revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #32 - Janeiro 2016

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Editorial - Ed. 32

Caro leitor,

Será tão simples assim “virar” Coach???

Lembro-me, no final da década de 90, quando deixei o mundo organizacional como empregado e lancei-me na carreira de consultor, que quem perdia seu emprego como executivo ou mesmo escalão menor, fazia um cartão em casa, muito comum naquela época, e colocava “Consultor”.

Eu, que planejei um processo de mudança radical, investi tempo e dinheiro em um MBA, muita leitura, muitos seminários, um extenso trabalho de conclusão de curso, caí num mercado cercado de consultores por todos os lados. A maior parte deles se propunha apenas a fazer como autônomos o que faziam no emprego. Outros, e me lembro de alguns bem “caras de pau”, liam um livro sobre planejamento estratégico e passavam a implantar programas de mudança organizacional. Uma temeridade.

Bem, o mercado foi separando o que era bom do que não era.

Vemos o mesmo processo hoje com o Coaching. Bola da vez, o Coaching se difunde em cursos de final de semana que prometem ao aluno a possibilidade de realização pessoal ao “ajudar” outras pessoas a realizar seus sonhos, aliado a uma alta remuneração. O céu é o limite. Muitos absurdos têm sido relatados com grande frequência, tanto por empresas como por pessoas físicas que contratam este serviço.

A palavra “Coaching” tem se desgastado e seu conceito mal compreendido por boa parte do mercado.

Esta questão nos provocou a fazer uma edição falando sobre o que seja uma formação em Coaching, quais os requisitos, do aluno e do curso, carga horária, conteúdos, etc.

Para escrever este Dossiê, convidamos pessoas com vasta experiência e posicionamentos filosóficos consistentes. Ana Paula Peron, Beatriz Pinheiro e Tereza Cristina de Oliveira. Juntas, e cada qual em seu movimento e a seu tempo, compuseram um mosaico, que permite ao leitor refletir sobre inúmeros requisitos para alguém considerar-se coach.

Elas mostram que é preciso consistência, dedicação e muito trabalho.

Tenha uma excelente leitura,

Luciano Lannes
Editor

Artigo publicado em 20/07/2017
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Editorial - Ed. 80

Caros leitores, Esta edição de janeiro traz uma pequena mostra do que foi o “CONVERGE 2019”, evento promovido pela ICF e desta vez realizado em Praga entre 23 e 26 de outubro de 2019. Uma delegação brasileira composta por 17 membros da ICF Brasil esteve presente ao evento, sendo que Ana Pliopas, que muito já contribuiu em nossas páginas, apresentou um trabalho no evento. ... leia mais

3 minutos

Editorial - Ed. 79

Caros leitores, Ahhh o Universo Sistêmico. Quem diria que iria chegar no mundo organizacional. Se chegou é sinal que foi validado por resultados. O mundo organizacional não é fã de aventuras ou ligado em excentricidades, ou teorias ou metodologias que não se possa pegar, apalpar, cheirar e obter dados para colocar na planilha. Convidei Claudia Miranda Gonçalves para a... leia mais

3 minutos

Editorial - Ed. 78

Caros leitores, Conflitos, ahhh os conflitos. São tantos, de tantas cores, nuances, tamanhos e intensidades. Como despertam emoções, como por vezes nos tiram do eixo, turvam a visão, a racionalidade, bloqueiam a audição, intensificam posições, cristalizam crenças. Aprender a lidar com eles é a disciplina de uma vida. Pelo menos para mim foi e é assim. Comecei neste caminho há... leia mais

3 minutos

Editorial - Ed. 77

Caros leitores, LIBERTADOR....... esta foi minha sensação pessoal ao conhecer o Slow Marketing. Trabalhando com consultoria há 20 anos e com a Revista Coaching Brasil há 6 anos, conheço muito bem os desafios de trabalhar a exposição de um produto ou serviço, e os conflitos éticos que nos assolam quando somos instados a implantar as fórmulas mágicas do Marketing Digital, que... leia mais

4 minutos

Editorial - Ed. 76

Caros leitores, A cada edição avançamos em descobrir pessoas, metodologias e abordagens encantadoras, instigantes, simples e muito funcionais para complementar nossa atuação como coaches ou mentores. É sempre bom lembrar, que não cabe a nenhuma das metodologias aqui apresentadas, o simples uso utilitarista como técnica ou ferramenta, mas cada uma delas passa por um “ecoar na... leia mais

3 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium