revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #104 - Janeiro 2022

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Feliz Ano Novo? Não tenha esperanças

Como alguém que aprecia uma boa aventura, sempre que penso em Ano Novo, imagino uma viagem para um lugar inédito. Ao mesmo tempo em que meu íntimo é inundado pelo entusiasmo e excitação de logo colocar o pé na estrada, meu senso de responsabilidade me deixa alerta em relação a preparação, procedimentos de segurança e o planejamento. Em toda viagem, seja ela curta ou longa, precisamos levar alguma bagagem, certos recursos, equipamentos, definição de papéis (quando numa equipe), planos de contingência, GPS e um mapa. E por melhor que seja a preparação, na hora do vamos ver, muita coisa pode acontecer, pois já aprendemos que mapa não é território.

Na grande jornada da vida, um Novo Ano é apenas mais uma etapa de nossa história. A cada novo ciclo, nunca chegamos e partimos vazios ou sozinhos; mas sim repletos de conhecimentos, habilidades e experiências adquiridas que nos possibilitam fazer escolhas mais acertadas e a superar adversidades inesperadas, como as que vivemos nos últimos dois anos. Penso que nunca devemos deixar de olhar para trás, lembrando os perigos vividos e suplantados (lembrar deles, nos deixa mais espertos), os aprendizados assimilados e os vínculos firmados. São eles que garantem o repertório para avançar mais uma fase.

Quando penso em Ano Novo, por alguns instantes, me inspiro pelas histórias familiares. Aprecio e me divirto quando escuto as histórias dos meus pais e tios sobre os seus pais, suas jornadas e desafios. Meu avô paterno, por exemplo, chegou ao Brasil com apenas 10 anos de idade, na década de 1900. A família saiu da Espanha, talvez fugindo da pobreza, na esperança de uma vida melhor. Além do drama da partida, da viagem sem volta para uma terra desconhecida, consta que um dos irmãos morreu durante a viagem de navio. Tento sentir o sofrimento dessas e outras mudanças involuntárias que os meus e os seus antepassados enfrentaram e, que mesmo assim, seguiram em frente. Me pergunto sobre quais as crenças e valores sustentaram suas vidas, que de alguma forma, herdamos também. Quais suas motivações para crescer, prosperar e persistir? Será que a esperança foi um ingrediente fundamental para vislumbrar dias melhores?

Para ler este artigo completo...
é necessário, pelo menos, criar seu conta gratuita.
Faça seu login Crie sua conta gratuita ou Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Coaching executivo: gestão do relacionamento entre coach, cliente e a organização

(Work – Executive Coaching: Managing relationships between coach, client and organization) Fiquei muito honrada em contribuir para o diálogo sobre coaching na Converge21. Minha apresentação foi sobre os principais relacionamentos presentes em coaching executivo: a relação entre a cliente e a coach; o relacionamento entre a cliente e a organização; e a relação entre a coach e a... leia mais

13 minutos

Futures Studies, a disciplina que estuda futuros

Ao contrário do que parece, o futuro não é um assunto recente.  Governos, empresas e universidades do mundo inteiro usam este conjunto de conceitos e ferramentas para prospectar cenários de futuro há mais de 50 anos. O assunto pertencia prioritariamente ao universo acadêmico e até hoje é pouco conhecido entre a maioria das pessoas e das empresas. Com a conectividade, o tema... leia mais

13 minutos

O poder da autocompaixão: conceitos e ideias errôneas

“Um momento de autocompaixão pode mudar todo o seu dia. Uma série de momentos como esse pode mudar o curso de sua vida.” Christopher Germer Há 5 anos, ouvi pela primeira vez a palavra autocompaixão e pensei: “Eu não sei exatamente o que é isso, mas sinto que preciso de compaixão”. Nesse momento, associei autocompaixão a ser mais bondosa comigo de alguma maneira. Ao longo dos... leia mais

16 minutos

Coaching de Grupos e Equipes

“(...) Olhe, pro futuro confiante, pois a distância posso ver que no século XXI, surge um novo amanhecer (...) “ Viva a Gente - 1969 Segundo o Paradigma Luz, de Borges (1994) – “ A Construção do Ser e do Saber” é de bom tom olhar o antigo para poder entender e lidar com o novo, com a atual necessidade do aqui e agora, mas não apenas olhar, ver, ouvir e escutar para aquilo... leia mais

17 minutos

As seis dimensões da Síndrome de Burnout: compreender e prevenir

A Síndrome de Burnout pode ser prevenida! Quantas pessoas gostariam de ter evitado chegar ao esgotamento, ao sentimento de não se reconhecer mais e perder a confiança em si mesmas, em suas capacidades de concentração, de memória e de regulação emocional... Após ter vivido a síndrome e acompanhado dezenas de pessoas no processo de recuperação, considero essa experiência como um... leia mais

15 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium