revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #35 - Abril 2016

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Crise ética e DECADÊNCIA de valores

"Ética é o conjunto de valores e princípios que nós usamos para decidir as três grandes questões da vida: Quero? Devo? Posso? Tem coisa que eu que­ro mas não devo, tem coisa que eu devo mas não posso e tem coisa que eu posso mas não quero."
Mario Sergio Cortella

Crise.... Palavra muito ouvida nos dias de hoje. Estamos em crise, econômica, social, moral...

Por vezes tenho a sensação de que a sociedade contemporânea está se de­sintegrando.

Escândalos, epidemias, guerras, terrorismo, fome, violência, destruição da natureza...

Apesar de toda a tecnologia, quando assisto aos telejornais, deparo-me com cenas da idade média, por um lado a “peste”, entenda-se zika, gripe suína, dengue, chikungunya e, por outro, violência digna de “Átila, o Huno” e suas hordas bárbaras!

A corrupção está em toda parte, desde o sujeito que suborna o guarda por­que parou em local proibido, às pequenas mentiras do dia a dia, até os gran­des escândalos políticos.

Fala-se muito da crise ética e moral que assola nossa sociedade, mas pouco se faz para superá-la.

Afinal, que crise é essa? Será que, como humanos, perdemos a capacidade de coexistirmos em paz e harmonia? Para onde foram os valores e princípios que deveriam nos guiar?

Arrisca-se um palpite: enfrentamos uma crise ética, uma degeneração dos valores que nos serviam de parâmetro e que nos diferenciam dos outros animais, que nos caracterizam como seres racionais.

É perfeitamente compreensível que dian­te de tantas mudanças sociais, culturais e econômicas, alguns valores sejam revistos e readequados para atenderem aos novos padrões sociais.

Porém, os valores éticos, também chama­dos de “princípios éticos universais”, tais como respeito pelas pessoa e justiça, são desejáveis e necessários sempre, qualquer que seja a cultura, costume ou socie­dade.

Para prosseguir­mos com nossa re­flexão é preciso es­tabelecer sobre o que estamos falan­do: da ética como um valor verdadei­ro ou apenas como uma imagem positi­va a ser mostrada à sociedade?

Na sociedade atual, que preza cada vez mais a aparência, há cidadãos que, em pú­blico, comportam-se de acordo com as re­gras sociais e culturais estabelecidas pela sociedade e, aparentemente, prezam os valores morais; porém, em particular, ado­tam posturas absolutamente vis e reprová­veis.

Basta observarmos a política, discursos complemente descolados da prática, incoe­rência total... mas isso é outra discussão...

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Seis Graus de Liberdade – 2: (Des)conectado

“Acima de todas as coisas, guarde seu coração, pois ele dirige o rumo de sua vida.” Rei Salomão de Israel Olá, Viajante do Tempo. Que bom nos reencontrarmos! Estou contente em podermos continuar nossa conversa sobre os graus de liberdade! Vamos explorar a conexão entre... Só um momento, por favor... Que sensação estranha é essa? Uma leve tontura... ... leia mais

6 minutos

Seis Graus de Liberdade – 1: (Des)atento

“Não tema ir devagar. Tema estar estagnado.” Provérbio chinês Olá, Viajante do Tempo. Espero que essa carta encontre você bem. Muito prazer, meu nome é Calebe Luo, peregrino e aprendiz. Nasci em dezembro de 1979, um híbrido das Gerações X e Y. Cresci em meio à evolução das mídias analógicas para as digitais (do VHS para o Blu-ray), vivi a ascensão do PC e... leia mais

6 minutos

Não Planeje tudo, Coach. Apenas COMECE!

Nada acontece por acaso Desde março de 2020, mais de cinco meses após a pandemia chegar no Brasil e iniciarmos a quarentena no Brasil algumas perguntas são feitas: o que mudou? como está sendo trabalhar em casa? o que se aprendeu até agora? o que vem desenvolvendo? E aí percebo que essas reflexões já estavam presentes na minha vida desde julho/agosto de 2019. Foi neste período que... leia mais

6 minutos

A construção do meu crachá

Escrevi esse texto em 30 de junho de 2015, após ler o livro “A vida sem crachá” da Claudia Giudice, um “empurrão” para meu empoderamento nas transições de carreira que vive entre 2013 e 2015. “Arrancaram a minha pele e eu estava cega, como uma paixão dos 15 anos de idade. A primeira vez (2013) entendi racionalmente na segunda vez (2015) foi que entrei em contato com o que estava... leia mais

5 minutos

Um abraço no meu coração

Há um bom tempo busco ouvir e estar cada vez mais atenta ao meu corpo e os treinos de corrida fizeram a maior diferença para acelerar e potencializar esse aprendizado. Passei a perceber os sinais fortes de quando não estou inteira, quando as situações da minha vida me levam à exaustão mental e física ou quando não me sinto fluir, tendo a sensação de que meu sangue para de correr pelo... leia mais

5 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium