revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #11 - Abril 2014

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Equanimidade: estado de Ser para lidar com ganhos e perdas

“Reaja inteligentemente mesmo a um tratamento não inteligente.”
Lao Tsé

Na vida, o tempo todo, lidamos com ganhos e perdas e naturalmente, adoramos ganhar e não gostamos nem um pouco de perder. Diante de acontecimentos como a conquista de um novo trabalho, uma promoção, um novo cliente, o nascimento de um filho ou uma nova relação amorosa, temos reações e sentimentos de alegria, entusiasmo e euforia. Mas e quando perdemos? Como nos comportamos? Que reações e sentimentos nos afetam? Qual a qualidade e intensidade dessas reações diante de situações de ganho ou de perda? Muitas pessoas diante das perdas se deixam levar pela negatividade, desesperança, depressão e desespero, com a sensação de que o sofrimento decorrente da experiência da perda nunca terá fim. E ainda por cima, o dito popular “o que é bom, dura pouco” parece reforçar a ideia de longevidade do sofrimento, aumentando ainda mais o desespero diante de tamanha “injustiça divina”.

Mas o que é ganho? O que é perda? Será que o ganho é sempre algo positivo? Será que uma perda é sempre algo negativo?

E quando refletimos atentamente sobre nossas experiências passadas, invariavelmente nos deparamos com o fato de que algo que considerávamos um ganho se revelou ser uma perda e, inversamente, algo que tínhamos tomado como perda finalmente se revelou ser um ganho. E ainda há aquela situação de querer prender, se agarrar a um ganho, gerando o medo de perder aquilo que foi ganho, assim como o apego que naturalmente temos com o sucesso e ao mesmo tempo o medo do fracasso. Deu um nó? Só estamos começando.

Se cada pessoa e cada cultura tem seu mindset sobre o que é sucesso ou fracasso e quando nos agarramos a modelos pré-definidos, sem contextualizar o que é vivido, poderemos nos expor a sofrimentos e decepções.

Então, saber relativizar nossos pressupostos arraigados e questionar nossos modelos comportamentais pode gerar a possibilidade de construir uma autêntica liberdade interior que permitirá ver “a realidade como ela é” e com a compreensão mais ampliada das coisas, perceber ganhos e perdas como um ponto de vista particular e parte do fluxo da vida. Vou trazer uma história para nos ajudar a esclarecer.

Para ler este artigo completo...
Faça login ou conheça as vantagens de ser premium.
Faça seu login Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Eu, cada vez melhor - Ed. 84

Dia 08 outubro de 2019 fui trabalhar num lugar diferente. Fui para o Instituto Moreira Salles. Fiquei no café que tem por lá e ainda pude experimentar um pão de queijo de cabra delicioso! Me sentei na mesa compartilhada, e como estava cedo para a call que teria, comecei a fazer o esboço da palestra estou montando sobre protagonismo, inteligência emocional, autoconhecimento e outros... leia mais

3 minutos

Equilíbrio nos diálogos

Ao pensar sobre o que iria escrever nesse momento em que o mundo está num momento de transição de civilização recordei um material que fiz sobre conversas difíceis, feedback, e como transformar esses momentos em diálogos. Esse tema aparece em diversos ambientes e agora mais do que nunca estamos com um desafio de manter o equilíbrio nos diálogos. Gosto bastante do que Marshall Rosenberg... leia mais

6 minutos

O fantástico mundo de coisas que só acontecem na minha cabeça

Há tempos eu vinha lidando com uma questão incômoda e resolvi buscar ajuda terapêutica. Resolvi apostar na constelação familiar, por mapear sistemicamente elementos menos conscientes do problema. Para iniciar o processo, a consteladora me pediu para relatar o que eu buscava. Em tom de vítima desolada, despejei um monte de palavras: “Os clientes estão indo embora...... leia mais

6 minutos

Você também é incongruente com o que faz e fala?

Muita gente relata ter escolhido trabalhar como coach, facilitador ou consultor por poder ter a oportunidade de se autodesenvolver enquanto apoia no desenvolvimento de outras pessoas. Parece que, quanto mais conhecemos nosso universo interno, padrões e nossos lados de luz e sombra, mais conseguimos apoiar nossos clientes a fazerem o mesmo. Mas daí, um fenômeno inesperado parece acontecer... leia mais

6 minutos

O que fazer perante uma parceria que não funciona?

Observo uma tendência de coaches em início de carreira buscarem parcerias profissionais baseando-se em vários pressupostos: juntos somos mais fortes, é melhor operar em redes, colaborar etc. Ou, talvez, optam por andar em parcerias como um antídoto contra a insegurança inicial que todo profissional precisa vencer. Mas, contradizendo os pressupostos de quando embarcaram na parceria,... leia mais

6 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium