revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #25 - Junho 2015

Localize rapidamente o conteúdo desejado

O que você quer ser quando crescer?

“As pessoas não compram o que você faz, elas compram porque você faz”.
Simon Sinek

No início de junho, participei de um encontro sobre qualidade de vida no trabalho e tive acesso a informações, minimamente, incômodas. O tema – saúde mental no trabalho – teve como pano de fundo o caso do piloto Andreas Lubitz, acusado de derrubar deliberadamente o avião que pilotava, no trágico acidente em março passado, na França. Esse caso reacendeu as preocupações da sociedade e das empresas sobre o tema, reforçando estudos que demonstram que transtornos mentais geram influências consideráveis na produtividade, na saúde e no bem estar das pessoas, representando significativos impactos econômicos e sociais para empresas e governos. Entre as informações compartilhadas no encontro, duas afirmações me chamaram atenção.

(1) De que uma em cada quatro pessoas sofrem de algum transtorno de saúde mental, de ansiedade até depressão grave, e (2) só 27% das pessoas são realmente engajadas com seu trabalho. Isso significa que praticamente ¾ das pessoas estão literalmente com o saco cheio de suas atividades profissionais e quando permanecem no trabalho, sofrem.

Apesar do aspecto patológico da depressão, tenho uma crença de que sua ocorrência pode estar relacionada com a falta de conexão franca com um propósito de vida, ao fato da pessoa não ver sentido na experiência que se vive. E quando tive contato com as reflexões de Simon Sinek, palestrante do TED e autor do livro “Por quê: como motivar pessoas e equipes a agir”, essa crença se fortaleceu. Sinek sugere uma ideia simples, que ele chama de “Círculo Dourado”, para ilustrar como as pessoas, os líderes e as organizações agem e se comunicam e o que as tornam mais inspiradoras.

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Eu, cada vez melhor - Ed. 84

Dia 08 outubro de 2019 fui trabalhar num lugar diferente. Fui para o Instituto Moreira Salles. Fiquei no café que tem por lá e ainda pude experimentar um pão de queijo de cabra delicioso! Me sentei na mesa compartilhada, e como estava cedo para a call que teria, comecei a fazer o esboço da palestra estou montando sobre protagonismo, inteligência emocional, autoconhecimento e outros... leia mais

3 minutos

Equilíbrio nos diálogos

Ao pensar sobre o que iria escrever nesse momento em que o mundo está num momento de transição de civilização recordei um material que fiz sobre conversas difíceis, feedback, e como transformar esses momentos em diálogos. Esse tema aparece em diversos ambientes e agora mais do que nunca estamos com um desafio de manter o equilíbrio nos diálogos. Gosto bastante do que Marshall Rosenberg... leia mais

6 minutos

O fantástico mundo de coisas que só acontecem na minha cabeça

Há tempos eu vinha lidando com uma questão incômoda e resolvi buscar ajuda terapêutica. Resolvi apostar na constelação familiar, por mapear sistemicamente elementos menos conscientes do problema. Para iniciar o processo, a consteladora me pediu para relatar o que eu buscava. Em tom de vítima desolada, despejei um monte de palavras: “Os clientes estão indo embora...... leia mais

6 minutos

Você também é incongruente com o que faz e fala?

Muita gente relata ter escolhido trabalhar como coach, facilitador ou consultor por poder ter a oportunidade de se autodesenvolver enquanto apoia no desenvolvimento de outras pessoas. Parece que, quanto mais conhecemos nosso universo interno, padrões e nossos lados de luz e sombra, mais conseguimos apoiar nossos clientes a fazerem o mesmo. Mas daí, um fenômeno inesperado parece acontecer... leia mais

6 minutos

O que fazer perante uma parceria que não funciona?

Observo uma tendência de coaches em início de carreira buscarem parcerias profissionais baseando-se em vários pressupostos: juntos somos mais fortes, é melhor operar em redes, colaborar etc. Ou, talvez, optam por andar em parcerias como um antídoto contra a insegurança inicial que todo profissional precisa vencer. Mas, contradizendo os pressupostos de quando embarcaram na parceria,... leia mais

6 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium