revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #12 - Maio 2014

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Editorial - Ed. 12

Na introdução do meu livro "Equipes e Cooperação", começo com uma pequena história: 

O pequeno João Pedro, com seus oito anos de idade, aprontava-se para ir à escola em uma manhã fria de inverno. Sentia frio na barriga, parecia que o estômago estava todo embrulhado. A cabeça doía. A mãe percebeu sua aflição e consolou o filho, dizendo que tudo da­ria certo e que não se preocupasse tanto. De nada adiantou. João Pedro estava tenso e foi caminhando lentamente para a escola, que ficava a poucas quadras de sua casa. Lá chegando, viu que seus colegas também estão tensos. Conversaram um pouco e até ensaiaram algumas brinca­deiras, mas todos emudecem ao som estridente do sinal que indicava o início das aulas. Caminharam cabisbaixos para a sala de aula como con­denados à forca. Sentados, a professora andou pela sala colocando sobre cada carteira uma folha impressa com os escritos virados para baixo. A tensão aumentou, até que ela disse a todos:
– Podem virar as provas e começar.
Uma solitária maratona teve início e para João Pedro parecia que sua vida acabaria ali. Teve a sensação de que nunca mais ia brincar, jogar bola ou andar de bicicleta. Ao final de 50 minutos de silencioso diálogo com seus pensamentos, o lápis, a borracha e a folha de papel, ele entre­gou sua prova de matemática.

Esta história é familiar a você? Praticamente todos nós, hoje adultos, passamos por uma situação semelhante a esta quando crianças. O Co­aching Educacional, busca reconectar o sentido do aprender, o prazer de aprender, a surpresa da descoberta e para isto, trabalha uma gran­de quebra de paradigmas: deixar o aprendizado acontecer, ao invés de despejar conteúdos sem sentido e cobrar respostas padronizadas.

O primeiro que precisa passar por uma profunda mudança é o educa­dor, que aprendeu a “ensinar” e agora precisa aprender a “facilitar a aprendizagem”, “deixar que o outro aprenda” e que o conteúdo faça sentido.

Como resgatar o “saboroso” do “saber”?

Com esta missão em vista, tivemos mais um grande time escrevendo nesta edição. Participaram do Dossiê Graça Santos, Ângela Teixeira, Clenir Streit e Julio Cesar Michelato. Ainda sobre o tema da edição, na seção “Para refletir”, temos contribuições de Joana Darc Silva e Lígia Feitosa.

Temos ainda a participação de Lucia Navarro, Lucila Marques, Bibianna Teodori, Káritas Ribas, Carlos Legal, Marcello Árias Dias Danucalov e Elisete Gonçalves.

Boa leitura,

Luciano Lannes
Editor

Artigo publicado em 18/05/2017
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Editorial - Ed. 86

Caros leitores, que tema mais pertinente para o momento que vivemos. Vulnerável!!! O que significa isto? Segundo a etimologia, vulnerável vem do Latim VULNERABILIS, “o que pode ser ferido ou atacado”, de VULNERARE, “ferir”, de VULNUS, “ferida, lesão”, possivelmente de VELLERE, “rasgar, romper”. Assim, estar vulnerável é estar em uma posição desconfortável pois nos... leia mais

3 minutos

Editorial - Ed. 85

Caros leitores, este ano de 2020, não começou de forma tranquila como todos os outros. Entenda aqui este “tranquila” como aquela “normalidade” que nos permite fazer planos “normais”, como emagrecer, fazer exercícios, aprender inglês, etc. Agitações intensas na política, mudanças de rumo na economia, a escalada de uma intolerância e agressividade sem precedentes na sociedade,... leia mais

3 minutos

Editorial - Ed. 84

Caros leitores, ahhhhh, a tal Felicidade. Tão cantada em versos e prosas e que cada vez mais ouvimos falar dela. Talvez as pessoas estejam buscando uma felicidade mais autêntica, legítima, e não apenas compensações momentâneas obtida em prazeres fugazes. Sim, muitos dos prazeres que temos na vida são reais e legítimos e precisamos atentar para não os transformar em elementos... leia mais

3 minutos

Editorial - Ed. 83

Caros leitores, este tema chega em um momento muito especial, não somente para nós, coaches, mas para a própria humanidade que vive um divisor de águas em sua história. Há muitos anos que pesquiso a questão dos “valores” como um ponto fundamental da estruturação de uma cultura. Com o aprofundamento da pesquisa sobre o autodesenvolvimento, os valores se mostraram ainda mais... leia mais

3 minutos

Editorial - Ed. 82

Caros leitores, Nesta edição trazemos um tema que também pelo qual também tenho grande admiração: Biografia. Já dizia o poeta que somos feitos de histórias, mas normalmente não temos a ideia do quanto. Cada da que vivemos é uma página desta história. Cada fato que nos acontece é um misto de nossas escolhas cruzando com o rio da vida. Cada fato marcante deixa marcas com os... leia mais

3 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium