revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #69 - Fevereiro 2019

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Aplicando o Thinking Environment no design de experiências

“A qualidade de tudo que fazemos depende da qualidade do pensamento que desenvolvemos antes da ação e da forma como estamos sendo tratados pelas pessoas ao nosso redor.”
Nancy Kline

O Thinking Environment parte de pressupostos libertadores e ao mesmo tempo assustadores. É libertador pensar que não dependemos exclusivamente de fatores externos e/ou caros para obter resultados no mundo. Mas ao mesmo tempo, ficamos ansiosos ao pensar nisso, principalmente na era digital da atenção continuamente desfragmentada. Afinal, quais espaços hoje nos permitem pensar com confiança sobre o que realmente importa para nós? Quantas empresas estão conseguindo criar uma cultura em que seja possível pensar sobre os desafios complexos que permeiam seu dia-a-dia ou a mente de seus colaboradores?

Trabalhando como facilitadora e designer de experiências, eu percebo que os ambientes onde há qualidade de pensamento, na maioria dos casos, não são organicamente construídos, e sim intencionalmente desenhados. Nossa cultura competitiva, racional e focada em números e crescimento econômico influencia a forma como aprendemos a nos tratar enquanto estamos pensando. Enquanto por um lado as transformações do mundo nos pressionam para ampliarmos nossa consciência frente à complexidade dos desafios, por outro não temos a menor ideia de como criar espaços para pensar com qualidade.

Por isso, acredito em desenhar experiências que possibilitem reunir pessoas, de modo que elas consigam pensar criativamente, desafiar suas crenças e se mover adiante, elevando seu grau de consciência sobre algo que importa para aquele grupo.


Design de experiências e Thinking Environment

O Design vem se expandindo e, se antes era utilizado apenas para o desenho de comunicação e depois para o desenho de artefatos, hoje é utilizado também para o desenho de interações/processos e finalmente para o desenho de ambientes e sistemas. Utilizo o Design para criar experiências de conexão focadas na jornada emocional e/ou criativa de grupos dentro daquele tempo e espaço predefinidos. 

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Responsabilidade Social: Projeto Fortalecer

As tempestades chegam apenas para testar nossas forças Coaching é uma prática que envolve desenvolver e cuidar de pessoas e, a partir desta perpectiva, início este artigo. Participar deste dossiê sobre Responsabilidade Social nesta conceituada revista é uma honra para mim. Fez emergir valores profundos e genuínos, conectados com a minha jornada recente de Liderança... leia mais

12 minutos

Responsabilidade Social: Todos Somos os Outros de Alguém

“Um dia ele chega tão diferente  do seu jeito sempre de chegar olhou-a de um jeito mais quente do que sempre costumava olhar (...)” Valsinha de Chico Buarque Se todos somos os Outros de alguém, vale repensar a máxima do livro: O Menino Maluquinho de Ziraldo que descobriu aos 10 anos que para o Outro você também é o Outro, então quem será o Eu? Para a... leia mais

11 minutos

Liderança Generativa e Propósito de Vida

Após mais de trinta anos de prática como advogado e líder de projetos e equipes em grandes escritórios, resolvi agregar novos desafios à minha vida – sair da famosa “zona de conforto”. Decidi construir uma nova trajetória profissional como mediador (“peace maker”), o que, com o passar dos anos, se tornou para mim uma nova paixão. A mediação, contudo, ainda é uma atividade em... leia mais

14 minutos

Equilíbrio Emocional em Tempos Turbulentos

A pandemia deixou claro como nossos símbolos de valor são frágeis, temos visto tudo desabando rapidamente, mas esse tipo de instabilidade tornou-se parte da nossa rotina. O mundo VUCA foi superado, a discussão é de um mundo BANI, percebido como Frágil (Brittle), Ansioso (Anxious), Não-linear (Nonlinear) e Incompreensível (Incomprehensible). Tentar controlar, interpretar ou evitar a... leia mais

15 minutos

Desafio da imunidade à mudança em uma equipe

Como coaches, somos convidados em diversas situações para “resolver o problema da equipe por definitivo” ou para “motivar colaboradores”. Esses convites sempre criaram em mim alguns desconfortos, até que adotei – tanto por hábito e baseada na minha ética profissional –  a prática de esclarecer e reforçar junto a esses clientes que naquelas situações era preciso lidar com... leia mais

20 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium