revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #28 - Setembro 2015

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Coach em Saúde e Bem-Estar: onde estamos e para onde vamos?

Recentemente, tem se falado mais sobre o coaching em saúde e bem-estar, mas o que realmente é esta modalidade de co­aching? Do que estamos falando? A quem se aplica? Qual o tipo de formação neces­sária? São dúvidas comuns e extrema­mente pertinentes. A ideia deste artigo é compartilhar um pouco acerca destas origens, bem como esclarecer sobre as possibilidades e recursos que o coaching em Saúde e Bem-Estar podem propor­cionar para os profissionais que desejam atuar nesta área e para os clientes que se beneficiam deste processo.

O coaching em saúde e bem-estar (tam­bém chamado de health coaching e/ou we­llness coaching) é uma abordagem voltada ao desenvolvimento de recursos de auto­cuidado para gerenciar doenças crônicas e/ou modificar o estilo de vida de modo a melhorar seu estado de saúde e bem-estar.

Nas últimas duas décadas, esta modalida­de de coaching ganhou espaço significa­tivo no suporte de tratamentos médicos e é de ampla utilização nos Estados Uni­dos, tanto por pessoas físicas como atra­vés dos planos de saúde e seguradoras.

Em função dos diferentes formatos de co­aching praticados, da dificuldade de con­senso e de padronização para publicação de evidências científicas, foi formado o “Na­tional Consortium for Credentialing Health & Wellness Coaches – NCCHWC”. No início de 2010, as co-fundadoras do NCCHWC, Karen Lawson e Margaret Moore montaram uma equipe de 14 líderes voluntários, dedicados à missão de criar normas nacionais de cer­tificação de coaches de saúde e bem-estar, sendo este um marco importante na profis­sionalização e do aumento em escala de um campo profissional baseado em evidências.

Desde então, o consórcio vem pu­blicando consensos e diretrizes para uma certificação nacional que terá início em 2016. Esta ação agrega valor às boas formações de coaching em saúde e efetivamente contribui na construção de dire­trizes para uma prática profissio­nal séria e baseada em evidências. Além da certificação de coaches, o consórcio está estabelecendo cri­térios de acreditação para escolas de formação de coaching que irão contribuir para valorizar as forma­ções de qualidade, com processos educativos consistentes, referen­cial teórico adequado, estágios su­pervisionados, etc.

No Brasil, as formações específicas começaram em 2011, com a vinda de duas das grandes escolas ame­ricanas, e a partir de então, come­çamos a ouvir sobre esta modali­dade, ainda em pequena escala. Mais recentemente, com mudanças nas composições societárias de grandes seguradoras de saúde no Brasil, começamos a ouvir o ter­mo “health coaching” acontecendo junto com programas de ligações ativas das seguradoras para os clientes de maior utilização do pla­no, doentes crônicos ou de maior perfil de risco em saúde. Começa­mos então a nos deparar mais di­retamente com os diferentes for­matos, protocolos e abordagens do coaching em saúde e bem-estar no Brasil.

Wolever e outros pesquisadores publicaram em 2013 uma revisão analisando as definições operacio­nais do coaching em saúde e bem­-estar publicadas na literatura mé­dica e em revistas com revisão de pares. Seu trabalho aponta para o histórico de definições de coaching em saúde e bem-estar e apresenta como referência atual a definição do NCCHWC:

“Coaches em Saúde e Bem­-Estar são profissionais de diferentes backgrounds e formações que trabalham com indivíduos e grupos em um processo centrado no cliente, no sentido de facilitar e empoderar o cliente para que alcance metas auto estabelecidas relacionadas à saúde e bem-estar. O processo de coaching que tem sucesso acontece quando o Coach aplica um conhecimento e habilidades claramente específicos de modo que o cliente mobiliza forças pessoais internas e recur­sos externos para mudan­ças sustentáveis.”

Esta definição começa a nos trazer a compreensão sobre a atuação deste profissional e orienta como diferencial, o estabelecimento de metas relacionadas à saúde e bem-estar. No entanto, não escla­rece sobre a prática, as estratégias utilizadas, os métodos de entrega deste serviço, etc. Na literatura científica é crescente o número de artigos que têm health ou wellness coaching como intervenção e ob­jeto de estudo, e a diversidade de protocolos de intervenção vão de: abordagens sem nenhum contato humano (apps e web) ao contato semanal presencial; abordagens que incluem aspectos educativos e de orientação ao cliente a abor­dagens nas quais a descoberta e aprendizagem é 100% responsabi­lidade do cliente. Como saber qual metodologia apresenta maior efe­tividade e provoca mudanças sus­tentáveis, de longo prazo?

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Coaching Baseado em Pontos Fortes

A abordagem do coaching de Pontos Fortes vem sendo desenvolvida pela Gallup há décadas, baseada no sonho de Don Clifton de que pudéssemos olhar cada ser humano a partir do que tem de melhor. E tal abordagem vem revolucionando a forma como as pessoas pensam sobre desenvolvimento humano, profissional e empresarial. Talentos e Pontos Fortes O coaching orientado pelos pontos fortes dos... leia mais

13 minutos

Pen It!: Fazendo amizade com nossas vulnerabilidades.......em uma página

{"Escrevo inteiramente para encontrar o que estou pensando, o que estou vendo, o que vejo e o que isso significa, o que quero e o que temo"} Joan Didion [1] Ficar cara a cara com a nossa própria vulnerabilidade faz parte da jornada de cada pessoa ao logo da vida. O que fazemos quando estamos nesses pontos sensíveis tem sido o material para grandes poesias, filmes, músicas e histórias ao... leia mais

13 minutos

O Trabalho do Terapeuta Organizacional com base na AIT

Você acha que é possível se permitir sentir quando está trabalhando? Esta pergunta pode parecer ter uma resposta óbvia, e esta resposta vinda de sua mente poderá ser: “sim”. O que fico aqui me perguntando é que se isso parece tão óbvio, para muitos de nós, por que majoritariamente o ambiente organizacional tem se mostrado um contexto frio, insensível, composto de pessoas usando... leia mais

12 minutos

Os caminhos para uma cultura de felicidade nas organizações

A pressão pelo sucesso profissional e a forma como gerimos as prioridades em nossas vidas parece não estar funcionando muito bem, acelera a necessidade de “ter” e “fazer” e com isso, a maioria das pessoas não expõe suas vulnerabilidades, não se expressam com autenticidade, convivem com lideranças tóxicas e acabam se decepcionando com sua escolha de carreira. Afinal, não há... leia mais

11 minutos

O Coaching Evolutivo no momento atual da Humanidade

Vou começar esse artigo com 3 frases que me ajudaram a entender de forma mais profunda o universo das ideias sobre valores, níveis de desenvolvimento e consciência estruturados por Richard Barrett, que é na minha visão, uma das maiores autoridades sobre cultura e valores.  Nos últimos anos ele escreveu uma série de livros falando sobre o tema desse artigo e sobre novas formas de... leia mais

15 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium