revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #21 - Fevereiro 2015

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Bloqueios: o Desafio do Coach

“O futuro não é um lugar onde estamos indo, mas um lugar que estamos criando. O caminho para ele não é encontrado, mas construído; e o ato de fazê-lo muda tanto o realizador quanto o destino.”
Saint Exupéry

Sempre nos perguntamos o que impede o cliente de promover a mudança tão desejada. Basta pensar no seguinte: quantos itens do nosso plano de final de ano conseguimos cumprir? Fe­lizmente para alguns, a maior parte, mas não para a grande maioria. O que pega? Se a gente quer, por que não muda? O que está faltando? Ou esperando? Que vontade é esta que está no verbal, mas não está no coração?

Por trás destas indagações, está a relação entre desejos, vontades e intenções, versus ações e mudanças planejadas. Qual o significado desta mu­dança? Onde está ancorado este desejo de mudança?

Antes de tudo, é preciso enten­der o SER humano, em todas as suas dimensões anímicas. Rudolf Steiner nos revela que o ser humano tem três dimen­sões de alma: PENSAR, SENTIR e QUERER. Ter essas dimensões alinhadas e coerentes entre si permitirá que o cliente atue e se coloque no mundo através de uma manifestação de com­pleta consciência do seu Eu.

O Pensar é constituído pelos conceitos, julgamentos, inter­pretações e representações mentais que o cliente tem de si e do contexto. O Sentir englo­ba o mundo dos sentimentos, numa extensa grade de mani­festações entre a simpatia e a antipatia. Já no Querer, o clien­te sai de um nível mais instinti­vo da cobiça e desejo, para um nível mais profundo do motivo, da intenção e da resolução.

Nosso papel enquanto coaches é, em primeiro lugar, deixar de lado todas e quaisquer inter­pretações e julgamentos – é necessário até mesmo termos um claro entendimento sobre o que é meu e o que é do ou­tro, para assumir em parceria a pesquisa das coerências e incoerências entre o discurso (pensar) e a prática (agir). Num primeiro instante pode parecer um contrato inicial de coaching, mas também é a espinha dorsal do trabalho para desvendar um cliente e seus impedimentos de mudanças - bloqueios.

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Feliz Ano Novo!

“Adeus ano velho, feliz ano novo. Que tudo se realize no  ano que vai nascer! (...)” David Nasser e Francisco Alves Ah!.... A subjetividade e a objetividade que envolvem o fim de um ano e o início de um novo...fiquei tão energizada quando recebi o convite de Luciano Lannes que minha subjetividade através da relação que tenho com a música tomou forma e veio forte... leia mais

13 minutos

Mensagem de uma Coach para o Caro Leitor

Prezado Leitor, Agradeço ao amigo e colega Luciano Lannes, editor da única Revista sobre coaching no Brasil, a oportunidade de enviar-lhe meus melhores cumprimentos e votos de um Novo Ano pleno de Paz, Bem Estar e Realizações. Falar sobre mudanças passou a ser redundante num mundo em constante, rápida e profunda transformação. Vivemos momentos sem precedentes na história da... leia mais

9 minutos

Empatia Eficaz: a chave para o coaching transformacional

(Practice – Accurate Empathy: the key to masterful coaching) A palestra aconteceu em um tom de conversa informal, com muita maestria pessoal e toques de emoção genuína por parte do Dr. D Ivan Young. Algumas ideias centrais merecem estar neste texto, não por serem novas, mas por trazerem profundidade no tema e desafios gigantes para os coaches que desejam fazer a diferença na... leia mais

14 minutos

O que significa ser “alfabetizado em futuros”?

Ser alfabetizado no futuro significa compreender que existem diferentes sistemas de antecipação. São diferentes maneiras de imaginarmos o futuro e diferentes razões para imaginar o futuro. A proposição básica é que o futuro só́ pode ser imaginário. Precisamos entender por que e como nossa imaginação criou imagens do futuro, baseando-se em suposições ou molduras. Portanto, para... leia mais

8 minutos

Pais imperfeitos, filhos resilientes: o poder da autocompaixão

Apesar de conhecido como fundador da psicologia positiva, meu professor de mestrado, Martin Seligman, construiu a carreira estudando depressão. E como um bom pesquisador, nos incentivava a refletir sobre perguntas para as quais ele ainda não havia encontrado respostas. Uma das mais recorrentes era: por que estamos deprimindo cada vez mais? Por mais que o mundo tenha muito espaço para mudanças... leia mais

15 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium