revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #29 - Outubro 2015

Localize rapidamente o conteúdo desejado

CRISE: Somos todos responsáveis

Crise, crise, crise. A palavra do momento.

Notícias alarmantes transbordam na televisão e em todos os meios de comunicação todos os dias. O medo e a insegurança invadem nossa sala e nos colocam em estado de alerta. Difícil não se deixar afetar. Só de ouvirmos ficamos arrepiados e com medo. Acreditamos que essa é mais uma turbulência a atravessar e que logo vai passar. Situações como essas tendem a mobilizar sen­timentos. Nossas limitações são amplificadas nestes momentos, mais do que nossos talentos.

Por que essa palavra tem esse poder?

Simplesmente porque atribuímos a ela o sen­tido mais negativo, o significado de que algo ruim irá acontecer, de que mudanças estão sur­gindo e, junto, um futuro incerto. E a TV não nos deixa esquecer.

Por que não atribuímos o signifi­cado de oportunidade, do novo, da mudança e do crescimento? O desenvolvimento da humanidade passou por inúmeras crises. Saí­mos delas mais fortalecidos, mais conscientes, mais experientes e prontos para o futuro.

Foi sempre assim!

Ampliando a nossa percepção, sem dúvida, estamos diante de enor­mes problemas: guerras, êxodo, terrorismo de estado, intolerância, exageros de grupos fundamen­talistas, descaso com a natureza, fome, poluição e muitos outros. Estamos diante de um colapso da economia mundial e da necessida­de de um modelo econômico mais sustentável.

Vivemos um mundo cada dia mais complexo e essa complexidade é determinada pela diversidade, co­nectividade e interdependência dos inúmeros e variados compo­nentes. Complexidade, por vezes, é sinônimo de incerteza, ambiguida­de, desorganização.

Crise tem resultado não determi­nado, portanto é natural sentir­mos receio, medo e insegurança – é absolutamente normal nos de­pararmos com esses sentimentos. Mas se é improvável um ambiente isento de crises, a questão então passa a ser: como ressignificamos a crise. Essa escolha determinará nossa energia e o resultado. Se acre­ditarmos que ela nos ameaça, nos retrairemos, nos isolaremos e nos protegeremos. Se tratarmos como uma chance de fazer diferente e ino­var, bingo! Teremos muitas chances de avançar e descobrir coisas novas.

Sejam bem-vindos ao mundo das constantes transformações e mu­danças!

Vamos pensar na seguinte situa­ção: em um belo dia, estamos ca­minhando e uma tempestade se aproxima. O que fazemos? A maio­ria das pessoas corre, se esconde e procura um abrigo para se pro­teger, evitamos nos molharmos e ficamos torcendo e rezando para que a chuva vá embora logo. Mui­tos de nós nunca estamos prepara­dos. Quando a chuva se vai, saímos do nosso abrigo e continuamos ca­minhando na mesma direção, indo ao encontro do objetivo que tínha­mos em mente no minuto anterior ao da chegada da tempestade.

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

A história do CliftonStrengths se originou com uma pergunta e pode continuar com outra

Os melhores coaches inspiram as pessoas com suas perguntas. E assim fez Dr. Donald O. Clifton que com um questionamento simples - mas poderoso - deu início ao movimento global de Pontos Fortes que hoje impacta tantas vidas. "O que poderia acontecer se estudássemos o que está certo com as pessoas?" Ele a formulou depois que percebeu que toda a literatura de psicologia disponível na... leia mais

12 minutos

ICF Portugal: um Caso de Boas Práticas

Escrevemos este artigo com o objetivo que partilharmos a nossa experiência de criar um modelo de gestão e comunicação de uma associação de coaching, a ICF Portugal, criado para concretizar uma visão estratégica clara, baseada em princípios da inteligência coletiva e da nossa convicção de que era possível inspirar e envolver a comunidade de membros, convidando-os a ter uma... leia mais

10 minutos

Vulnerabilidade como o Prelúdio de Prática Corajosa, Criativa e Compassiva

“Não há acesso imediato à bondade sem consciência” Sharon Salzburg (1) A palavra "vulnerabilidade" vem da palavra latina "ferir". Qualquer vida humana contém tanto suas alegrias quanto suas tristezas, porque somos humanos. Abraçar nossas próprias vulnerabilidades - e trabalhar com as de nossos clientes - é um convite para, gentilmente, criarmos laços e trabalharmos com pontos... leia mais

12 minutos

Psicologia, Espiritualidade e Coaching

Na década de 50 Abraham Harold Maslow, psicólogo norte americano afirmou: “Precisamos de uma psicologia positiva, que estude a dimensão saudável do indivíduo”. Acrescentava que era inerente ao ser humano vivenciar experiências culminantes e que essas eram positivas, transformadoras; traziam à tona estados de êxtase, alegria, cura, promoviam valores construtivos, contribuindo para... leia mais

13 minutos

O Modelo SPIRE de Felicidade Integral

- Qual o seu maior sonho? O sonho que você sempre teve e com certeza, sempre, até o final da sua vida, vai ter? - Qual o objetivo final para todas as suas ações? - O que move você a ir além e a acordar todos os dias? A sair para trabalhar, a escolher novas viagens, a colocar tanta energia - ou culpa - nas resoluções de ano novo? Aquilo que você busca todos os dias, você usa como... leia mais

13 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium