13 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium