revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #25 - Junho 2015

Localize rapidamente o conteúdo desejado

O que você quer ser quando crescer?

“As pessoas não compram o que você faz, elas compram porque você faz”.
Simon Sinek

No início de junho, participei de um encontro sobre qualidade de vida no trabalho e tive acesso a informações, minimamente, incômodas. O tema – saúde mental no trabalho – teve como pano de fundo o caso do piloto Andreas Lubitz, acusado de derrubar deliberadamente o avião que pilotava, no trágico acidente em março passado, na França. Esse caso reacendeu as preocupações da sociedade e das empresas sobre o tema, reforçando estudos que demonstram que transtornos mentais geram influências consideráveis na produtividade, na saúde e no bem estar das pessoas, representando significativos impactos econômicos e sociais para empresas e governos. Entre as informações compartilhadas no encontro, duas afirmações me chamaram atenção.

(1) De que uma em cada quatro pessoas sofrem de algum transtorno de saúde mental, de ansiedade até depressão grave, e (2) só 27% das pessoas são realmente engajadas com seu trabalho. Isso significa que praticamente ¾ das pessoas estão literalmente com o saco cheio de suas atividades profissionais e quando permanecem no trabalho, sofrem.

Apesar do aspecto patológico da depressão, tenho uma crença de que sua ocorrência pode estar relacionada com a falta de conexão franca com um propósito de vida, ao fato da pessoa não ver sentido na experiência que se vive. E quando tive contato com as reflexões de Simon Sinek, palestrante do TED e autor do livro “Por quê: como motivar pessoas e equipes a agir”, essa crença se fortaleceu. Sinek sugere uma ideia simples, que ele chama de “Círculo Dourado”, para ilustrar como as pessoas, os líderes e as organizações agem e se comunicam e o que as tornam mais inspiradoras.

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Seis Graus de Liberdade – 4: (Des)iludido

“Vida é o que lhe acontece, enquanto você está ocupado fazendo outros planos.” John Lennon Olá, Viajante do Tempo! Estamos nos anos 1980, numa noite de domingo. Amanhã tem escola, mas hoje vamos dormir só depois de assistir o novo número de ilusionismo do David Copperfield no Fantástico. A família toda está em frente à TV Mitsubishi de 20 polegadas, não... leia mais

6 minutos

Seis Graus de Liberdade – 3: (Des)cansado

Olá, Viajante do Tempo! Nossa última conversa semana passada foi um grande susto, mas já passou. Faz uma semana desde o infarto e contínuo hospitalizado. Acabo de voltar 12 horas no tempo. Lembro-me de ter acordado às 6 da manhã, tomado um banho e ser levado deitado para o elevador... Fechei os olhos. Ao abri-los, encontrei minha querida Flávia: “Linda, quando será a... leia mais

6 minutos

Seis Graus de Liberdade – 2: (Des)conectado

“Acima de todas as coisas, guarde seu coração, pois ele dirige o rumo de sua vida.” Rei Salomão de Israel Olá, Viajante do Tempo. Que bom nos reencontrarmos! Estou contente em podermos continuar nossa conversa sobre os graus de liberdade! Vamos explorar a conexão entre... Só um momento, por favor... Que sensação estranha é essa? Uma leve tontura... ... leia mais

6 minutos

Seis Graus de Liberdade – 1: (Des)atento

“Não tema ir devagar. Tema estar estagnado.” Provérbio chinês Olá, Viajante do Tempo. Espero que essa carta encontre você bem. Muito prazer, meu nome é Calebe Luo, peregrino e aprendiz. Nasci em dezembro de 1979, um híbrido das Gerações X e Y. Cresci em meio à evolução das mídias analógicas para as digitais (do VHS para o Blu-ray), vivi a ascensão do PC e... leia mais

6 minutos

Não Planeje tudo, Coach. Apenas COMECE!

Nada acontece por acaso Desde março de 2020, mais de cinco meses após a pandemia chegar no Brasil e iniciarmos a quarentena no Brasil algumas perguntas são feitas: o que mudou? como está sendo trabalhar em casa? o que se aprendeu até agora? o que vem desenvolvendo? E aí percebo que essas reflexões já estavam presentes na minha vida desde julho/agosto de 2019. Foi neste período que... leia mais

6 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium