revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #58 - Março 2018

Localize rapidamente o conteúdo desejado

O merchandising de coaching na Globo revelou um problema maior

O cenário de coaching no Brasil está um tanto delicado.

O merchandising do IBC na novela “O Outro Lado do Paraíso” foi a gota d’água para que o Conselho Federal de Psicologia e tantas outras instituições e profissionais se posicionassem sobre os limites da prática de coaching. A novela mostrou uma advogada/coach recomendando sessões de coaching e hipnose para uma moça que sofreu abusos sexuais.

A partir desse episódio, apareceu uma enxurrada de críticas em relação à inserção de coaching na novela. Nada mais justo. Coaches não podem tratar traumas causados por abusos sexuais. Por mais que algum coach possa dizer que um cliente se curou de traumas através do coaching, nós precisamos entender que a formação não nos capacita para isso.

Mas não quero dedicar esse artigo para defender a ideia de que coaches não devem tratar de abusos sexuais. Acho que outros artigos escritos sobre o episódio e a própria nota do Conselho Federal de Psicologia já deixam isso claro. Inclusive, Walcyr Carrasco já mudou o rumo da trama e em alguns episódios recentes, a personagem da advogada com especialização em coaching acabou por sugerir que a moça que sofreu abusos sexuais procure por um terapeuta.

Mas acho que esse burburinho todo aconteceu não só porque o que estava sendo tratado na novela é algo sério, mas também por que está havendo uma banalização da profissão de coaching. E de alguma forma as pessoas estão ficando cansadas disso. Para nós, coaches, isso é grave, e é algo que precisamos mesmo falar sobre.

Entendo que para termos sucesso na carreira como coach precisamos de duas coisas:

1) sermos bons profissionais da área -  precisamos ter uma profundidade teórica que sustente nossa prática, ter experiência prática em horas de atendimento, ter supervisão ao longo desses atendimentos e contribuir para que nossos clientes se sintam satisfeitos com o processo.
2) saber vender o Coaching - ou seja, saber fazer marketing de uma forma que garanta uma agenda de clientes e, portanto, a sustentabilidade do seu negócio.

Nesse sentido, percebo que existem dois extremos: de um lado, pessoas que são excelentes coaches e que pouco se dedicam ao marketing. Por ainda usarem o boca-a-boca como principal sistema de divulgação, não atingem um público tão grande quanto poderiam/gostariam de atingir.

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Pen It!: Fazendo amizade com nossas vulnerabilidades.......em uma página

{"Escrevo inteiramente para encontrar o que estou pensando, o que estou vendo, o que vejo e o que isso significa, o que quero e o que temo"} Joan Didion [1] Ficar cara a cara com a nossa própria vulnerabilidade faz parte da jornada de cada pessoa ao logo da vida. O que fazemos quando estamos nesses pontos sensíveis tem sido o material para grandes poesias, filmes, músicas e histórias ao... leia mais

13 minutos

O Trabalho do Terapeuta Organizacional com base na AIT

Você acha que é possível se permitir sentir quando está trabalhando? Esta pergunta pode parecer ter uma resposta óbvia, e esta resposta vinda de sua mente poderá ser: “sim”. O que fico aqui me perguntando é que se isso parece tão óbvio, para muitos de nós, por que majoritariamente o ambiente organizacional tem se mostrado um contexto frio, insensível, composto de pessoas usando... leia mais

12 minutos

Os caminhos para uma cultura de felicidade nas organizações

A pressão pelo sucesso profissional e a forma como gerimos as prioridades em nossas vidas parece não estar funcionando muito bem, acelera a necessidade de “ter” e “fazer” e com isso, a maioria das pessoas não expõe suas vulnerabilidades, não se expressam com autenticidade, convivem com lideranças tóxicas e acabam se decepcionando com sua escolha de carreira. Afinal, não há... leia mais

11 minutos

O Coaching Evolutivo no momento atual da Humanidade

Vou começar esse artigo com 3 frases que me ajudaram a entender de forma mais profunda o universo das ideias sobre valores, níveis de desenvolvimento e consciência estruturados por Richard Barrett, que é na minha visão, uma das maiores autoridades sobre cultura e valores.  Nos últimos anos ele escreveu uma série de livros falando sobre o tema desse artigo e sobre novas formas de... leia mais

15 minutos

As etapas do trabalho biográfico e as artes plásticas como linguagem do processo

1-Visão panorâmica da própria biografia  Ao passar por um processo biográfico a pessoa revê passo a passo, a trajetória de sua vida, os impulsos, sentimentos e anseios que permearam as suas experiências, desde a lembrança mais remota até o momento atual. Ela tem, ao final desta retrospectiva, uma visão panorâmica de sua própria vida. Esta vivência é diferente da mera... leia mais

13 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium