revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #43 - Dezembro 2016

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Editorial - Ed. 43

Caro leitor,

o conceito da resiliência foi sendo modificado e modernizado ao longo dos anos. Inicialmente utilizou-se o conceito da física e refere-se à capacidade que um corpo tem de, sofrendo uma deformação, voltar ao seu estado original. Esta ideia foi evoluindo para ser flexível frente às adversidades. Atualmente, existe um paralelo entre a resiliência e teoria do estresse, e ser resiliente significa ter a capacidade de flexibilizar pontos de vista, dar novos significados a fatos, e ter a capacidade de compreender que nem mesmo nossas crenças são absolutas e precisam ser questionadas e revisadas. Enfim, estar aberto ao novo, com profunda consciência de que a impermanência rege nossas vidas.

Ter a capacidade de compreender surpresas, traumas e decepções como eventos que fazem parte da vida, é o que nos confere maior capacidade de encará-las como eventos transitórios, que, com o passar do tempo, perdem senão sua importância, pelo menos o impacto que nos causaram.

Em determinados momentos estamos mais equilibrados e resilientes, em outros mais sensíveis e propensos a perder o equilíbrio.

Dia destes, compartilhando algumas de minhas visões e sentimentos em relação a vários “absurdos” que presencio no mundo do Coaching, que ainda me impactam e decepcionam profundamente, com o amigo e mestre Marcos Wunderlich, ele me presenteia com esta pérola:

VIRA E MEXE PASSO PELOS MESMOS QUESTIONAMENTOS.
Minhas respostas estão no caminho do meio, no equilíbrio e na comunhão. Não aceitar e não rejeitar, agir sem se apegar. Fazer o bem, atividades prestadias. Estar no mundo sem ser do mundo, e não se deixar comer. Compaixão profunda e fazer de conta que tudo é muito sério e sólido, enquanto que nada é sólido, é tudo um grande sonho e sou um fantasma na multidão. Atuo com as pessoas que querem me ouvir, sem forçar a barra. Há portas fechadas e abertas, umas se abrem e outras não. Atuar sem querer respostas. Somos infinitamente livres, tanto é que podemos fingir estarmos presos. Moro num paraíso, meu refúgio, daqui vou para as atividades prestadias, e para cá volto, num eterno vai e vem, movido pela liberdade da alma. De repente caio e perco a conexão, e sofro os infernos que estão sempre à espreita para me atormentar. As vezes demora recuperar o fio. Mesmo assim, tudo ainda é a liberdade.

Delicie-se com esta edição que trata sobre este importante tema, cujo dossiê foi coordenado por George Barbosa, da Sociedade Brasileira de Resiliência. Leia também, como complemento a este dossiê, o artigo do amigo Eduardo Carmello publicado em nossa edição 10 com o título “Resiliência Estratégica diante das Mudanças”.

Tenha uma excelente leitura.

Luciano Lannes
Editor

Artigo publicado em 22/09/2017
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Editorial - Ed. 88

Caros leitores, Quando analisamos a base de conhecimento que desenvolvemos sobre o nosso funcionamento, é muito interessante notar que estamos apenas beliscando a casca do ovo desta sabedoria. Teóricos e pesquisadores estão produzindo novos modelos que nos auxiliam a compreender melhor como funcionamos e de que forma podemos diminuir nossas limitações para realçar os potenciais. No... leia mais

4 minutos

Editorial - Ed. 86

Caros leitores, que tema mais pertinente para o momento que vivemos. Vulnerável!!! O que significa isto? Segundo a etimologia, vulnerável vem do Latim VULNERABILIS, “o que pode ser ferido ou atacado”, de VULNERARE, “ferir”, de VULNUS, “ferida, lesão”, possivelmente de VELLERE, “rasgar, romper”. Assim, estar vulnerável é estar em uma posição desconfortável pois nos... leia mais

3 minutos

Editorial - Ed. 85

Caros leitores, este ano de 2020, não começou de forma tranquila como todos os outros. Entenda aqui este “tranquila” como aquela “normalidade” que nos permite fazer planos “normais”, como emagrecer, fazer exercícios, aprender inglês, etc. Agitações intensas na política, mudanças de rumo na economia, a escalada de uma intolerância e agressividade sem precedentes na sociedade,... leia mais

3 minutos

Editorial - Ed. 84

Caros leitores, ahhhhh, a tal Felicidade. Tão cantada em versos e prosas e que cada vez mais ouvimos falar dela. Talvez as pessoas estejam buscando uma felicidade mais autêntica, legítima, e não apenas compensações momentâneas obtida em prazeres fugazes. Sim, muitos dos prazeres que temos na vida são reais e legítimos e precisamos atentar para não os transformar em elementos... leia mais

3 minutos

Editorial - Ed. 83

Caros leitores, este tema chega em um momento muito especial, não somente para nós, coaches, mas para a própria humanidade que vive um divisor de águas em sua história. Há muitos anos que pesquiso a questão dos “valores” como um ponto fundamental da estruturação de uma cultura. Com o aprofundamento da pesquisa sobre o autodesenvolvimento, os valores se mostraram ainda mais... leia mais

3 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium