revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #3 - Agosto 2013

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Coaching ou Psicoterapia: do que seu cliente precisa?

Será que todos que te procuram têm clareza do que precisam?
Você acredita que pode atender e apoiar todos aqueles que chegam até você?
Você tende a “encaixar” as demandas que recebe na sua prática profissional?

Intrigada e curiosa com estas questões, deci­di pesquisar e analisar o que acontece quan­do nos deparamos com estes dilemas.

Te convido a ler este artigo e refletir seria­mente sobre as questões apresentadas e sobre como você se coloca frente a elas: Coa­ching ou Psicoterapia?


Seja honesto com você mesmo!

Como fazer uma indicação adequada?

Como tomar uma decisão que possa apoiar o au­toconhecimento da melhor forma?

Quem está em foco, seu cliente ou você?


Sei que estas são questões que podem in­comodar muitos de nós, profissionais de de­senvolvimento humano. Alguns porque acreditam já possuir total domínio ético sobre seu trabalho, e outros por acharem tais questionamentos irrelevan­tes. Entretanto, posso garantir que minhas idas e vindas con­versando com colegas e clien­tes, revelaram que tanto coach, quanto coachee podem se be­neficiar deste processo reflexi­vo, pois ambos são humanos.

O que quero dizer é que tanto um quanto o outro podem se confundir ao fazer suas pon­derações, afinal tendemos a analisar os fatos e fazer nossas escolhas a partir de nossas ex­periências e crenças. Enquanto profissionais precisamos dar o máximo de informações para nossos clientes e não podemos nos deixar levar pelo simples desejo de ajudar ou de querer fazer o trabalho.

Anos atrás, um texto muito in­teressante me foi apresentado. Chama-se “A Gula Terapêutica”, onde Frank Furedi, professor de sociologia na Universidade de Kent, no Reino Unido, discutia os modismos e a possível bana­lização das ciências do desenvol­vimento humano em função da avidez pela excelência do ser e exigências sociomercadológicas.

Passada mais de uma década, me parece que o cenário não está muito diferente, afinal a cada dia encontro mais e mais pessoas querendo aprender a lidar me­lhor com seus altos níveis de exi­gência – ser um excelente profis­sional, mãe, pai, filho, amante, professor, etc.

Isso pode nos levar a certa “Gula de Coaching”? Será que todos que nos procuram de­mandam Coaching?

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Do Vazio à Reconstrução, um caminho interior - Transformando a Dor em Força: A Jornada Coletiva para a Recuperação

"Somos assim: sonhamos o vôo mas tememos a altura. Para voar é preciso ter coragem para enfrentar o terror do vazio. Porque é só no vazio que o vôo acontece. O vazio é o espaço da liberdade, a ausência de certezas. Mas é isso que tememos: o não ter certezas. Por isso trocamos o vôo por gaiolas. As gaiolas são o lugar onde as certezas moram." Os irmãos Karamazov Fiódor... leia mais

12 minutos

O Inglês como fortalecimento da marca pessoal

Pouco se fala a respeito do inglês como uma ferramenta poderosa na construção da marca pessoal, entretanto por ser língua franca nos negócios internacionais, permitindo a comunicação eficaz entre pessoas de diferentes países e culturas, seu domínio pode abrir portas para oportunidades globais, facilitar negociações e conferir uma vantagem competitiva no mercado de trabalho, então... leia mais

9 minutos

O assediador é o outro

Trago um tema que muitas vezes evitamos discutir ou encarar: como cada um de nós pode, sim, ser um assediador sem se dar conta. Segundo a Controladoria Geral da União “O assédio pode ser configurado como condutas abusivas exageradas por meio de palavras, comportamentos, atos, gestos, escritos que podem trazer danos à personalidade, à dignidade ou à integridade física ou psíquica de uma... leia mais

8 minutos

O essencial cabe na bagagem de mão?

Algo muito importante e que não pode faltar. Esse é o significado da palavra essencial. Mas, como definir o que é essencial ou prioridade em nossa vida? É escolher o que realmente queremos, o que faz sentido e nos faz feliz? Ou acreditar que a vida nos apresenta um cenário e a gente vai se encaixando nele da melhor forma? Comparo essas questões com arrumar a mala. O que levar para uma... leia mais

5 minutos

Grupo 3 - Abordagens Metodológicas

Ao longo desses 10 anos da Revista Coaching Brasil, trouxemos muitas metodologias procurando abrir a “caixa preta”, e mostrar os fundamentos, foco, possibilidades e limitações de cada metodologia. Fiz uma lista com todas as abordagens metodológicas que já abordamos, e caso você sinta falta de alguma, por gentileza me avise que vou colocar na lista de próximas edições. Sempre... leia mais

10 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium