revista-coaching-brasil-logo-1 icon-bloqueado icon-busca icon-edicoes icon-login arrow-down-sign-to-navigate

Edição #101 - Outubro 2021

Localize rapidamente o conteúdo desejado

Motivação Compassiva: Como a autocompaixão constrói uma imagem corporal mais positiva

“Como a flor de lótus que nasce da lama, devemos honrar as partes mais sombrias de nós mesmos e as mais dolorosas experiências da nossa vida, porque são elas que permitem o nascer do nosso EU mais belo”

Debbie Ford.


Os níveis de preocupação com nosso tamanho e forma corporais e o desejo de ter um corpo magro ideal vem na contramão do aumento do sobrepeso na população mundial.

A associação entre beleza, sucesso e felicidade com um corpo magro a qualquer custo tem levado nossas pessoas para a prática de dietas abusivas e outras formas não saudáveis de regulação do peso. A insatisfação com o corpo, não importando como ele seja, é cada dia mais frequente. (nota 1)

Não estamos apenas falando aqui sobre um clichê de amor-próprio. Estamos falando de saúde mental da nossa população já que 92% das mulheres brasileiras se encontram insatisfeitas com seus corpos; 1 milhão de jovens americanos de 15 a 19 anos, todos os meses, utilizam métodos laxativos ou vômitos para controle de peso. Uma estatística nacional demonstrou que 32% dos adolescentes de toda uma escola brasileira vomitavam ou usavam laxantes apenas para emagrecer e outros 12% tinham um transtorno alimentar. Uma em cada quatro meninas europeias de 7 anos já tentaram fazer dieta pelo menos uma vez e 80% das meninas americanas com menos de 10 anos já fizeram dieta. (notas 2,3 e 4)

Vivemos uma normose de insatisfação corporal, ou seja, normal é se sentir inadequado.

A insatisfação corporal está ligada a pior saúde mental, piores escolhas alimentares, maior consumo alimentar, obesidade mais severa, baixa autoestima, estresse psicológico, diminuição da performance escolar em adolescentes, maior predisposição de depressão e distúrbios alimentares. (notas 5,6 e 7)

Ainda, se ver acima do peso pode ser umas das lacunas que faltam para que entendamos o motivo da crescente obesidade no mundo. Uma pesquisa que seguiu jovens durante 11 anos mostrou que adolescentes com peso normal, mas que pensam ser gordos, são mais propensos a ganhar peso, especialmente as meninas. “Ver-se gorda, mesmo não sendo, pode realmente fazer com que os jovens com peso normal se tornem obesos quando adultos” Koenraad Cuypers, um pesquisador da Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia. (nota 8)

O conceito de autocompaixão foi definido por Kristin Neff como uma atitude compassiva desejando bem-estar ao eu, encorajando a si mesmo mudar de forma gentil padrões de comportamentos disfuncionais.

Evidências atuais tem demonstrado que altos índices de autocompaixão estão relacionados a menor preocupações com o corpo, menos culpa ao comer e diminuição dos sintomas depressivos relacionados a imagem corporal. (nota 9)

A autocompaixão motiva a mudança aumentando o autoapreço e cuidado genuíno direcionado a si mesmo. A nossa sociedade tem uma crença que a motivação advinda da autocrítica severa é a única maneira de se alcançar metas. Quando na verdade, a ciência da motivação tem demonstrado o inverso.

Evidências de como a autocompaixão pode ajudar a promover uma imagem corporal mais saudável:

A insatisfação corporal tem nos tornado suscetível a uma indústria que tem em sua agenda vender “saúde” e milagres para corpos ideias.

Para ler este artigo completo...
é necessário, pelo menos, criar seu conta gratuita.
Faça seu login Crie sua conta gratuita ou Veja as vantagens de ser Premium
Gostou deste artigo? Confira estes da mesma coluna:

Coaching Interno e a musicalidade do Coaching de Equipas

Prelúdio Investir em Coaching Interno reflete o grau de maturidade das Empresas que apostam numa cultura sustentada de desenvolvimento dos seus recursos mais valiosos, as pessoas. Esta é uma história na primeira pessoa, uma história que desejo partilhar com o leitor. Convido-o a visitar o mundo do Coaching de Equipas dentro de uma Empresa portuguesa de grande dimensão. Esta... leia mais

16 minutos

Autocompaixão: o cuidado começando por nós

Quando um amigo querido não está bem, normalmente temos o impulso de ajudá-lo. Buscamos acolher seus sentimentos, usar um tom de voz suave e nossas melhores palavras. Já quando se trata de nós mesmos e de algum sofrimento, sentimento de inadequação ou de falha que vivenciamos, tendemos a nos tratar diferente. Costumamos acionar nossa autocrítica e um tom de voz interno mais áspero.... leia mais

15 minutos

O Codesenvolvimento é Sistêmico

Já vou me adiantando aqui para dizer que este artigo tem mais perguntas que respostas, pois é ali, no não saber a resposta, que brota nossa curiosidade e vontade de saber mais, de experimentar. Espero aqui trazer uma boa oportunidade para explorar o território do sistêmico e complexo através do Codesenvolvimento. Antes de mergulhar nos aspectos sistêmicos-complexos do Codesenvolvimento,... leia mais

13 minutos

O encontro cármico entre o coach e o cliente

Quando um ser humano olha de forma comprometida a sua própria história de vida, observa que ela não é uma simples sucessão de fatos e datas, mas um caminho de desenvolvimento que passa por diversos aspectos como saúde, aprendizado, profissão, processo de busca de emancipação e autonomia. Todos estes aspectos apenas são possíveis através dos encontros. Se olharmos, não do ponto de... leia mais

14 minutos

Comunicação Autêntica: Tecituras de resgate ao humano dentro e fora das plataformas digitais

Nunca se falou tanto sobre autenticidade. Sua aplicação em nosso cotidiano tem sido estimulada por meio de imperativos que se fazem presentes em frases como “seja você mesmo”, “solte a sua voz” ou até mesmo “viva a sua verdade”. Embora esse movimento seja legítimo e tenha como plano de fundo encorajar a formação de pessoas livres de padrões impostos e a construção de uma... leia mais

14 minutos
O melhor conteúdo sobre Coaching em língua Portuguesa
a um clique do seu cerébro
Seja Premium