revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #68 - Janeiro 2019

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Como a Investigação Apreciativa pode Inspirar sua Busca por Propósito

Investigação Apreciativa (IA) é uma análise e abordagem de mudança que incide sobre as dimensões positivas da vida de um sistema, seja indivíduo, equipe ou organização. Essa abordagem fornece um processo para acessar os pontos fortes de uma pessoa e de um sistema e ampliar a sua capacidade de se engajar em mudanças que desejam realizar em suas vidas. A IA usa a energia positiva que vem da tomada de consciência dos pontos fortes existentes para criar uma imagem de futuro que é inspiradora, ousada, e que acende o desejo da(s) pessoa (s) de criar ou cocriar o futuro desejado.

A IA foi criada com a intenção de trazer à tona o melhor das pessoas e organizações. Algumas vezes, as pessoas, quando conhecem a IA pela primeira vez, se concentram mais no adjetivo – apreciativa – e não prestam muita atenção ao verbo investigar. O convite da investigação apreciativa é investigar, o que quer dizer buscar, descobrir, aprofundar o conhecimento de forma apreciativa. Apreciar quer dizer aumentar em valor, sendo assim, a IA é um processo de investigar para tentar descobrir e aumentar em valor o melhor de um sistema.

O processo passa por 4 fases: descoberta, sonho, desenho e destino. Na descoberta, uma das principais fases da IA, as pessoas são convidadas a olharem para seu passado e colocarem foco somente nos momentos mais positivos, momentos quando se sentiram mais vivas, inspiradas, engajadas e compartilhar a história desse momento. Olhar para o passado usando um processo positivo como guia e revisitar momentos felizes, saudáveis, pode trazer grandes aprendizados e empoderamento.

A segunda fase é o sonho. Quando somos capazes de conectar com um passado de realizações, nossa mente naturalmente se move em direção ao futuro, aos nossos sonhos, às coisas que desejamos agora, pensamos em nossos objetivos, e tudo que queremos realizar em nosso futuro. O sonho é a fase da IA em que imaginamos a melhor possibilidade de futuro e criamos uma imagem atrativa para nós e às pessoas ao nosso redor.

A terceira fase é o desenho, quando construímos o mapa para chegar ao nosso sonho. Aqui, usamos diferentes técnicas para nos ajudar a organizar as ideias, tendo em mente a pergunta: como vamos fazer acontecer o nosso sonho? Assim organizamos os passos necessários para se chegar às imagens desejadas.

A quarta fase é o destino, quando criamos as condições em nossas vidas que são conducentes para sustentar as mudanças necessárias para chegarmos ao nosso sonho. Aqui, pensamos em como iremos abrir espaços em nossas agendas para realizar o novo. Em alguns casos, para as organizações, se pode pensar até na criação de novas estruturas e processos de trabalho. Em outros, novas equipes são formadas. Já para os indivíduos, se trata do exercício de criar novos hábitos que ajudarão na caminhada em direção aos sonhos.

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Gestão de crise nas organizações: a necessidade da inteligência emocional em todas as etapas

Nunca fomos tão desafiados a gerenciar crises como no cenário atual. A pandemia causada pela COVID-19 trouxe um enorme desafio global, onde vida e morte estavam e ainda estão no centro das decisões mundiais. Dilemas de ordem política, econômica e ideológica tornaram-se evidentes, e crises diplomáticas surgem na corrida pelas respostas e soluções de enfrentamento. No campo mais... leia mais

14 minutos

Responsabilidade Social: o olhar de quem cuida

Só há uma norma pela qual uma época pode ser justamente julgada: em que medida ela permitiu o desenvolvimento da dignidade humana? Romano Guardini Assim como toda empresa é mais que uma atividade econômica, é, antes de tudo uma atividade dirigida por pessoas a serviço da sociedade, entendo que toda profissão – seja ela qual for -, carrega em si uma responsabilidade... leia mais

15 minutos

Os Fundamentos Generativos dos Resultados nas Organizações

Vendo Organizações com Novos Olhos Como seres humanos, sempre vivemos no mundo que podemos ver. Também convivemos com o que os psicólogos chamam de "cegueira cognitiva". Cegueira é a condição em que não sabemos o que não sabemos. Por exemplo, eu não fui treinado como médico, então eu não tenho as distinções, os "olhos" para ver o que um médico pode ver. O médico vê corpos de... leia mais

16 minutos

Tempos Pós-Normais: A Mudança está Mudando

“Existem dois tipos de mudança: a que nos acontece e a que fazemos acontecer.” Rosa Alegria Estamos entrando numa nova era da história. Saindo de um modelo que não estava dando certo – entrando num outro que ainda está por mostrar a que veio, nos defrontamos com o mais alto grau de incerteza já vivido, inaugurado pela pandemia covid19. O contato da experiência... leia mais

15 minutos

Falemos sobre imunidade à mudanças

Foi no dia 15 de novembro de 2014 que o professor Robert Kegan conquistou a atenção de mais de 400 coaches reunidos na conferência global da ICF, no Rio de Janeiro. Entrou com seu notebook em mãos e, com voz tranquila e segura, conduziu uma palestra intercalada com atividades em dupla. Ao final, boa parte dos participantes havia identificado crenças, até então inconscientes, que... leia mais

14 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium