revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #18 - Novembro 2014

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Um outro olhar - Ed. 18

João nos escreve este mês com um caso crítico, que tenho certeza que aju­dará a todos nós.
Escrevo à coluna “Um outro olhar” para obter outras percepções so­bre uma situação que ocorreu comigo. Trata-se de relatórios finais nos processos de coaching. Eu e uma colega atendemos recentemente uma empresa que nos contratou para processos de coaching com 6 gerentes. O grupo foi dividido entre mim e minha colega. Fizemos o “contrato de 4 pontas”, (coach, coachee, líder do coachee e RH), conforme sem­pre fazemos, inclusive declarando que não haveria relatórios de conteúdos das sessões, e tudo ficou bem claro (pelo menos era o que acreditávamos). Ao final dos processos, fiz minhas devolutivas com os coachees e seus demandantes e o Rh não participou, apesar de convidado. Conforme nossa prática, foi o coachee quem deu suas impressões e pareceres sobre o processo todo. Tudo certo, tudo terminado, saí de lá com a sensação de dever cumprido. Uma se­mana depois, recebo o contato da área de Recursos Humanos pe­dindo que eu retornasse para uma reunião e quando chego lá sou recebido pela gerente da área e por duas analistas, que me crivam de perguntas sobre os coachees, alegando que precisam das in­formações para seguir no plano de desenvolvimento de cada cola­borador. Fiquei bastante incomodado e relembrei nosso contrato inicial. Recusei-me a dar as informações pedidas, explicando que se elas desejassem mais informações teriam que falar com os res­pectivos gerentes. Elas foram muito insistentes chegando até a colocar minha competência em questão. Minha colega passou pelo mesmo constrangimento. Eu queria ouvir outras percepções e en­tender outros olhares sobre isto. Sou coach há 4 anos e meio, sendo esta a primeira vez que passei por isto.

João, para conversar contigo eu mesma precisei buscar outros olhares e outras histórias, porque quando li teu e-mail fiquei bas­tante tocada. Primeiro, porque me vi em uma situação bem pare­cida há cerca de 3 anos e não gos­tei da experiência, e de lá para cá, eu não tinha mais me deparado com algo parecido. Segundo, por­que sei que muitos profissionais têm vendido seus processos com relatórios ao final. Enfim, vamos buscar outros olhares.

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Um outro olhar - Ed. 108

Nosso coach João nos traz o seguinte caso: estou me sentindo frustrado quanto a minha atividade como coach. Levo minha atuação muito a sério: sempre tenho em mente que a agenda é do cliente, me seguro para não dar qualquer conselho e fico concentrado em fazer perguntas poderosas. Mantenho uma lista de perguntas à mão para sempre estar preparado. Entretanto, algumas vezes me sinto mal,... leia mais

6 minutos

Um outro olhar - Ed. 107

Nossa coach Maria nos traz o seguinte caso: uma cliente me procurou para um processo de coaching de carreira. Ela havia sido demitida e queria investir tempo e energia para repensar sua carreira. Na reunião de empatia acordamos 7 encontros, com ferramentas definidas, periodicidade das sessões, e expectativa de resultados frente ao processo. Depois de 4 sessões de coaching ela decidiu aceitar... leia mais

5 minutos

Um outro olhar - Ed. 106

Nosso coach João nos traz o seguinte caso: tenho trabalhado junto aos executivos de uma organização há algum tempo. A empresa é grande, e já conduzi processos de coaching com mais de 10 executivos. Observo que há muito sofrimento nesse lugar e fico angustiado. Sinto que estou com as mãos atadas vendo essa gente atormentada com o trabalho, sem poder fazer nada. O que fazer? Devo falar com... leia mais

7 minutos

Um outro olhar - Ed. 105

Nossa coach Maria nos traz o seguinte caso: iniciei um processo de coaching com um cliente que se dizia muito perdido: tem 43 anos, o projeto no qual ele trabalhava como diretor financeiro foi descontinuado e ele decidiu sair do emprego para pensar melhor em sua carreira. Ele dizia não ter pressa e querer refletir profundamente. Estamos na terceira sessão, elaborando sobre as características e... leia mais

6 minutos

Um outro olhar - Ed. 104

Nosso coach João nos traz o seguinte caso: faço um grande esforço para fazer meu trabalho de coaching de maneira séria e dedicada: estudo diferentes temas relacionados a coaching, faço cursos, atendo seminários e participo de um grupo de supervisão de coaching. Entretanto, noto que quando algum de meus clientes elogia minha atuação como coach, fico desconfortável porque acho que na... leia mais

6 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium