revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #73 - Junho 2019

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Eu também voei do ninho

“1990, foi um ano um tanto curto para tantos acontecimentos; eu completei 19 anos, passei em um concurso publico, me tornei mãe de um menino, me livrei de um casamento de quatro anos em que sofria violência domestica, perdi minha mãe, mudei de cidade e fui morar sozinha”.

Esse indômito ano quase me engoliu, tudo estava tão inusitado, e os meus papeis inaugurais, me fizeram travar... parar no tempo. Nunca havia sido mãe, não me preparei para estar órfã e seria a primeira vez que assumiria um trabalho tão sério junto a uma secretaria no governo de São Paulo.

O tempo passou e eu literalmente não saí do lugar, continuei trabalhando sem perspectiva de crescimento na carreira. Posteriormente me casei e tive mais dois filhos, entretanto continuava com a sensação de estagnação pessoal. Em um rompante de auto-observação, quando dei por mim, estava pesando 92 quilos e havia desenvolvido diabetes e hipertensão por levar a mesma rotina durante dezesseis anos. Cada vez que eu parava para refletir tinha a sensação que estava parada lá em 1990, com medo da vida e me escondendo atrás dos meus papeis sociais.

Em 2001 entrei para a faculdade de Direito e quando já estava cursando o terceiro ano do curso, avistei alguns alunos da educação física em uma piscina olímpica, todos muito felizes. Então pensei: “Eles estão felizes porque provavelmente estão fazendo o que querem, estão realizando os seus sonhos e eu, será que estou fazendo o que quero? E se não estou? eu me pergunto novamente -Por que não? Por que eu não mudo de curso, do que eu tenho medo?”

Percebi que havia sido um erro o curso de Direito e a primeira coisa que fiz foi mudar de universidade e de curso. Migrei para o curso de Sociologia e Política na Fundação Escola de Sociologia e Política- FESPSP, instituição que admirava imensamente. Fui também fazer o curso de Teatro do Oprimido do Teatrólogo Brasileiro Augusto Boal (1931-2009) e comecei a dar aulas e oficinas de Valorização Humana.

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Coronavírus e Presença

De todas as muitas reflexões que tenho feito sobre esse período com o Coronavírus que estamos atravessando meu coração me indica uma única palavra: presença. Mais presença! Mas o que é a presença? Para mim, a capacidade consciente de viver o momento presente no exato tempo do aqui e agora. E, como é difícil! Porque viver neste estado de presença implica abrir mão dos mecanismos... leia mais

4 minutos

#COACHINGSIM

Dia 12 de novembro de 2019 foi a data escolhida para o lançamento do  CoachingSim, um movimento criado por coaches, em prol do coaching. A data não foi escolhida ao acaso – ela é reconhecida por ser o dia do Coach em alguns estados como São Paulo e Rio Grande do Sul. E não haveria homenagem melhor do que o início da construção de uma rede de pessoas que acreditam no coaching como... leia mais

4 minutos

Você conhece Coach Ético?

Eu conheço Coaches Éticos e você? Ética. "Palavra substantiva feminina que representa o segmento da filosofia dedicado à análise das razões que ocasionam, alteram ou orientam a maneira de agir do ser humano, geralmente tendo em conta seus valores morais. Por extensão, é uma reunião das normas de valor moral presentes numa pessoa, sociedade ou grupo social, por exemplo: ética... leia mais

10 minutos

As Armadilhas da Reclamação

Você se dá conta de quantas vezes por dia reclama de algo? Até 10 vezes? Em torno de 25? Ou está no time dos que afirmam não reclamar de nada? Recentemente, reli “Pare de Reclamar e Concentre-se nas Coisas Boas”, de Will Bowen e resolvi fazer o desafio que ele propõe: ficar 21 dias sem reclamar. Você já tentou? Eu achei que seria bem fácil, afirmava com convicção que eu não tinha... leia mais

7 minutos

4 ª Revolução Industrial, Coaching e Empregabilidade

Já é do conhecimento de todos que estamos na chamada Quarta Revolução Industrial, a era da robótica avançada, da automação em várias áreas, da Inteligência artificial, na nanotecnologia, internet das coisas, entre outros... Sabemos que esta “nova era” trará um forte impacto para o mercado de trabalho e que muitas profissões irão desaparecer. É fato que outras surgirão, mas... leia mais

7 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium