revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #72 - Maio 2019

Localize rapidamente o conteúdo desejado

A distinção do trabalho para grupos e o trabalho com grupos

Trabalhar com a coordenação de processos grupais requer um olhar atento do profissional que assume este papel, em relação as singularidades que constituem o coletivo e por sua vez, dos indivíduos que o compõe. A complexidade e incerteza que residem no ser humano que é “simultaneamente social, físico, biológico, cultural, psíquico e espiritual” (MORIN, 1998, p.138) também se refletem quando este integra e interage com o campo grupal. Sendo essencialmente importante à coordenação, compreender que os indivíduos que constituem um grupo ainda que haja um objetivo comum, assumem condutas a partir dos seus sentimentos, necessidades e podem estabelecer diferentes acordos por meio das múltiplas interações entre si.

Para que possamos criar uma definição comum que nos ajude a seguir nesta leitura, assumo que trabalhar “para o grupo” configura uma atuação menos autônoma dos indivíduos que o constituem, na qual estes assumem por conta própria ou por coerção, um lugar exclusivo de receptor de informação. No sutil ajuste semântico para que se trabalhe “com o grupo”, habita a intenção da coordenação em promover um grupo que pode ser conduzido por alguém, mas constrói as suas próprias teorias, normas, regras de existência e o resultado gerado a partir delas.

“O que vai caracterizar um processo de singularização (que, durante certa época, eu chamei de “experiência do grupo sujeito”) é que ele seja automodelador. Isto é, que ele capte os elementos da situação, que construa seus próprios tipos de referências práticas e teóricas, sem ficar nessa posição constante de dependência em relação ao poder global, a nível econômico, a nível do saber, a nível técnico, a nível das segregações, dos tipos de prestígio que são difundidos.” (GUATARRI & ROLNIK, 1996, p. 46)

Ambos formatos de atuação são válidos e aplicáveis a partir da intencionalidade da coordenação, porém neste nosso encontro textual trataremos das especificidades do último mencionado.

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

O que realmente sabemos sobre conflitos organizacionais no Brasil?

Um conflito pode ser gerenciado?  De que forma? Quais as causas dos conflitos organizacionais? Qual o papel da área de Recursos Humanos na resolução dos conflitos? Para responder a essas e outras questões relacionadas ao tema conflitos nas organizações, a ABRH-SP vem promovendo, desde 2016, uma pesquisa junto aos seus associados e com divulgação ampla e aberta a todo o mercado... leia mais

11 minutos

Por uma expansão da consciência

Se eu tivesse que escolher uma única coisa desta edição para você levar para sua vida, seria isso: Na Era da Consciência não podemos mais contribuir com ações feitas sem pensar.    Vivemos num ritmo alucinante e estamos testemunhando a crescente onda de burnouts, FOMO (Fear of Missing Out – medo de ficar fora das redes sociais), vício em telas e... leia mais

6 minutos

INTUIÇÃO & SINCRONICIDADE EM COACHING

Dentre as competências essenciais para o exercício do coaching profissional definidas pela International Coach Federation - ICF, destaco a 8ª. competência: Criando Consciência, cujos marcadores sinalizam de maneira objetiva o papel do coach no processo a fim de expandir a consciência do coachee e as 9ª, 10ª, e 11ª competências (Projetando ações, Planejamento e Estabelecimento de... leia mais

13 minutos

Dinâmicas Humanas (DH) em vendas e negociações de alta performance

Todos os profissionais de vendas que buscam alta performance de resultados, analisam e entendem as variáveis do mercado, o movimento dos concorrentes, os potenciais das empresas envolvidas (B2B) e os diferenciais dos produtos/serviços, para então tentarem materializar “O Negócio”. Muitas vezes, e após desenvolverem os planos de negócios bem estruturados e com excelente margem para... leia mais

8 minutos

Como eu gosto de receber e realizar uma tarefa no meu trabalho

Introdução O trabalho abordado neste artigo é uma pequena parte resultante do estudo das Dinâmicas Humanas iniciados há mais de 20 anos (no Brasil) somados às minhas experiências vividas profissionalmente. Quando falamos em dinâmicas humanas, não estamos tentando rotular pessoas com essa ou aquela característica, mas agrupar pessoas por similaridades quanto ao seu modo de processar... leia mais

19 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium